Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Print Friendly, PDF & Email

Segurança no trânsito: como ser um cidadão consciente?

Ruas de São Paulo. Fonte: Pixabay.

segurança-transito

Este é o segundo texto de uma trilha de conteúdos sobre Cidadania no trânsito. Confira os demais posts da trilha: 12 – 3 – 4 – 5

Ao terminar de ler este conteúdo, você terá concluído 40% desta trilha 🙂

Não é de hoje que os questionamentos sobre como ser um cidadão consciente são cada vez mais constantes e necessários. Em todos os aspectos da vida em sociedade, existem normas que, mais do que limitar as atitudes dos cidadãos, servem para que todos os direitos das pessoas sejam respeitados. Porém, há um ponto que apresenta inúmeros problemas devido à falta de conscientização da população: o trânsito. Mas como ser um cidadão consciente no trânsito?

Todos os dias, muitas pessoas se deparam com a obrigação de enfrentar problemas causados pelo trânsito. Na realidade, tais complicações são causadas pelos agentes que o compõe, que começa pelos pedestres e se estende até os condutores de veículos automotores.

Ao sair na rua, cada ser humano representa uma parte do trânsito e, como tal, precisa considerar a existência de normas que organizam o fluxo de pessoas e veículos pelas vias públicas. A responsabilidade de fazer com que tudo ocorra bem nas ruas é de todos e, tomadas as medidas de segurança cabíveis a cada um, certamente teremos cidadãos mais conscientes e um trânsito mais seguro.

Quais são as regras de segurança no trânsito?

Quando a pessoa passa pelo processo de habilitação, seja pela primeira vez, seja por outros motivos, como cursos de atualização da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), por exemplo, ela é submetida a aulas teóricas que têm o objetivo de discorrer sobre as leis de trânsito e, mais do que isso, sobre atitudes que devem ser tomadas ao estar no controle de uma moto ou carro. Esse é o momento em que a pessoa precisa atentar para as regras para que possa estar preparada para entrar no trânsito como condutor.

Sendo assim, o indivíduo precisa entender quais as atitudes que ele deverá tomar quando estiver no controle de um veículo para que não ocorram acidentes no trânsito. Respeitar as leis é fundamental e, para isso, é necessário que a pessoa esteja de posse desse conhecimento para que consiga colocá-lo em prática. Os Centros de Formação de Condutores (CFCs) seguem um roteiro básico que tem o objetivo de levar aos condutores e futuros condutores uma formação consistente para o trânsito.

Os cursos teóricos são formados por módulos como legislação de trânsito, noções básicas de mecânica e primeiros socorros, que prepararão o futuro motorista para incidentes inesperados em seu percurso, direção defensiva, que ensinará como dirigir de modo a prevenir acidentes e, o que aqui ganha destaque, cidadania.

O módulo cidadania abrange assuntos referentes ao comportamento humano no trânsito. Princípios de empatia, gentileza, respeito e paciência são abordados nessa etapa do curso de formação. De forma geral, nessa sessão comenta-se sobre o cumprimento das leis, que são válidas para todos os cidadãos, os direitos que todos possuem e a convivência no trânsito.

Ao todo, são 45 horas/aula que o aluno deve assistir para passar aos passos seguintes e, enfim, encarar o trânsito. Se cada aula for assistida com atenção, provavelmente a pessoa tomará atitudes que definem bons condutores.

Como conscientizar pedestres e condutores?

Fonte: Pixabay.

conscientização-transito-semaforo

Diversas campanhas de conscientização acontecem por todo o Brasil ao longo dos anos. A intenção é sempre a de tentar convencer os cidadãos de que é preciso ser responsável no trânsito para que acidentes desse tipo aconteçam menos frequentemente nas estradas e nas ruas das cidades. Obviamente, essas campanhas não objetivam conscientizar a população instantaneamente, mas sim fazer com que a realidade se transforme a médio e longo prazos.

No geral, todas costumam chamar a atenção para o uso dos equipamentos obrigatórios, como o cinto de segurança para motoristas de carros e o capacete para motociclistas. Estes últimos ajudam, de forma considerável, a aumentar os índices de acidentados no trânsito, inclusive com vítimas fatais. Uma das campanhas mais conhecidas no país é a intitulada Maio Amarelo, criada após o estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelar que o Brasil está em 5º lugar na lista de países com os maiores índices de mortes no trânsito.

Atitudes simples, porém indispensáveis

Uma campanha do DETRAN/RS, intitulada “Trânsito Seguro: o Motorista Consciente”, expressa a necessidade de todos fazerem sua parte no trânsito, sejam pedestres, ciclistas, motociclistas ou motoristas. Nela, o departamento sinaliza para a importância de adotar práticas mais seguras para que a qualidade de vida das pessoas seja garantida. A campanha elabora, ainda, uma lista com várias atitudes necessárias para a segurança no trânsito.

Tais atitudes são simples e não causam quaisquer dúvidas quanto à sua realização. Uma delas, por exemplo, é a orientação para parar no sinal vermelho. Outras, com o mesmo grau de complexidade, são sinalizar antes de realizar qualquer manobra, não usar celular ao dirigir, dar a preferência para ambulâncias e outros veículos de emergência e, ainda, parar a cada 4 horas em casos de viagens longas.

Outras recomendações, como ligar o pisca alerta e usar o triângulo em caso de parada causada por problemas no veículo, deixar a distância de 5 metros das esquinas ao estacionar, manter distância segura de outros veículos, usar farol baixo em dias chuvosos ou de neblina, também são feitas. Por fim, mas não menos importante, outras sugestões essenciais são não consumir estimulantes ou energéticos se for dirigir e, a recomendação mais feita em todos os lugares, se for dirigir, não beber. Neste caso, é importante ficar, pelo menos, 8 horas sem assumir o volante.

Como se pode perceber, existem várias práticas para colaborar com um trânsito melhor. Muitas delas são atitudes básicas de segurança e apreço ao próximo. Basta ter consciência de que tomar medidas de precaução contribui para a manutenção da paz e da segurança em um espaço utilizado por todos os cidadãos que, como tais, devem exercer a cidadania em todas as atividades do seu dia a dia, em prol de uma vida com mais respeito e tranquilidade.

Você conhecia essas formas de garantir a segurança no trânsito? Comente o que mais poderia ser feito!

Fontes: CTB Digital; Maio Amarelo; Senado; Doutor Multas.

crowdfunding
Publicado em 02 de agosto de 2017.

Doutor Multas

O Doutor Multas começou em 2008, entre um chimarrão e outro, na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pelotas/RS. Uma conversa entre os amigos Gustavo Fonseca e seu sócio o Rodrigo Gonzalez, desde o início da faculdade, estavam insatisfeitos com o sistema atual. Passaram mais de 9 anos estudando muito as leis e resolveram agir e iniciar uma mudança. Foi criado o Doutor Multas a fim de fazer a diferença e mudar o Direito de Trânsito no Brasil.