Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Print Friendly, PDF & Email

Cooperativas de crédito: o que são?

Foto: Pixabay.

Você conhece o termo Cooperativismo de Crédito? Saiba que esta é uma instituição financeira alternativa ao uso de bancos convencionais.

O QUE SÃO AS COOPERATIVAS DE CRÉDITO?

As cooperativas de crédito têm ganhado cada vez mais espaço no sistema financeiro. De acordo com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), se as 300 maiores cooperativas do mundo fossem um país, seriam a 9ª maior economia do mundo.

As cooperativas de crédito são instituições financeiras sem fins lucrativos, e este é o primeiro ponto que as distanciam dos bancos comerciais. O que acontece é que a cooperativa precisa obter resultados para se expandir, mas a palavra usada para isso é “sobras” e não lucro.

As sobras são apuradas após o confronto das despesas e receitas em determinado período, contabilmente chamado de Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE), feito normalmente no final do ano. Depois, as sobras são repartidas entre todos de forma proporcional ou são reinvestidas nas cooperativas. Mas se o resultado for negativo, isto é, se houver prejuízo durante determinado período, todos assumem a perda.

Elas são formadas pela união de pessoas que buscam serviços de crédito, estes são chamados de “cooperadores”. Os cooperadores são simultaneamente donos e usuários da cooperativa, assumindo eventuais perdas ou sobras, uma vez que a cooperativa financeira trabalha para atender somente os interesses de seus cooperadores.

COMO ATUAM AS COOPERATIVAS NA VIDA DAS PESSOAS?

A razão pela qual as cooperativas financeiras têm se tornado uma alternativa aos bancos comerciais é que elas oferecem os mesmos produtos e serviços de forma considerada mais justa. Confira as vantagens de uma cooperativa de crédito:

  • Realizam serviços bancários: as cooperativas de crédito prestam os mesmos serviços básicos e essenciais que os bancos comerciais, como cartão de crédito, empréstimos, financiamentos, conta corrente, entre outros serviços.
  • Facilitam o crédito: uma vantagem importante que levou as cooperativas financeiras a ganharem espaço no Brasil é o fato de elas terem taxas de juros significativamente mais baixas que os bancos comerciais. Com essas taxas mais competitivas, as cooperativas de crédito são uma opção aos bancos convencionais.
  • São democráticas: as cooperativas de crédito são consideradas democráticas. Todos são donos e o Conselho de Administração é formado por cooperados eleitos na Assembléia Geral, em que cada cooperado vota e seus votos têm sempre o mesmo peso.
  • Promovem o desenvolvimento local: as cooperativas financeiras também levam desenvolvimento às localidades em que estão. Os recursos saem em forma de empréstimos ou financiamentos que levam desenvolvimento à região.
cooperativa-de-credito-1

Qual é a estrutura de uma cooperativa de crédito?

As cooperativas de crédito, ao contrário de outros tipos de cooperativas – de transporte, consumo, trabalho etc – têm a supervisão do Banco Central para funcionar, pois presta serviços de intermediação financeira aos seus cooperadores. Confira no infográfico a estrutura:

Que tal baixar esse infográfico em alta resolução?

cooperativa-credito-infográfico-estrutura

DESEMPENHO DAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO no mundo

O relatório do World Council of Credit Unions, WOCCU (em português: Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito), apontou para uma tendência mundial no aumento de cooperativas de crédito. Em todo o mundo, havia 56.904 cooperativas em 2013; no ano seguinte, eram 57.480; e 60.645 cooperativas de crédito em 2015. Confira como elas estão distribuídas:

cooperativa-credito-GRAFICO

O número de cooperativas em determinado continente, no entanto, não representa a sua expressão em capacidade. Observe abaixo um ranking de países com cooperativas que têm um maior volume de ativos. Note que os EUA e o Canadá lideram os países que têm maior volume de ativos, embora a América do Norte tenha menos cooperativas do que outros continentes.

  • Países
  • 1º EUA
  • 2º Canadá
  • 3º Austrália
  • 4º Índia
  • 5º Tailândia
  • 6º Coréia
  • 7º Brasil
  • 8º Irlanda
  • 9º Equador
  • 10º Quênia
  • Ativos (US$)
  • 1,2 trilhão
  • 246,2 bilhões
  • 70,7 bilhões
  • 60 bilhões
  • 57 bilhões
  • 56 bilhões
  • 28 bilhões
  • 16 bilhões
  • 8 bilhões
  • 5 bilhões

E no Brasil?

No Brasil, as cooperativas de créditos surgiram no Rio Grande do Sul no ano de 1902. Ainda hoje, são nas regiões sul e sudeste em que as cooperativas de crédito se concentram. Observe que o Brasil é o país latinoamericano melhor colocado no ranking acima, seguido do Equador.

Em 2016, já tínhamos 6,9 milhões de cooperados, 980 cooperativas e a expectativa de gerar quase 47 mil novos postos de trabalhos formais, afirma Marcos Lopes de Freitas presidente, da OCB. Freitas ainda afirma que mais de 400 cidades brasileiras, tratando-se de serviços financeiros, só podem contar com as cooperativas de crédito, pois outras instituições de crédito não chegaram em áreas mais afastadas, provando que as cooperativas conseguem atingir e incluir pessoas que se viam excluídas do crédito.

Sobretudo, o Brasil apresenta um palco favorável para o crescimento das cooperativas de crédito, uma vez que o referencial dos bancos para fazer empréstimos seja a taxa básica de juros, estipulada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), seja tão elevada. Interessante refletir sobre o crescimento das cooperativas, ainda mais no ano de 2008 que foi o auge da crise bancária.

LEGISLAÇÃO DAS COOPERATIVAS

A Lei Nº 5.764, criada em 1971 define a Política Nacional de Cooperativismo, que estabelece suas características e pontos fundamentais.  

De acordo com o BACEN, essa lei garante:

I. Singulares: devem ser compostas por, no mínimo, vinte pessoas. São aceitas pessoas físicas ou jurídicas que tenham objetivos alinhados com a cooperativas.

II. Centrais ou federações de cooperativas: uma fusão de, no mínimo, três singulares filiadas.

III. Confederações de cooperativas centrais: uma fusão mínima de três cooperativas centrais ou federações de cooperativas que sejam de diferentes áreas.

E, também pela lei Nº 4.434/2014, o Banco Central é responsável pela autorização para funcionamento e cancelamento da autorização.

É SEGURO confiar nas cooperativas de crédito?

Os clientes dos bancos comerciais são assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é uma entidade que visa proteger os investidores, correntistas, poupadores, entre outros, de uma eventual quebra dos bancos. Para isso é garantido que, em caso de emergência, o cliente receberá de volta um valor máximo de R$ 250.000,00. Com as cooperativas de crédito, não é diferente. O Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGcoop) busca garantir o dinheiro dos cooperados, no valor também limite de R$ 250.000,00 por CPF (ou CNJP) que esteja associado à cooperativa.

CONCLUSÃO:

Economia compartilhada é algo que pode fazer a diferença em nossa sociedade. É notável o quanto as cooperativas financeiras têm se multiplicado nos últimos anos em todo mundo. Não é uma ideia nova, pelo contrário. As cooperativas de crédito, embora não sejam assuntos recorrentes e discutidos na mídia ou de conhecimento popular, é uma alternativa interessante e segura para quem busca por serviços e produtos bancários de uma forma diferenciada.

Conseguiu entender o que fazem as cooperativas de crédito e como podem te ajudar? Deixe as dúvidas nos comentários! 

Referências:

Banco Central do Brasil. O que é uma cooperativa de crédito? Disponível em: < http://cooperativismodecredito.coop.br/cooperativismo/o-que-e-uma-cooperativa-de-credito-2/>. Acesso em 29/06/2017.

Sicredi. Cooperativismo de Crédito. Disponível em: >. Acesso em: 29/06/2017.

Portal do Cooperativismo Financeiro. Os Pioneiros de Rochdale. Disponível em:< http://cooperativismodecredito.coop.br/cooperativismo/historia-do-cooperativismo/os-pioneiros-de-rochdale/>. Acesso em: 30/06/1017.

Portal do Cooperativismo Financeiro. Expressão Mundial. Disponível em: http://cooperativismodecredito.coop.br/cenario-mundial/expressao-mundial/. Acesso em: 30/06/2017.

Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito. Os Princípios Cooperativista. Disponível em:<http://www.fgcoop.coop.br/os-principios-cooperativistas>. Acesso em 01/07/2017.

World Council of Credit Unions. Annual Statistical Reportprovides financial statistics for credit unions and financial cooperatives around the world. Disponível em:  <https://www.woccu.org/impact/global_reach/statreport>. Acesso em: 28/06/2017.

Banco Central. FAQ – Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Disponível em : . Acesso em 01/07/2017

Organização das Cooperativas Brasileiras. História do Cooperativismo. Disponível em: http://www.ocb.org.br/#/historia-do-cooperativismo. Acesso em: 02/07/2017

Organização das Cooperativas Brasileiras. Como funciona uma cooperativa. Disponível em: http://www.ocb.org.br/#/como-funciona-uma-cooperativa. Acesso em: 03/07/2017

PINHEIROS, M. A. H. Cooperativas de Crédito História da Evolução Normativa no Brasil. v. 6, p. 7, 2008. Disponível em: . Acesso em: 02/07/2017

Sociedade Nacional de Agricultura. Cooperativismo tem números que impressionam, afirma presidente da OCB. Disponível em: http://sna.agr.br/cooperativismo-tem-numeros-que-impressionam-afirma-presidente-da-ocb/. Acesso em: 21/07/2017

crowdfunding
Publicado em 09 de agosto de 2017.
David-Santos-Redator

David Santos da Silva

Estudante de Ciências Contábeis na Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e interessado em pesquisas que contribuam para a literatura nas áreas de economia, finanças e política.