Como o enquadramento de notícias influencia a opinião pública

Foto: Reprodução/Viccari.blogspot.com.br

enquadramento-de-noticias

No século XV, foi dado o primeiro passo para a difusão de informações. A prensa móvel, a invenção do alemão Johannes Gutenberg, originou a comunicação de massa ao permitir que um mesmo conteúdo fosse reproduzido em larga escala e assim alcançasse muitas pessoas. Na sociedade contemporânea, o jornalismo é uma das principais atividades responsáveis por informar e moldar a opinião pública. No entanto, ao contrário do que pensa grande parte da população, o jornalismo não informa com isenção e neutralidade. Os meios de comunicação possuem seus critérios de abordagem de temas e utilizam certos mecanismos para elaborar suas mensagens, como o enquadramento de notícias.

A relação entre imprensa e política

Antes de entender o que é o enquadramento noticioso, é importante conhecer melhor o papel que o jornalismo exerce na sociedade. Em geral, a atividade jornalística é responsável por mediar assuntos de interesse popular e informar dados e acontecimentos importantes para cada grupo social, de acordo com seus aspectos culturais. Essa mediação acontece por meio de diferentes gêneros jornalísticos, como a notícia, a reportagem e o artigo de opinião.

Um dos principais campos sociais abordados na imprensa é a política. Repare, por exemplo, que frequentemente os acontecimentos da política nacional são manchetes de jornais, assuntos mais acessados nos portais de notícias e matérias de destaque em programas de rádio e TV. Todo discurso que a imprensa veicula sobre política, e sobre qualquer outro assunto, é influenciado por contextos sociais, crenças e, principalmente, interesses econômicos, já que os grandes veículos de comunicação da imprensa brasileira são empresas privadas.

O discurso midiático muitas vezes gera efeitos diretos na tomada de decisões. O processo de impeachment e a Operação Lava Jato são exemplos de ocasiões em que a imprensa interferiu no rumo de resoluções políticas com publicações de denúncias, declarações polêmicas e delações. Eleições também são momentos em que a imprensa exerce grande influência, já que o teor das informações divulgadas podem construir imagens positivas ou negativas sobre os candidatos e influenciar a escolha dos cidadãos.

O que é o enquadramento noticioso?

Foto: Pexels.

Na maior parte do estudo de Jornalismo, considera-se que nenhuma informação divulgada na mídia é uma verdade absoluta. Cada notícia é resultado de uma perspectiva sobre um acontecimento e o relato sobre esse mesmo episódio pode ser feito sob outros pontos de vista sem que sejam ditas mentiras.

Como foi dito anteriormente, uma das estratégias de abordagem jornalística é o enquadramento. Trata-se do processo em que os jornalistas escolhem palavras para a elaboração de uma ideia, hierarquizam informações, aprofundam ou não a discussão sobre um assunto e selecionam dados e imagens para compor uma matéria. Tudo isso molda a forma como uma realidade é construída e, consequentemente, compreendida pela população.

Na prática, acontece assim: vamos supor que um governante é acusado de estar envolvido em esquemas de corrupção e, imediatamente, posta um texto em suas redes sociais se defendendo da acusação. Um jornal noticia o acontecimento com o título “Governante é acusado de participar de esquemas de corrupção”. Paralelamente, outro jornal publica uma matéria com o título “Governante defende sua integridade e afirma que não tem envolvimento com escândalos de corrupção”. Trata-se de um exemplo simples em que os dois títulos possuem informações verídicas – a acusação e a declaração do governante – e abordam o mesmo assunto. Porém, os enquadramentos são diferentes. O corpo da notícia abaixo de cada título também vai possuir enquadramentos distintos, seguindo a perspectiva inicialmente apresentada.

As atitudes dos cidadãos em relação à notícia também podem ser moldadas de acordo com o enquadramento utilizado. Hoje em dia, os estudos sobre jornalismo não consideram mais a ideia de que as pessoas absorvem diretamente o conteúdo da mídia sem fazer qualquer tipo de leitura crítica. Porém, é praticamente consensual dentro do Jornalismo que a imprensa é responsável por promover debates sobre certos assuntos e também o esquecimento de outros, que não são frequentemente abordados nos meios de comunicação.

Mas, afinal, como podemos identificar o enquadramento noticioso?

Antes de tudo, vamos retomar uma informação importante: um dos critérios que definem o enquadramento de uma notícia é o interesse político e econômico do veículo de comunicação. Sendo assim, o primeiro passo para desvendar a angulação de uma matéria é conhecer as características dos grupos responsáveis pela mídia em questão. Sites como o do Fórum Nacional em Defesa da Democratização da Comunicação possuem conteúdos direcionados para a sociedade civil que podem apresentar informações como essa.

Outra forma de perceber o enquadramento de uma notícia é buscar fontes de informação em veículos de naturezas diferentes. Se você costuma ler notícias de grandes veículos de comunicação nacionais, é importante que você também separe um tempo para ler sobre um mesmo assunto em sites de jornais internacionais que atuam no Brasil ou em veículos independentes e produzidos por comunidades e organizações populares. Com essa prática, é possível comparar diferentes abordagens e trabalhos jornalísticos.

Por fim, uma forma muito utilizada por cientistas da comunicação é observar os termos utilizados na composição de uma notícia. Por exemplo, em casos de manifestações de rua, a mídia costuma se referir aos participantes desde ativistas, manifestantes ou baderneiros e vândalos. A escolha de palavras indica um juízo de valor sobre o acontecimento e qual a mensagem que a imprensa espera passar para a sociedade.

Na maioria das vezes, o enquadramento que uma matéria jornalística possui não é percebido pelo público. Portanto, o conhecimento sobre os processos e critérios de construção da notícia é relevante para que cidadãos possam interpretar criticamente as informações que recebem e terem mais segurança para formarem suas opiniões.

Fontes

CASTILHO, M. M.; GUIMARÃES, I. P; HENRIQUES, M. N.; SILVEIRA, A.C.M. Enquadramento Jornalístico. In: XIII CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO SUL, 13. 2012, Chapecó. Anais… Chapecó: Universidade Comunitária da Região de Chapecó, 2012. p. 3.

LEAL, Paulo Roberto Figueira; MOREIRA, Talita Lucarelli; OLIVEIRA, Luiz Ademir de. Convergências e contrapontos: análise da cobertura da marcha da família com deus pela liberdade em 1964 e das manifestações de junho de 2013 na Folha de São Paulo. In: XIII Congresso Brasileiro de Comunicação Política e Marketing Eleitoral, promovido pela Sociedade Brasileira dos Profissionais e Pesquisadores de Comunicação e Marketing Político – POLITICOM, 13. 2015, São Paulo. Anais… São Paulo: Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, 2015. p. 4.

crowdfunding
Publicado em 29 de junho de 2017.

Christinny Garibaldi

Graduanda do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Juiz de Fora e pesquisadora de Comunicação e Política pelo Programa de Educação Tutorial da Faculdade de Comunicação – UFJF.