Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Print Friendly, PDF & Email

Evasão escolar: 5 fatos sobre jovens fora da escola

Saída da escola. Fonte: Domínio Público / Pexels.com

Este é o primeiro texto de uma trilha de conteúdos sobre Evasão escolar. Confira os demais posts da trilha: 1 – 2 – 3 – 4 – 5

Ao terminar de ler este conteúdo, você terá concluído 20% desta trilha 🙂

Você já deve ter ouvido falar sobre a Reforma do Ensino Médio ou que o ensino médio no Brasil precisa ser reinventado. O que talvez você não saiba é que este problema é muito maior do que parece, e que tem consequências sérias para o Brasil. O GESTA Engajamento Escolar, um novo portal que disponibiliza de forma simples e dinâmica informações de interesse público, chegou a 5 fatos sobre a evasão escolar no país.

Eles são resultado de um estudo inédito desenvolvido pelo economista Ricardo Paes de Barros, com apoio do Insper, do Instituto Ayrton Senna, da Fundação BRAVA e do Instituto Unibanco, que traz dados relevantes sobre o impacto dos jovens não terminarem Ensino Médio no Brasil. Descubra agora!

1) O Brasil não cumpriu a meta de jovens no Ensino Médio

Nossa Constituição de 1988 diz que todas as crianças e jovens de 0 a 17 anos têm o direito à educação. Mas o que isso quer dizer? Que todo mundo até 17 anos deve frequentar a escola. O Estado tem o dever de oferecer acesso e manter esses jovens na escola. Se isso não acontece, é porque falhamos em garantir os seus direitos sociais e em cumprir o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Para você ter uma ideia, o Plano Nacional de Educação colocou como meta para 2016 ter 100% dos jovens cursando o ensino médio. Acontece que 2016 já passou e ainda não evoluímos nem um pouco. Estamos praticamente no mesmo lugar desde a virada do milênio, quando 25% dos jovens de 15 a 17 anos estavam fora da escola.

De fato, neste período melhoramos a oferta de vagas nas escolas e as notas dos alunos, mas pouco adianta se grande parte dos jovens não está na escola para aproveitar o aprendizado.

2) Quase 3 milhões entre 15-17 anos não frequentam o Ensino Médio

Atualmente temos cerca de 10 milhões de jovens entre 15 e 17 anos no Brasil. A princípio todos deveriam estar na escola. Só que todo ano 1,5 milhão de jovens sequer se matriculam no início do ano letivo. Outros 700 mil abandonam a escola durante o ano letivo. Ainda outros 600 mil são reprovados por faltas. Ou seja, no final das contas, há 2,8 milhões de jovens que não estão na escola e 7,2 milhões que estão – um número assustador de 27% dos jovens fora da escola.

3) 74% dos países evoluem para solucionar este problema mais rapidamente que o Brasil

As taxas de frequência escolar no ensino médio estão praticamente estagnadas nos últimos 15 anos. Nosso crescimento está na ordem de 0,1 ponto percentual ao ano, muito abaixo da média de países de renda média, de países da América do Sul ou até mesmo de países com alta renda. Se continuarmos nesse ritmo, serão necessários mais de 200 anos até conseguirmos resolver o problema e ter 100% dos jovens no ensino médio. Enquanto outros países estão evoluindo, o Brasil parou no tempo. Por conseguinte, o Brasil vem perdendo posições no cenário mundial. Por isso, o momento para agir é agora.

Nota sobre o gráfico: os dois estados que mais evoluíram foram Pará e Espírito Santo; a linha vermelha é o Brasil seguindo no ritmo atual; e a linha azul é o ritmo que precisaria acontecer para eliminar o problema em 10 anos.

4) Quem se forma no ensino médio ganha mais do que quem abandona os estudos

Se formar do ensino médio é bom para a carreira do jovem. Se analisarmos dois homens moradores de zonas urbanas no sudeste, um que se formou do ensino médio e o outro que não se formou, veremos que o que se formou na escola ganha, aos 35 anos, 122% a mais do que o que não se formou. Além disso, essa mesma pessoa que se formou tem 54% mais chances de ter um emprego formal, com carteira assinada.

Terminar o ensino médio também gera um ciclo positivo. Filhos de indivíduos que se formaram no ensino médio tem uma probabilidade maior de também se formarem e de se formarem no tempo previsto. Filhos de pais com educação média tem quase o dobro de chance de serem bem sucedidos nesse sentido, quando comparado a filhos de pais com educação básica incompleta.

5) Jovens fora da escola dão prejuízo para o país

Todo ano, o Brasil perde R$100 bilhões em consequência do nível alto da evasão escolar. Não estar na escola não é só prejudicial para o indivíduo que sai: é prejudicial para todos nós e impacta o nosso dia a dia de forma muito concreta! Jovens fora da escola trazem uma série de problemas para a sociedade como um todo.

As principais consequências para a sociedade se relacionam à violência e criminalidade, saúde e desenvolvimento econômico. No campo da segurança pública, a relação entre escola e crime é clara: muitos jovens que saem da escola se envolvem com o tráfico de drogas e com organizações criminosas. Estima-se que para cada jovem que não conclui o ensino médio, o país tem um gasto de R$18 mil reais a mais no combate à violência e criminalidade. A educação também aumenta a expectativa de vida e saúde da pessoa, pois quem estuda tende a ser mais positivo sobre a sua vida, cuidar mais do bem-estar e da saúde. Estima-se que o custo social na área da saúde seja de R$28 mil reais por jovem que não conclui o ensino médio. Por fim, no campo econômico, o jovem que não conclui o ensino médio não emprega tantas outras pessoas e geralmente leva uma força de trabalho com menos escolaridade, assim deixando de atrair investimentos e reduzindo o potencial aumento de riquezas do país. Estima-se que este custo de oportunidade seja na ordem de R$49 mil por jovem que não conclui o ensino médio.

Considerando que a cada ano temos 1 milhão de jovens que não conclui o ensino médio e somados todos estes componentes, chegamos nos R$100 bilhões por ano de custo social da evasão escolar para o país. Pois bem, se tivéssemos 100% dos jovens na escola, o Brasil poderia crescer e se desenvolver social, política e economicamente. A experiência escolar leva a uma sociedade mais justa, mais igualitária, mais próspera.

O GESTA já está no ar e nele você pode encontrar vídeos e infográficos sobre evasão escolar, além de 14 motivos que causam o desengajamento, mais de 240 políticas nacionais e internacionais para combater esse problema e algumas sugestões para políticas e ações voltadas para jovens do ensino médio. Vale a pena conferir!

Publicado em 30 de outubro de 2017.

Somos uma vitrine de conteúdos de interesse público: um espaço virtual que apresenta de forma clara e dinâmica os principais desafios do Brasil, suas causas e consequências, e os possíveis caminhos para melhorar e transformar nossa sociedade.

Coordenadora do GESTA e Portal Meu Município, formada em ciências políticas na Brown University e entusiasta pelo uso disruptivo de dados abertos, tecnologia e comunicação para promover uma cultura de políticas públicas baseadas em evidências.