Retrospectiva Politize: Setembro de 2020

Todos os meses o Politize! lança a retrospectiva do mês anterior. Essa é uma forma de lembrar e registrar alguns dos principais acontecimentos no Brasil e no mundo. Em tempos de paradoxo entre zilhões de informações nas redes e uma desinformação constante (cada vez mais pessoas acreditam em notícias falsas), o registro de fatos é um bom caminho para nos atermos à realidade. Além disso, com elas, esperamos auxiliar vestibulandos e concurseiros a se manterem atualizados para provas futuras.

Além das retrospectivas, você também pode acompanhar acontecimentos diretamente no nosso portal (textos de segunda à sexta) e nas redes sociais: Youtube; Twitter (@_politize), Facebook, Instagram (@_Politize)

O que aconteceu na Política Nacional?

Bandeira do Brasil

1) Posse de Luiz Fux no STF

No dia 10 de setembro, aos 67 anos, o carioca Luiz Fux tomou posse como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A ministra Rosa Weber, por sua vez, tomou posse como vice-presidente nas duas casas.

A eleição para a presidência do STF é feita entre os 11 ministros, de dois em dois anos. Aquele que conseguir ao menos 6 votos é eleito para o cargo de presidente, e o segundo colocado fica com o cargo de vice. Contudo, por tradição, o STF costuma eleger para presidente o vice-presidente da gestão anterior. No caso, essa tradição se manteve mais uma vez, com a eleição de Fux, que havia sido o vice na última gestão, do então presidente Dias Toffoli. Conheça um pouco mais sobre isso no nosso texto sobre o que faz o presidente do STF.

Fux é formado em direito pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e está no STF desde 2011, quando foi nomeado pela então presidente Dilma Rousseff. Em seu discurso na cerimônia de posse – que contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro; do presidentes do Senado, Davi Alcolumbre; do presidente da Câmara, Rodrigo Maia; do procurador-geral da República, Augusto Aras; e do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins – Fux trouxe que a harmonia entre os poderes não pode se confundir com subserviência (uma submissão voluntária a alguém ou alguma coisa):

“Meu norte será a lição mais elementar que aprendi ao longo de décadas no exercício da magistratura: a necessária deferência aos demais Poderes no âmbito de suas competências, combinada com a altivez e a vigilância na tutela das liberdades públicas e dos direitos fundamentais […] Afinal, o mandamento da harmonia entre os Poderes não se confunde com contemplação e subserviência”.

Você pode conferir a íntegra do discurso e o resumo no site do STF.

(Brasília – DF, 10/09/2020) Sessão Solene de Posse dos Senhores Ministros Luiz Fux e Rosa Weber nos cargos de Presidente e Vice-Presidente do Supremo Tribunal Federal. Foto: Marcos Corrêa/PR

(Brasília – DF, 10/09/2020) Sessão Solene de Posse dos Senhores Ministros Luiz Fux e Rosa Weber nos cargos de Presidente e Vice-Presidente do Supremo Tribunal Federal. Foto: Marcos Corrêa/PR

 

2) Convenções partidárias e definições de candidatos

O mês também foi marcado pelas convenções partidárias, que aconteceram entre 31 agosto e 16 de setembro. As convenções aconteceram de forma virtual, ou mixando formas virtuais e presenciais, pela primeira vez na história. O prazo serviu para a definição, pelos partidos, de seus candidatos a prefeitos, vice-prefeitos e vereadores (os cargos em disputa nas eleições 2020).

O passo seguinte, que se deu até dia 26 de setembro, foi o envio de requerimentos de candidatura, para análise do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Conforme trazido pelo G1, nesse ano houve um número recorde de candidatos inscritos. Foram 517.786 até o dia 26, mas nem todas foram deferidas pelo TSE na data, podendo algumas ainda serem reprovadas.

Logo do TSE

Logo do TSE

 

3) Nota de R$200

Por acaso você se deparou com algum meme envolvendo a nova nota de R$ 200, posta em circulação no dia 02 de setembro? Eles foram bem comuns e muita gente sugeriu animais para estamparem a nota. Até o “doguinho caramelo”, ilustrado aqui abaixo, chegou a ser sugerido. Caso não tenha visto, você pode conferir alguns desses memes neste post da CNN.

A nota de 200 foi a primeira da família do Real a ser lançada desde 2002, quando foi lançada a nota de R$20. A justificativa do Banco Central foi a de diminuir a circulação de dinheiro vivo, economizando com a impressão, assim como a de auxiliar no pagamento do auxílio emergencial, estimado em R$ 160 bilhões, que muita gente preferiu sacar nos bancos. Alguns argumentos contrários à nota, por sua vez, são o de que ela dificultará o troco, e poderá facilitar a lavagem de dinheiro, já que será possível acumular um maior valor com menos notas.

Você pode entender um pouquinho mais desse debate nesse podcast do Nexo.

4) Tombo histórico no PIB

Conforme divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no dia 01 de setembro de 2020, o Brasil teve uma queda recorde de seu PIB no segundo trimestre de 2020. O PIB caiu 9,7% em relação aos 3 primeiros meses do ano, e atingiu o mesmo patamar de 2009. Até então, a maior queda já registrada havia sido no último trimestre de 2008, quando o PIB caiu 3,8%. Se comparado ao segundo semestre de 2019, a queda é ainda maior, chegando a 11,4%.

Os únicos setores que não apresentaram queda foram a Agropecuária (que cresceu 0,4%) e Exportações (que cresceu 1,8%). Por outro lado, as principais quedas foram nos setores de Indústria (-12,3%), Serviços (-9,7%), Consumo das Famílias (-12,5%) e Investimentos (-15,4%).

Se você ainda não entende bem o que é PIB, temos um texto sobre isso para te explicar.

Foto: Marcello Casal/Agência Brasil.

Foto: Marcello Casal/Agência Brasil.

 

5) Mourão e o Leilão do 5G

Você já ouviu falar em 5G? A quinta geração de redes de comunicação móvel promete grandes avanços e tem gerado disputas globais em torno de quem serão os responsáveis por implementá-la. Se você ainda não está por dentro desse debate, calma que nós te explicamos tudo nesse texto sobre 5G.

E onde o Brasil entra nisso? Bom, com 225 milhões de aparelhos celulares, o Brasil é um grande mercado para o 5G. E no ano que vem será realizado o Leilão do 5G para definir quem será o responsável por implementar a rede no Brasil. Em meio a isso, o país está no centro de uma disputa entre China e Estados Unidos. Isso porque os Estados Unidos de Trump vem pressionando o Brasil para realizar o leilão sem a presença da empresa chinesa Huawei, uma das maiores do setor, que vem sendo combatida por Trump nos últimos anos, sob acusações de espionagem para o governo chinês.

E o que aconteceu em setembro? O vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, concedeu uma entrevista exclusiva a Agência de Notícias Xinhua (agência oficial do governo chinês) na qual ressaltou a amizade brasileira com a China e garantiu que o Leilão do 5G no Brasil seguirá critérios técnicos.

 “Nossas decisões nesta matéria, assim como em qualquer outra, serão soberanas e responsáveis, seguindo critérios técnicos, econômicos e de segurança nacional que forem estabelecidos por nossas autoridades competentes” (Mourão, em entrevista a Xinhua)

 

Imagem ilustrativa representado uma rede de 5g, com várias luzes azuis passando por uma cidade (Via: Pixabay)

Imagem ilustrativa representado uma rede de 5g, com várias luzes azuis passando por uma cidade (Via: Pixabay)

 

6) Aumento da insegurança alimentar no Brasil

No dia 17 de setembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: Análise da Segurança Alimentar no Brasil, que apontou o aumento da insegurança alimentar no Brasil, depois de uma tendência de queda apontada nas últimas pesquisas.

Conforme apontado pela DW e pela Agência Brasil, o percentual de domicílios brasileiros que possuem segurança alimentar caiu para 63,3% nessa pesquisa. Ele era de 77,4% na pesquisa realizada em 2013, e 65,1% em 2004. Ou seja, cerca de 36,7% dos domicílios brasileiros (25,3 milhões de lares) apresentam algum grau de insegurança alimentar. Desses, 24% possuem insegurança alimentar leve (16,4 milhões), 8,1% possuem insegurança alimentar moderada (5,6 milhões) e 4,6% possuem insegurança alimentar grave (3,1 milhões).

Na tabela abaixo, retirada da página 22 do relatório do IBGE, você pode conferir o que caracteriza cada grau de insegurança alimentar.

7) Saída de Dallagnol da Lava Jato

O então comandante da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e um dos nomes mais famosos da operação, Deltan Dallagnol, anunciou sua saída do comando da operação no começo de setembro (dia 1), em meio a fortes pressões. A justificativa dada por ele para a saída foi a de cuidar da saúde da filha, de 1 ano.

Dallagnol possui dois processos disciplinares contra ele, no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que estão suspensos. Você pode entender um pouquinho melhor disso nessa matéria do G1. Em seu lugar, assumirá o também procurador Alessandro José Fernandes de Oliveira.

Entenda um pouco mais sobre o que é a Operação Lava Jato.

Dental Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Foto: Vladimir Platonow/Agência Brasil.

Dental Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Foto: Vladimir Platonow/Agência Brasil.

 

E o que aconteceu na Política Internacional?

 

1) O mundo em combate ao coronavírus

Em 29 de setembro, o mundo atingiu a marca de 1 milhão de mortos por coronavírus desde o início da pandemia. Até o dia dessa retrospectiva (07/10), são 35.958.084 casos em todo o mundo. Os países com maiores números de casos são Estados Unidos (7.519.846), Índia (6.757.131), Brasil (4.969.141), Rússia (1.242.258) e Colômbia (869.808). Em número de mortos, a liderança segue com os Estados Unidos (211.343), seguindo por Brasil (147.494), Índia (104.555), México (82.348) e Reino Unido (42.605). Já em relação ao número de recuperados, a Índia está em primeiro (5.744.693), seguida por Brasil (4.430.340), Estados Unidos (2.952.390), Rússia (991.277) e Colômbia (770.812).

Enquanto isso, a iniciativa COVAX, que conta com 156 países e tem o objetivo de tornar universal (desenvolver e distribuir a todos) uma vacina para o coronavírus, ainda não conta com a participação das duas principais economias do mundo: Estados Unidos e China. No começo de setembro, o governo dos Estados Unidos reiterou que não irá se juntar à iniciativa.

Mapa de casos da John Hopkins. Imagem do dia 07 de outubro de 2020.

Mapa de casos da John Hopkins. Imagem do dia 07 de outubro de 2020.

2) Indicação do presidente do BID

Até esse ano, havia, no cenário internacional, uma tradição não escrita em relação a chefia de alguns dos principais órgãos de financiamento internacional. O Fundo Monetário Internacional (FMI) teria como presidente sempre um representante europeu; o Banco Mundial teria como presidente um representante dos Estados Unidos; e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) – criado para impulsionar o desenvolvimento da América Latina e Caribe em 1958 – teria como presidente um latino-americano.

Na última eleição para o BID, contudo, essa tradição foi quebrada, com a eleição de um cidadão dos Estados Unidos indicado por Trump, Maurício Claver-Carone para o cargo, no dia 12 de setembro. A eleição contou com 30 votos favoráveis a Claver-Carone – incluindo os de Brasil, Paraguai, Colômbia, Uruguai, Equador, Canadá, Japão e Bolívia – e 16 abstenções. Países como Argentina, Chile e México, assim como alguns países europeus, se opuseram a essa eleição e tentaram adiá-la para depois da eleição para a presidência dos Estados Unidos – na expectativa de que, se eleito, Joe Biden respeitaria a tradição – mas não obtiveram sucesso.

Você pode conferir um pouco mais dessa história nessa matéria do O Globo e nesta do El País.

Logo do BID

Logo do BID

3) Envenenamento do opositor russo

O governo da Alemanha informou, no dia 02 de setembro, que Alexei Navalny, ativista e opositor de Vladmir Putin (presidente Russo), estava internado em Berlim, vítima de um envenenamento pelo agente químico Novichok.

Navalny teria se sentido mal durante um voo, em 2o de agosto, com o avião tendo que fazer um pouso de emergência em Omsk, na Rússia. Em seguida, foi internado num hospital na Sibéria e, por fim, transferido para Berlim. Enquanto os médicos russos haviam apontado a ausência de veneno na corrente sanguínea de Navalny, os de Berlim apontaram não haver nenhuma dúvida da presença do veneno.

De acordo com a BBC, o Novichok surgiu em um laboratório do Uzbequistão – na época ainda dentro da URSS – em 1991. Por ser um veneno que necessita de um laboratório para ser sintetizado, existe a suspeita de envolvimento do Estado Russo, suspeita essa que é defendida por Navalny e seus aliados. O governo Russo, no entanto, nega ter qualquer envolvimento com o caso, afirma que não há qualquer espécie de prova para uma acusação e que torce pela recuperação de Navalny.

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que o governo russo é acusado de envenenamento. Recentemente, em 2018, o ex-espião russo, Sergei Skripal também foi envenenado. No caso dele, o envenenamento aconteceu em solo britânico.

O líder da oposição na Rússia, Alexei Navalny, envenenado, recebe alta médica (Via: Fotos Públicas)

O líder da oposição na Rússia, Alexei Navalny, envenenado, recebe alta médica (Via: Fotos Públicas)

4) Maior hidrelétrica na África

Na África, a construção da maior hidrelétrica do continente vem gerando polêmicas e tensões entre Egito, Sudão e Etiópia. Entre o final de agosto e início de setembro, essas tensões voltaram a se destacar, com o lançamento da música “Demo be Abay”, do astro etíope Teddy Afro. Na língua local, a música significa algo como “se nos desafiarem sobre o Nilo”, conforme apontado pela Folha.

Chamada de Gerd, sigla em inglês para Grande Represa do Renascimento da Etiópia, quando concluída, a usina se tornará a oitava maior do mundo, com potência equivalente a quase meia Itaipu. Mas por que ela gera polêmica?

Porque a água utilizada para a construção da barragem da hidrelétrica virá do Rio Nilo, que é fonte essencial de água não só na Etiópia, como também no Egito e no Sudão. O temor é que a hidrelétrica gere falta de água nos últimos dois países. Negociações entre os 3 já se arrastam por algum tempo, mediadas pela União Africana, mas um consenso ainda parece estar longe de ser alcançado.

Se quiser entender um pouco melhor essa história e os componentes históricos que a envolvem, temos duas indicações: esse texto da Folha de São Paulo, e esse podcast do Xadrez Verbal, que faz uma análise mais completa da situação.

Localização no mapa dos três países citados (Etiópia, Sudão e Egito). Em vermelho no mapa a localização do Rio Nilo no Egito. (Via: Google Maps)

Localização no mapa dos três países citados (Etiópia, Sudão e Egito). Em vermelho no mapa a localização do Rio Nilo no Egito. (Via: Google Maps)

 

5) Europa reluta em indenizar África

Ainda na África, setembro foi marcado pelo pedido de indenização no valor de 36 bilhões de euros (algo em torno de 225 bilhões de reais) feito por Burundi – país da região dos Grandes Lagos africanos – aos seus antigos colonizadores (Alemanha e Bélgica). O país esteve sob domínio estrangeiro entre 1890 e 1962, sendo que o domínio alemão se estendeu até 1917, com a Primeira Guerra Mundial, e o belga dali em diante, até a independência. O argumento para isso, além dos trabalhos forçados e situações humilhantes pelos quais os colonos tiveram de passar, é a existência de um decreto belga de 1931, que dividiu a população em 3 grupos étnicos: hutus, tutsis e twas (tanto ali como em Ruanda). Essa divisão é apontada como uma das principais causas dos conflitos étnicos e da Guerra Civil de Burundi (1993-2005).

O pedido de Burundi se soma a outros que crescem na África, em busca de reparações históricas. Até o momento, no entanto, o único colonizador que desembolsou alguma quantia para isso foi o Reino Unido, em 2013, quando indenizou 5.000 sobreviventes quenianos, por ordem judicial, depois de perder uma ação nos tribunais britânicos. Você pode entender um pouco mais desse caso e do debate que ele envolve nesta matéria do El País.

Localização de Burundi no mapa da África. (Imagem: Google Maps)

Localização de Burundi no mapa da África. (Imagem: Google Maps)

6) Assembleia Geral da ONU

Outro acontecimento que não poderíamos deixar de mencionar foi a 75ª reunião da Assembleia Geral da ONU que, por conta da pandemia, aconteceu pela primeira vez de forma virtual. O Brasil, como sempre, foi o primeiro país a falar, com o discurso de Jair Bolsonaro. Os discursos aconteceram entre 22 e 26 de setembro. Se quiser, você pode acessar o vídeo de qualquer um deles diretamente no site das Nações Unidas.

Brasilia DF 22 09 2020 O presidente Jair Bolsonaro fala na abertura do encontro de chefes de estado da ONU (Via: Fotos Públicas)

Brasilia DF 22 09 2020 O presidente Jair Bolsonaro fala na abertura do encontro de chefes de estado da ONU (Via: Fotos Públicas)

7) Primeiro debate presidencial nos Estados Unidos

Por fim, no dia 30 de setembro aconteceu o primeiro debate entre os dois candidatos a presidência dos Estados Unidos. Donald Trump (atual presidente), do partido Republicano, e Joe Biden (vice-presidente da gestão Obama), do Partido Democrata. O debate foi marcado por várias falas simultâneas e foi um dos mais tensos da história dos Estados Unidos.

A BBC comentou os principais tópicos que apareceram no debate (Pandemia, Amazônia, Família, Violência e Justiça Racial e Fraude Eleitoral) neste texto, caso você queira conferir. Se preferir, você também pode acompanhar o debate inteiro dublado por aqui. E quais os resultados dele? As pesquisas nos Estados Unidos apontaram um crescimento de Biden após o debate.

E você? Quer entender melhor como funcionam as eleições nos Estados Unidos. Te explicamos neste texto e no vídeo abaixo:

Alguns outros acontecimentos:

1) CBF e as diárias do futebol feminino

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou, no dia 02, que vem pagando, desde março, diárias iguais para os jogadores da seleção masculina e feminina de futebol durante o tempo em que estão convocados. De acordo com o presidente da CBF, Rogério Caboclo, nas Olimpíadas de 2021, as premiações recebidas pelas mulheres por conquista e avanços no futebol também serão iguais às recebidas pelo futebol masculino. Na Copa do Mundo, contudo, as premiações ainda continuam diferentes. Que tal conferir nosso texto sobre os valores das premiações da última Copa do Mundo feminina?

Mundial de Futebol Feminino – França 2019 – Brasil vence a Itália por 1x 0 com gol de Marta (Via: FotosPúblicas)

2) Emmy 2020

Setembro também foi mês da 72ª edição do Emmy Awards, premiação anual concedida pela Academia de Artes e Ciências Televisivas dos Estados Unidos para as séries, minisséries e filmes televisivos que mais se destacaram no ano anterior. Dessa vez, foram analisadas produções exibidas nos Estados Unidos entre 1 de junho de 2019 até 31 de maio de 2020. Por conta da pandemia do coronavírus, a cerimônia deste ano foi feita de forma virtual.

E quem foram os grandes vencedores? Destaque para a sitcom Schitt’s Creek, que ganhou em todas as categorias que disputou, levando 7 prêmios. Outra série que se destacou foi a minissérie dramática de super-heróis Watchmen, que levou 11 prêmios, incluindo categorias técnicas e o de Melhor Minissérie e Melhor Roteiro em Minissérie. Para fechar, o outro destaque foi a comédia dramática Succession, que levou cinco prêmios, inclusive o de melhor série dramática. Você pode conferir todos os vencedores nesse post do Omelete.

Estatueta do Emmy (Via: VisualHunt)

Estatueta do Emmy (Via: VisualHunt)

O que achou da retrospectiva? Lembra de algum acontecimento importante que não comentamos? Traga nos comentários!

Publicado em 07 de outubro de 2020.

 

Danniel Figueiredo

Um dos coordenadores do Portal e da Rede de Redatores do Politize!. Graduando em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina. Apaixonado por política internacional e pelo ideal de tornar a educação política cada vez mais presente no cotidiano brasileiro.

 

Referências:

G1 (Posse de Fux no STF) – STF (Íntegra do discurso de Fux)STF (Resumo do discurso de Fux)TSE (Sobre as convenções partidárias) – G1 (Recorde de candidaturas) – CNN (Memes sobre a nota de R$200) – G1 (18 anos sem um lançamento de nota nova) – BBC (Argumentos contra a nota de R$200) – Nexo (Podcast sobre a nota de R$200) – G1 (Queda recorde do PIB) – El País (Combate de Trump à Huawei) – Xinhuanet (Entrevista de Mourão) – IBGE (Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018) – DW (Sobre a pesquisa de orçamentos familiares) – Agência Brasil (Sobre a pesquisa de orçamentos familiares) – G1 (Saída de Dallagnol) – Estado de Minas (Justificativa de Dallagnol para a saída) – Uol (1 milhao de mortos por COVID-19) – Washington Post (Estados Unidos não se juntará a COVAX) – O Globo (Novo presidente do BID) – El País (Novo presidente do BID) – G1 (Médico russo aponta ausência de veneno em opositor russo) – G1 (Hospital alemão aponta presença de veneno em opositor russo) – BBC (Opositor russo envenenado) – G1 (Navalny acusa Putin de estar por trás do envenenamento) – DW (Rússia nega envolvimento com envenenamento) – G1 (Sobre o envenenamento de Sergei Skripal) – Folha (Sobre as disputas envolvendo a maior hidrelétrica da África) – Xadrez Verbal (Sobre a hidrelétrica da Etiópia) – ElPaís (Sobre o pedido de indenização de Brunei) – Discurso de Bolsonaro na ONU – ONU (Todos os discursos da Assembleia Geral) – BBC (Principais pontos do debate dos Estados Unidos) – Correio Braziliense (Biden cresce após debate) – El País (Paridade de diárias na seleção)Omelete (Vencedores do Emmy 2020)

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar no debate?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *