Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Print Friendly

Direita e Esquerda: valores individuais e coletivos

Quais são as maiores preocupações de ambos os lados do espectro político? 

Foto: Pixabay

esquerda-direita-populacao-valores

Este é o terceiro texto de uma trilha de conteúdos sobre esquerda e direita políticas e aborda os valores individuais e coletivos na direita e esquerda. Veja os demais textos desta trilha: 1 – 2 – 3 – 4

Ao terminar de ler este conteúdo você terá concluído 75% desta trilha

Os valores políticos e o papel do Estado que são defendidos por direita e esquerda têm bases filosóficas distintas e advêm de visões diferentes de mundo e da natureza humana. Estas visões promovem relações sociais diferentes e indivíduos com virtudes específicas. A esquerda tem um caráter essencialmente coletivista, enquanto a direita é essencialmente individualista. Mas essa constatação é apenas um norte, pois em algumas esferas da vida social e política, um pensamento político de direita pode ser coletivista e um de esquerda pode ser individualista.

Exemplos de pensamentos políticos com essa característica são a social democracia – que é coletivista na esfera econômica, mas individualista na esfera social e moral (e que por isso acolhe bem os movimentos progressistas) – e o conservadorismo – que é individualista na esfera econômica, mas coletivista na esfera social e moral. Essas comparações são exploradas na trilha de conteúdos sobre correntes de pensamento político.

O que é individualismo?

Foto: Pixabay

direita-esquerda-individualismo

O individualismo é uma ideia ou visão que enfatiza o valor moral do indivíduo e entende que os objetivos e interesses de cada um devem prevalecer sobre os interesses dos grupos e do Estado. O individualismo – e a direita na maioria dos assuntos – valoriza a independência, a autonomia, a responsabilidade sobre si mesmo e a tolerância aos outros indivíduos. Nesse contexto, cada um deve se responsabilizar por suas ações e colher o sucesso ou o fracasso de suas decisões.

E o que é coletivismo?

Fonte: Bibliotecários sem Fronteiras

esquerda-direita-coletivo-valores

Já o coletivismo é uma ideia ou visão que enfatiza o valor dos grupos e entende que os objetivos e interesses do grupo devem prevalecer sobre os interesses dos indivíduos. O coletivismo – e a esquerda na maioria dos assuntos – valoriza a igualdade, a coesão dos grupos e o altruísmo. O grupo oferece segurança aos indivíduos em troca de lealdade.

Esquerda, direita e centro segundo valores individuais e coletivos

Essas virtudes e valores defendidos por cada lado do eixo levam a visões diferentes de como deve ser a sociedade. Poderiam ser definidas de maneira ampla como:

Esquerda: valoriza os indivíduos altruístas e dispostos a se conformar à coletividade. A sociedade deve oferecer segurança social aos indivíduos, independentemente de sua condição ou ações. Promove a igualdade social, opondo-se a qualquer tipo de desigualdade considerada injusta, principalmente as desigualdades econômicas. Considera que a sociedade, como um coletivo, deve agir em benefício daqueles em desvantagem relativa a outros dentro da mesma sociedade.

Direita: valoriza os indivíduos independentes e responsáveis pelas suas ações. Cada indivíduo deve conviver com os resultados de suas decisões, sejam eles positivos ou negativos. Promove a igualdade político-jurídica, que é entendida como suficiente para garantir as mesmas oportunidades aos indivíduos da sociedade. Considera a desigualdade social inevitável e natural, advinda da competição entre indivíduos livres. A ajuda às pessoas em necessidade na sociedade deve ser uma decisão dos indivíduos e não uma imposição do Estado ou da coletividade.

Centro: promove equilíbrio entre os graus de desigualdade social, opondo-se a mudanças políticas significativas para a direita ou para a esquerda. Tenta conciliar, onde possível, as duas visões de sociedade. Algumas doutrinas de centro intitulam-se como “terceira via” e uma alternativa para os conflitos.

o-livro-urgente-da-politica-banner

Limitações do eixo de direita e esquerda

Fonte: Free Pik.

esquerda-direita-centro-valores-individuais-coletivos

É importante ainda enfatizar um conceito já abordado anteriormente: o eixo de direita e esquerda tem um significado mais estreito do que normalmente se imagina. Esse eixo não determina se um governo é autoritário ou libertário, por exemplo. É possível haver governos autoritários tanto na esquerda quanto na direita, da mesma forma que é possível haver ideias de sociedades anárquicas (sem Estado) tanto na direita (anarco-capitalismo) quanto na esquerda (anarco-comunismo).

Outras questões políticas também não cabem nesse eixo, como, por exemplo, as discussões sobre a liberalização das drogas ou a legalização do aborto. É “sabedoria popular” que a direita é contra algumas destas ideias, mas isso não está correto. O que acontece é que tanto os pensamentos conservador e libertário individualista são considerados de direita, mas o conservadorismo é contra essas propostas e o libertarianismo é a favor delas. Ou seja, no mesmo lado do eixo esquerda-direita existem posições políticas diferentes, o que é completamente compreensível, visto que esses assuntos não estão contidos nesse eixo do espectro político. Portanto, caro leitor, não tente atribuir aos termos “direita e esquerda” mais significado do que eles conseguem carregar.

Por fim, é importante entender que as posições políticas não têm valores absolutos no eixo esquerda-direita. Uma visão política que nos Estados Unidos é chamada de “liberal” é considerada como de esquerda, enquanto que em países como a França ou Brasil a palavra “liberal” está associada à direita. Nesses países, a esquerda geralmente refere-se a posições socialistas.

No próximo texto, vamos entender como esquerda e direita costumam se manifestar em relação à economia. 

E agora, conseguiu entender um pouco melhor os valores de direita e esquerda?

Nota: este conteúdo foi extraído e adaptado do Livro Urgente da Política Brasileira. Baixe agora mesmo o eBook gratuito para ficar por dentro dos principais conceitos da política! 

Publicado em 04 de janeiro de 2017.

Alessandro Nicoli de Mattos

Engenheiro em Elétrica, trabalha na área de exatas mas gosta de estudar História, Economia e Política no seu tempo livre. Dos três ebooks gratuitos que já publicou, “O Livro Urgente da Política Brasileira” é o último e busca explicar a política e o Estado brasileiros da forma mais objetiva e visual possível, como gostam os engenheiros. Acredita que na democracia é necessário participar, mas sempre com conhecimento de causa, e, assim, educar os conterrâneos sobre política também é exercer a cidadania.