Empreendedorismo Social: o que é esse conceito?

O empreendedorismo social tem ganhado força no país. Já são mais de 17 milhões de pequenos negócios e, entre eles, mostram-se soluções sustentáveis e que ajudam a melhorar as condições de vida das comunidades. A seguir, vamos conhecer um pouco mais das referências do empreendedorismo social e um exemplo de organização que tem feito a diferença no ecossistema de impacto brasileiro.

O que é empreendedorismo social?

Empreender é observar oportunidades de novos negócios e agir para solucionar possíveis “dores” dos clientes. Ao unir este conceito com o de impacto social, começamos a conhecer um universo de soluções que visam dar apoio a pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica e gerar impacto positivo ao meio ambiente. O que os empreendimentos de impacto e negócios sociais visam é estar além do lucro, beneficiando, primeiramente, as pessoas.

Uma das principais referências do empreendedorismo social é Muhammad Yunus, economista e banqueiro que fundou o Banco Grameen, com sede em Bangladesh, cujo objetivo principal é fornecer microcrédito para que famílias pobres. Assim, todos poderiam obter empréstimos concedidos por instituições sem fins lucrativos, com taxas de juros adequadas à realidade das famílias. O objetivo de Yunus era acabar com a pobreza e suas ações o levaram a receber o Prêmio Nobel da Paz, em 2006.

Assim como Yunus, muitos empreendedores têm impactado a realidade de pessoas no Brasil e no mundo. Algumas referências e dados sobre negócios sociais podem ser encontrados em sites como Artemisia, Phomenta – aceleradoras de negócios brasileiros – e na Pipe.Social – que faz o mapeamento dos negócios e empreendedores de impacto do país.

Entre os estudantes universitários, uma das principais organizações fomentadoras de projetos de empreendedorismo social é a Enactus.

O que é Enactus? 

A Enactus é uma organização presente em 37 países que engaja alunos de diferentes instituições de ensino com apoio de professores e líderes de negócios, para desenvolver projetos de impacto social, beneficiando comunidades locais por meio de modelos de negócios sustentáveis, vivenciando o aprendizado na prática.

O programa dá a oportunidade de estudantes e professores de qualquer IES brasileira se conectarem com outras 120 universidades do Brasil, já participantes do programa. A rede possui mais de 200 professores e 2800 estudantes que desenvolvem 240 projetos ao redor de 21 estados brasileiros, impactando a vida de mais de 20.000 pessoas.

Os projetos são desenvolvidos de forma independente por cada time, sob orientação de coordenadores de projeto do escritório da Enactus Brasil, e são alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Entre alunos, professores e empresários, cria-se uma rede de apoio em prol de mais sustentabilidade e igualdade econômica e social na vida dos brasileiros. 

Um exemplo de projeto Enactus é o Amana Katu, do Time Enactus da Universidade Federal do Pará. Os estudantes desenvolveram um sistema de captação de água da chuva sustentável e de baixo custo para atender a necessidade da água potável nas casas de famílias ribeirinhas da Amazônia.

Foto: Projeto Amana Katu – Time Enactus UFPA.

Foto: Projeto Amana Katu – Time Enactus UFPA.

Em parceria com empresas de grande nome, a Enactus promove eventos, editais para potencializar projetos, mentorias e oportunidades de desenvolvimento pessoal. Foi o caso da Iara Travassos, alumni do Time Enactus da Universidade Federal de Pernambuco: “Ao longo de dois anos na rede pude vivenciar experiências que me ajudaram a ver o mundo e as pessoas de forma mais crítica, ao mesmo tempo que empática. Descobri as muitas forças e fraquezas, comecei a entender o meu papel na sociedade e pude reconhecer o poder do propósito bem direcionado.”

Assim como acontece no mundo dos negócios, a Enactus acredita que a competição estimula a criatividade e recompensa resultados. Anualmente, acontece o Evento Nacional Enactus Brasil, em que um dos principais momentos é um campeonato, onde os Times Enactus apresentam seus projetos para uma bancada de juízes composta por empresários, empreendedores, pessoas da sociedade civil e do governo. O Time campeão representa o Brasil na Enactus World Cup competindo com os representantes de outros 36 países. O evento deste ano, acontecerá em setembro em Utrecht, na Holanda.

Foto: Time Enactus UVA Sobral – Vice-campeão do Evento Nacional Enactus Brasil 2019.

Foto: Time Enactus UVA Sobral – Vice-campeão do Evento Nacional Enactus Brasil 2019.

Como fazer parte da Enactus?

A implementação do programa Enactus nas universidades não acarreta a nenhum custo. Para ingressar em um time Enactus, basta verificar se já existe um em sua IES e entrar em contato para obter detalhes do processo seletivo do time. Caso não tenha sido fundado ainda um time Enactus em sua IES, deve-se reunir 10 estudantes de qualquer área do conhecimento e um professor conselheiro vinculados à universidade para iniciar uma trilha de desenvolvimento para a criação de projetos. Outras informações podem ser encontradas no site.

Publicado em 08 de abril de 2020.

 

Mariana Vieira

Mariana é jornalista graduada pela Universidade Federal do Pará (UFPA), empreendedora social e colaboradora voluntária da organização Enactus Brasil. Paraense com orgulho.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar no debate?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *