CONSUMISMO: VOCÊ SABE O QUE É ISSO?

O consumo é tido como algo positivo na maior parte do mundo de hoje (Foto: Pixabay).

Você já comprou um produto e se arrependeu logo após a compra? Ou sentiu o desejo de comprar um celular novo mesmo tendo outro modelo em perfeito estado? É bem provável que, em algum momento da vida, você tenha sido consumista. Mas, afinal, você sabe o que é consumismo?

O QUE É CONSUMISMO?

O consumismo é a ação de comprar excessivamente e sem necessidade, sendo motivada por impulso ou desejo de comprar. Esse é considerado um comportamento destrutivo que impacta em diversos aspectos da vida cotidiana. O consumismo é diferente do consumo, que é caracterizado pela ação de realizar compras necessárias – como água e alimentação. A onda de consumismo é muito presente em sociedades modernas capitalistas e tem se mostrado um reflexo da globalização e da mídia, como veremos adiante.

sistemas-e-formas-de-governo

O QUE CAUSA O CONSUMISMO?

O consumismo não tem uma causa específica. Esse comportamento é motivado por uma série de fatores que envolvem desde a mídia até as táticas de propaganda utilizadas por organizações empresariais.

Obsolescência programada

Um dos fatores que impulsionam o consumo descontrolado é a chamada obsolescência programada. Trata-se de uma estratégia dos produtores em desenvolver produtos que simplesmente param de funcionar ou se tornam obsoletos em um curto prazo de tempo. Assim, os consumidores são levados a adquirir versões mais novas do bem ou serviço em questão.

Podemos dividir esse fenômeno em obsolescência técnica ou psicológica. Na primeira classificação, os aparelhos simplesmente param de funcionar, obrigando os clientes a comprarem um novo produto. O melhor exemplo de obsolescência técnica foi um cartel organizado na década de 20 entre produtoras europeias e americanas de lâmpadas. Seus produtos tinham vida útil reduzida, o que objetivava aumentar as vendas.

O documentário The Light Bulb Conspiracy (que você pode conferir aqui) também retrata esse fenômeno nas indústrias de impressoras. Algumas dessas empresas produzem máquinas capazes de uma quantidade máxima de impressão. Essa quantidade é pré-determinada e, após serem feitas essas impressões, as máquinas param de funcionar, induzindo a compra de uma nova mercadoria.

Já a obsolescência psicológica acontece quando o consumidor, mesmo com um produto em perfeito estado de conservação, sente-se insatisfeito com a mercadoria. Isso geralmente ocorre porque o dono do produto considera o mesmo ultrapassado por conta do lançamento de novos produtos em curto prazo de tempo. Pode-se citar o caso da Apple que lançou o iPad 4 após sete meses do lançamento do iPad 3.

Indústria Cultural

Outro fator que influencia o crescimento do consumo descontrolado é a chamada Indústria Cultural, termo que foi criado na Escola de Frankfurt por Theodor Adorno e Max Horkheimer. Eles chegaram à conclusão de que a Indústria Cultural obtém lucro a partir da imposição de padrões de interesses. Dessa forma, criam-se padrões de comportamentos de consumo para atender a demanda de venda das empresas.

Deve-se compreender que o pilar da cultura de massa são o marketing e a publicidade. Como todos os dias as populações são bombardeadas por anúncios publicitários que relacionam a compra de um produto diretamente com a felicidade do consumidor, dá-se início a um processo de alienação e ilusão. Ou seja, com a influência da mídia começa-se a acreditar que o vazio e a insatisfação sentidos por várias pessoas podem ser preenchidas por produtos e consumo.

Não acredita nisso? Segundo estudos do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 36% dos brasileiros fazem compras para aliviar o estresse do cotidiano. Além disso, 47,7% dos consumidores fazem compras para se sentirem bem. O mesmo levantamento aponta que três em cada dez brasileiros acreditam que comprar pode melhorar o humor.

Você sabe quais são seus direitos? Conheça o Código do consumidor.

O descarte inadequado de lixo eletrônico se torna um problema cada vez maior em um mundo tão tecnológico (Foto: Flickr).

consumismo

QUAIS SÃO OS IMPACTOS DO CONSUMISMO?

Os impactos do consumo excessivo são vários. Adiante estão listadas algumas dessas consequências.

Consequências ambientais

Com o aumento da procura por produtos, mais recursos naturais precisam ser explorados para atender a essa demanda. Conforme o processo de produção dos bens e serviços aumenta, a degradação ambiental também cresce, muitas vezes ocasionada pela emissão de gases poluentes e a contaminação da água e do solo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 92% da população mundial vive em lugares cujo a qualidade do ar está fora dos padrões indicados para a saúde. Além disso, estudos da World Wide Fund for Nature (WWF) apontam que são explorados cerca de 50% de recursos a mais do que o planeta pode repor.

Outro ponto a ser levantado, é que com o consumismo a produção de lixo também aumenta. Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos, foram coletadas mais de 71 milhões de toneladas de lixo no ano de 2016. Conforme o relatório da ONU, foram gerados 44,7 milhões de toneladas de lixo eletrônico no mundo no ano de 2016. Esse número é amplamente afetado pela obsolescência, tanto programada quanto psicológica, que faz o consumo de produtos tecnológicos crescer consideravelmente. É necessário atentar-se ao descarte do lixo tecnológico, também conhecido como e-lixo, pois o mesmo possui metais pesados que podem contaminar a natureza. Neste link você pode aprender como descartar esse lixo de maneira correta.

Leia mais: Saneamento: o que é o básico?

Consequências sociais

Assim como retratado no filme “Os delírios de consumo de Becky Bloom”, muitas pessoas relacionam de forma extrema o sentimento de satisfação e alegria com o ato de comprar sem necessidade. Isso pode ser caracterizado como uma compulsão ou vício, semelhante ao sentido por usuários de drogas ou alcoólatras. Em casos mais graves, essa compulsão pode se tornar uma doença – a chamada oneomania. Segundo a psicóloga Denise Gimenez Ramos, “a oneomania também emerge para aliviar sentimentos de grande frustração, vazio e depressão. É um desejo de possuir, de ter poder, que fica reprimido. Ao não conseguir dar vazão ao seu desejo, a pessoa sofre uma enorme pressão interna que a leva à necessidade de possuir coisas novas como única forma de prazer”.

Consequências econômicas

O consumo desenfreado pode acarretar no comprometimento financeiro familiar por meio de uma quantidade excessiva de dívidas, contraídas por meio da compra de produtos desnecessários e supérfluos. Segundo um estudo do SPC Brasil, 46% dos inadimplentes admitem que poderiam ter evitado a dívida. Além disso, outra pesquisa realizada pelo SPC Brasil aponta que 59% dos brasileiros aproveitam a facilidade de concessão de crédito para fazer compras dispensáveis.

A famosa promoção Black Friday é sinônimo de lojas cheias, principalmente nos EUA (Foto: Flickr).

consumismo

COMO EVITAR O CONSUMISMO?

O problema do consumismo está enraizado em vários fatores, como a ganância das empresas de vender cada vez mais – que chega ao ponto da obsolescência programada. Uma ou duas pessoas diminuírem sua taxa de consumo não vai resolver o problema numa forma geral, mas é importante que os indivíduos lidem melhor com essa questão. Por isso, existem algumas formas de, pessoal e individualmente, evitar-se o consumismo. Adiante, nós separamos algumas sugestões:

Orçamento ABCD: essa é uma ótima maneira de planejar seus gastos. Nesse tipo de orçamento a letra A representa gastos com alimentação e a letra B refere-se aos gastos básicos – como conta de luz, água e aluguel. Já a letra C indica gastos contornáveis, ou seja, despesas que podem ser cortadas caso seja necessário – como assinatura de revista ou TV a cabo. Por último, a letra D representa despesas desnecessárias, como anuidades e taxas de cartão.

Pense: isso mesmo, pense! Antes de comprar, avalie todos os prós e contras. Reflita a real necessidade de ter aquele produto. Você realmente precisa dele? Ele irá comprometer suas despesas? Além disso, pesquisar preços pode ser uma maneira eficaz de economizar dinheiro.

Sentimentos: está triste ou com raiva? Não vá às compras! Utilizar do ato de comprar para aliviar tensões pode acarretar dívidas desnecessárias e arrependimento pela compra em um curto prazo de tempo. Não deixe as emoções impactarem na sua vida financeira! Você ainda pode reavaliar seus hábitos de consumo nesta matéria e até fazer um teste para descobrir se é, ou não, um consumidor impulsivo aqui.

Consumo Consciente: comprar faz parte do cotidiano de todos nós e também está ligado às nossas necessidades básicas. Entretanto, é necessário consumir de forma consciente, avaliando que o poder de compra pode influenciar o planeta e sua vida. Portanto, para praticar o consumo consciente – e, consequentemente, evitar o consumismo – é preciso planejar suas compras, refletir sobre os impactos delas e a real necessidade de ter aquele produto. Acredite, você não está sozinho na missão de se tornar um consumidor mais consciente. Existem até mesmo organizações que buscam ajudar as pessoas nessa questão, como o Instituto Akatu.

Você sabe por que o governo implementou um teto de gastos públicos? A gente explica!

O consumismo tem se tornado uma prática cada vez mais frequente e perigosa em uma boa parte do mundo. Assim, ter noção dos impactos causados pelo consumo exagerado é um primeiro passo para se tornar um cliente mais consciente. Além disso, buscar informações sobre as causas e o que pode ser feito para evitar esse tipo de comportamento é primordial para desenvolver novos hábitos de consumo e pensamento. Assim, você não apenas conseguirá ter uma melhor organização financeira e pessoal, mas também contribuirá para o menor impacto ambiental.

Conseguiu entender o que é consumismo? Deixe suas dúvidas e sugestões nos comentários!

Aviso: mande um e-mail para contato@politize.com.br se os anúncios do portal estão te atrapalhando na experiência de educação política. 🙂

Publicado em 25 de julho de 2018.

Natalia Moura

Goiana e graduanda em Administração pela PUC-GO. Acredita que a informação é a chave para um mundo melhor.