Eleições 2016: conheça o perfil dos candidatos

Estamos a cerca de um mês das eleições municipais. Vamos escolher a esmagadora maioria dos ocupantes de cargos eletivos no país, o que torna este um momento extremamente importante para a nossa democracia. Neste post apresentaremos o perfil dos candidatos das eleições municipais de 2016.

Para que nós, eleitores, possamos votar da maneira mais consciente possível, é fundamental que conheçamos muito bem os candidatos. Mas fazer esse trabalho não é nada fácil, afinal cada município reúne centenas de candidatos a vereador e a prefeito.

Evidentemente, esse perfil não dá conta da grande diversidade de pessoas concorrendo à Prefeitura ou à Câmara de seus municípios, mas ajuda a perceber as características mais presentes nas candidaturas.

Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral e referem-se às 490 mil candidaturas já computadas nestas eleições. Eles englobam tanto candidatos a prefeito, quanto candidatos a vereador (o TSE não disponibiliza dados separadamente para cada cargo).

Que tal baixar esse infográfico em alta resolução?

Plebiscito

69% dos candidatos são homens, mais uma demonstração de que o mundo da política é dominado pelo gênero masculino. A proporção de quase 70% é explicada por motivos legais: por lei, pelo menos 30% dos candidatos precisam ser mulheres. É possível que, sem esta lei, tivéssemos uma proporção ainda menor do gênero feminino nas eleições. Segundo a Secretaria de Políticas para as Mulheres, mulheres são 13% entre vereadores e 12% entre prefeitos.

Escolaridade: maioria completou nível médio

Quatro em cada dez candidatos completaram o ensino médio. Mas cerca de um quarto dos candidatos foi ainda mais longe: completaram o ensino superior. A escolaridade dos candidatos aparentemente é um pouco mais elevada do que a média da população. Segundo o Instituto Data Popular, em 2013, apenas 36% dos brasileiros tinham ensino médio, fosse incompleto ou completo.

Etnia: brancos e pardos compõem a maioria

52% dos candidatos se declararam brancos. Outros 39% declaram-se pardos. Os 9% restantes incluem negros, índios, entre outras etnias. Essas proporções diferem pouco da composição étnica revelada no Censo de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que revelou que 47% dos brasileiros são brancos; 43% pardos; e os 10% restantes são em sua maioria negros, amarelos e indígenas.

jornada-do-candidato

Idade: maioria já passou dos 40

Os cargos de vereador e prefeito são os menos exigentes em termos de idade. Qualquer pessoa maior de 18 anos pode se tornar vereadora. Já a idade mínima para prefeito é de apenas 21 anos. (Temos um post explicando todos os requisitos básicos que um candidato deve cumprir para concorrer a um cargo eletivo.)

Mas, na prática, é muito difícil que jovens tenham chances de alcançar um mandato político tão cedo. A maioria dos concorrentes das eleições municipais deste ano já chegou à casa dos 40 anos. Há menos candidatos na faixa de 20 a 24 anos do que na faixa de 60 a 64 anos, o que sugere uma dificuldade maior para os jovens no mundo da política (algo esperado, já que eles estão apenas iniciando suas carreiras).

Ocupação dos candidatos

A maior diversidade de perfil ocorre no quesito ocupação profissional. O maior grupo, de cerca de 88 mil candidatos, assinalou a opção “Outros” como profissão, o que torna os dados menos precisos. Depois disso, a profissão mais assinalada é a de agricultor, seguida de perto por servidor público municipal, comerciante e empresário. 

Em resumo…

Se tivéssemos que definir um padrão, o perfil dos candidatos nestas eleições é de um homem, branco, de meia idade, com escolaridade média, cuja ocupação primária pode ser agricultor, servidor público ou comerciante.

Agora que você conhece o perfil dos candidatos, você pode começar a pesquisar especificamente sobre os candidatos de seu município: entenda como conhecer melhor as propostas e a trajetória dos candidatos.

Publicado em 29 de agosto de 2016.

Bruno André Blume

Bacharel em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e editor de conteúdo do portal Politize!.