Navegue por categoria

Democracia Cristã (DC): o partido que escreveu Deus na Constituição

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

E se a gente te contasse que um dos partidos com maior destaque eleitoral no Brasil possui princípios e valores ligados à filosofia da democracia cristã?

Coincidentemente, o nome deste partido é Democracia Cristã (DC), cuja história se inicia logo após o fim do Estado Novo. A legenda já passou por processos de extinção, renomeação, conflitos e coleciona grande número de candidatos eleitos.

Acompanhe a história do Democracia Cristã, o partido que adicionou o nome de Deus na Constituição Federal de 1988. 

Veja também nosso vídeo sobre o Brasil ser ou não ser laico!

Origem do partido Democracia Cristã (DC)

Logotipo do partido democracia cristã (dc) apresentando um '27' dourado estilizado com um anel, sobre fundo azul com o nome do partido.
Logotipo do Democracia Cristã (DC). Imagem: Wikipédia.

O Democracia Cristã, cujo número eleitoral é 27, foi fundado em 1995, porém obteve o registro apenas em 1997, adotando o nome Partido Social Democrata Cristão (PSDC). Somente em 2017, o partido adotou o nome atual, sendo oficializado pelo TSE em 2018.

Para entender a origem desse partido, é necessário voltar uns anos na história. Vamos falar sobre a Segunda Guerra Mundial. Qual a ligação do Democracia Cristã com este evento histórico?

Segundo o próprio site do partido, a Democracia Cristã se expandiu no Brasil seguindo o exemplo da Europa. Isso porque, esta filosofia já estava presente no continente desde o século XIX, baseando-se nos princípios da dignidade humana, ou seja, colocando o indivíduo como elemento central do processo político-social, destacando a solidariedade e os valores de justiça e liberdade.

Os principais pensadores responsáveis por propagar a Democracia Cristã no século XX foram: Jacques Maritain, Emmanuel Moriner, Étienne Gilson e Louis-Joseph Lebret.

A partir desta filosofia, Alcide de Gasperi fundou o Partido Democrata Cristão (PDC) na Itália, em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, formando uma das principais resistências ao nazismo europeu.

Veja também: Você sabia que o Brasil esteve na Segunda Guerra Mundial?

No Brasil, em 1945, Cesarino Júnior, professor de Direito da USP, foi um dos fundadores do Partido Democrata Cristão (PDC), na cidade de São Paulo (SP). A partir desse novo partido, políticos como Jânio Quadros, Franco Montoro, José Richa e Nelson Marchezan ingressaram na vida pública.

Sua história tem uma pausa de alguns anos, pois durante a Ditadura Militar e o Ato Institucional 2, o partido foi extinto. Entretanto, foi refundado 20 anos depois, em 1985, a partir da reabertura política e a volta da democracia ao país.

Leia mais: Entenda o que foram os Atos Institucionais

Antes do PDC tornar-se DC, em 1993 fundou-se com o Partido Democrático Social (PDS), porém esta fusão não foi bem aceita pela base do partido. Foi então que, em 1995, liderado pelo então deputado federal constituinte, José Maria Eymael, que o Partido Social Democrata Cristão (PSDC) foi fundado, acrescentando o “S” à antiga sigla a fim de enfatizar o compromisso com a justiça social e solidariedade. 

Mudança de nome: de PSDC para DC

A mudança de nome do partido ocorreu em 2017, no contexto da crise político-econômica de 2014, pois a organização pretendia obter melhores resultados nas eleições seguintes.

A troca de nome foi uma estratégia adotada por diversos partidos na época, visando desassociar-se dos  escândalos de corrupção e proteger suas imagens  perante os eleitores.

É possível associar esta medida ao desgaste da classe política tradicional brasileira, levando a diversos rebatismos e criação de novas siglas partidárias que inauguraram nas eleições de 2018. Alguns exemplos de partidos que mudaram de nome foram:

  • PTN, tornou-se Podemos;
  • PTdoB, tornou-se Avante;
  • PEN, tornou-se Patriota;
  • PP, tornou-se Progressistas;
  • PMDB, tornou-se MDB;
  • Dentre outros.

Feito isso, em 2018, Eymael, presidente do partido, oficializou sua candidatura à presidência do Brasil, sendo a sua quinta disputa para o cargo. O saldo eleitoral de sua candidatura foi de 41.710 votos (0,04% das intenções de voto), sendo a sua menor votação desde o seu primeiro lançamento como candidato, em 1998.

Bandeiras políticas

O Democracia Cristã é um partido de centro-direita, de orientação democrata cristã e tem como principal bandeira política, a defesa da liberdade, justiça social e solidariedade. Segundo o seu programa político, repudia tanto o capitalismo selvagem, que não promove a justiça, quanto o marxismo que retira a liberdade dos indivíduos. 

Portanto, o partido defende a filosofia da democracia cristã, que promove os valores da justiça sem destruir a liberdade, através da prática da solidariedade. Além disso, acreditam que o cidadão deva estar no centro do processo político, social e econômico, dessa forma, o Estado deve estar a serviço da sociedade, não o contrário.

O Democracia Cristã também acredita que, para a existência da sociedade ideal e plenamente democrática, deve haver uma efetiva igualdade de oportunidades e iguais condições de desenvolvimento. Da mesma forma, a dignidade é um direito inalienável da pessoa humana e, por isso, deve ser assegurado a todos o direito à moradia, à saúde, à educação, ao trabalho com remuneração justa, à segurança e à liberdade responsável de expressão.

O partido defende os valores cristão e, nesse sentido, durante a Assembleia Nacional Constituinte, no processo de redemocratização do país, o Democracia Cristã defendeu a permanência do nome de Deus no preâmbulo da Constituição Federal de 1988.

Ainda nesse contexto, algumas das propostas defendidas pelo partido foram:

  • A valorização da família;
  • O apoio às micro, pequenas e médias empresas;
  • O apoio à educação, à cultura e à defesa do meio ambiente;
  • O combate a toda e qualquer forma de corrupção ou abuso, no trato da coisa pública.

Desempenho eleitoral do DC

Vamos fazer um breve histórico do desempenho do DC nas eleições desde a redemocratização do Brasil.

Vamos começar por 1986, ano em que o Democracia Cristã elegeu cinco deputados federais constituintes, incluindo José Maria Eymael, o presidente do partido. Foram mais de 72 mil votos distribuídos pelo estado de São Paulo.

Nas eleições de 1990, o PDC cresceu consideravelmente, elegendo 22 deputados federais, dois senadores (um por Amazonas e outro por Maranhão), passando a ocupar quatro cadeiras no Senado (já tinham um senador pelo Espírito Santo e outro por Goiás).

Outra eleição de destaque foi as eleições de 1992, quando foram eleitos 211 prefeitos e centenas de vereadores em diversas cidades do país.

Devido ao seu desempenho até este momento, em 1993, apenas oito anos após o seu ressurgimento, o PDC já era considerado uma das principais forças políticas do país.

Em 1998, após mudar o nome para PSDC, o deputado federal constituinte, José Maria Eymael, concorreu ao cargo de presidente da República pela sigla. O destaque de sua campanha foi ter sido o único candidato ao cargo a visitar todos os estados brasileiros, sem exceção.

Outro notável crescimento foi nas eleições municipais de 2000, quando a legenda elegeu uma bancada de vereadores quatro vezes maior em relação às eleições municipais de 1996.

Os anos 2000, foi o período em que a legenda alcançou a imagem de um partido nacional e independente em todo o país. Destaque para as eleições municipais de 2012, quando o PSDC elegeu 457 vereadores em 11 capitais brasileiras, alcançando um total de um milhão e seiscentos mil votos.

Já nas eleições de 2020, o partido elegeu apenas uma prefeitura (em Bom Município, no Piauí) e 123 vereadores pelo país.

Conclusão

Como vimos ao longo do texto, o DC enfrentou alguns desafios ao longo da história, porém continua a ser um partido de destaque na política brasileira. Uma característica marcante no partido é a sua fidelidade aos seus princípios fundamentais desde a época de sua fundação, orientando a sua construção política.

O Democracia Cristã é um partido que tanto no passado, quanto no futuro, buscou reinventar-se e compreender as novas demandas da sociedade para os representantes políticos. 

E aí, conseguiu entender um pouco mais sobre o partido Democracia Cristã? Deixe sua opinião nos comentários!

Referências:

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

1 comentário em “Democracia Cristã (DC): o partido que escreveu Deus na Constituição”

  1. Na verdade não foi Deus que estes partidos colocaram na política , foi a podridão fétida de usar o nome de Deus para proteger os crimes perpetrados por seguidores de certas “religiões”. Deus certamente não está em NENHUMA DESSAS CHAPAS, OU IGREJAS DISVARÇADAS DE PARTIDOS POLITICOS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Faço parte da equipe de conteúdo da Politize!. Cientista social pela UFRRJ, pesquisadora na área de Pensamento Social Brasileiro, carioca e apaixonada pelo carnaval.

Democracia Cristã (DC): o partido que escreveu Deus na Constituição

15 jul. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo