Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Print Friendly, PDF & Email

Afinal, o que é economia?

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas (29/10/2015)

economia-o-que-e-reais

Este conteúdo sobre o que é economia é o primeiro post da trilha de conteúdos Economia Animada, desenvolvida em parceria com o portal Por Quê – Economês em bom português. Confira os demais conteúdos desta trilha: 12345

Ao terminar de ler este conteúdo você terá concluído 20% desta trilha 🙂

A economia é hoje um tema central para a sociedade. Justamente por ser tão importante, ela não pode ser banalizada ou negligenciada. É preciso compreendê-la na sua essência. Neste texto, desenvolvido em parceria com o portal Por Quê – Economês em bom português, vamos explicar o que é economia e qual o objeto primário desta ciência.

Se preferir, ouça nosso episódio de podcast sobre esse assunto!

Listen to “#049 – O que é economia?” on Spreaker.

Economia é só sobre dinheiro? Vamos entender de fato o que é economia

Foto: Marcos Santos/USP Imagens (29/10/2015)

dinheiro-cedulas-economia

Na visão popular, a economia se limita a ser um estudo sobre dinheiro, investimentos e finanças. Com certeza, esses são elementos estudados por essa ciência. Mas ela não se limita apenas a isso. Em sua essência, a economia trata principalmente das escolhas feitas pelas pessoas todos os dias. A ciência econômica é uma ciência social, porque observa o comportamento humano.

Duas constatações centrais guiam o estudo econômico. O primeiro é o fato de que todos nós temos desejos, muitos desejos. Eles são virtualmente ilimitados. Além da satisfação de nossas necessidades básicas, nós podemos ainda ter interesse em muitos bens e serviços que atendem a diversos outros desejos que, se não são fundamentais, tornam a nossa vida muito melhor (pelo menos do nosso ponto de vista). Podemos querer um carro para se locomover com mais rapidez e comodidade no dia a dia; uma casa para morar com tranquilidade e em segurança; um celular para se comunicar de maneira fácil e instantânea; entre infinitas outras coisas.

A segunda constatação essencial é que os recursos disponíveis para satisfazer esses desejos não são infinitos. Na verdade, a maior parte desses recursos tem oferta limitada. Pense quanto dinheiro ou quanto tempo seria necessário para que você pudesse realizar todos os desejos que você já teve. Isso seria praticamente impossível, não é mesmo?

Desses dois fatos, surge a pergunta-chave: como atender a desejos ilimitados com recursos limitados? Essa tensão existente entre nossas vontades e as restrições que a realidade nos impõe é o objeto central de estudo da economia. O comportamento das pessoas diante do desafio fundamental de viver neste mundo permeia todo o estudo da ciência econômica.

Por isso, da próxima vez que você ouvir sobre economia, não pense apenas em dinheiro ou números. Lembre-se que, enquanto ciência, a economia se preocupa em observar o resultado de ações tomadas por milhões e milhões de pessoas que precisam decidir a todo momento o que fazer com os recursos escassos à sua disposição.

crowdfunding

Qual a importância da política para a economia?

O presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Foto: Marcos Corrêa/PR (15/12/2016)

temer-meirelles-marcos-correa-pr

Você já deve ter notado que a economia anda de mãos dadas com a política. Nenhum governante brasileiro pode ignorar a dimensão econômica, simplesmente porque o Estado brasileiro tem papel fundamental para o bom andamento da economia. A política, em certo sentido, pode ser entendida como o gerenciamento e a tomada de decisões coletivas, com toda a complexidade envolvida nesse processo. Da mesma forma que na esfera individual, não podemos atender a todos os desejos coletivos ou sociais que existem, não só porque os recursos para atendê-los são escassos, mas porque podem existir (e de fato existem) desejos conflitantes, antagônicos entre si.

Pense em quantos interesses o governo brasileiro precisa dar conta de atender todos os dias: pagamento de juros para investidores, de aposentadorias para pensionistas, de salários para o funcionalismo público, investimentos em melhorias na área de educação, saúde, defesa, saneamento, mobilidade… As demandas são tantas que os trilhões de reais no orçamento público parecem pouco. Uma vez que são questões que dizem respeito a todos os cidadãos brasileiros, precisamos decidir em conjunto como usar esses recursos – e para isso adotamos os critérios que consideramos mais justos: a democracia representativa, para elegermos representantes que devem defender nossos interesses no Executivo e Legislativo, a separação de poderes, para que nenhum governante tenha poder excessivo nem o controle sobre a Justiça e o Poder Legislativo, e assim por diante.

Percebeu como política e economia se relacionam? Com este exemplo fica mais fácil de entender o que é economia, já que ambas lidam com o gerenciamento de recursos e de interesses. Não é à toa que existe até mesmo a economia política, subárea da ciência econômica que estuda as relações sociais econômicas. Ou então que existam políticas econômicas, um conjunto de ações que varia de acordo com cada governo em relação à economia (por exemplo, meta de superávit do orçamento, taxa de juros, meta de inflação, etc).

Além disso, é importante perceber como os indicadores econômicos influenciam e muito a política contemporânea. Resultados como evolução do PIB, nível de desemprego, inflação, câmbio e juros fazem toda a diferença para a vida de um governante. Afinal, se a economia não está bem, é porque possivelmente não está sendo bem administrada (uma vez que as ações dos governos têm grande impacto nos resultados econômicos). Bons indicadores econômicos podem melhorar a imagem do governante, enquanto os maus indicadores podem custar caro para ele.

Por tudo isso, é essencial que você busque entender não apenas a política, mas também a economia – e, naturalmente, sua relação com a política. Sem dúvida, esse é mais um passo necessário para quem está em busca de ser um cidadão mais consciente e comprometido com o desenvolvimento do nosso país.

Gostou deste conteúdo que explica o que é economia? Então você com certeza vai gostar também deste vídeo do Por Quê, que explica de forma muito didática e dinâmica o que é economia:

Confira o segundo conteúdo desta trilha, sobre o conceito de escassez.

Publicado em 21 de março de 2017. Última atualização em 29 de março de 2017.
por-que-economes-logo

O Por Quê – Economês em bom português é uma iniciativa que busca descomplicar a economia para os brasileiros. Isenção, didatismo, precisão, clareza e criatividade. Essas são as nossas bases para traduzir o economês para bom português e transformar aversão em interesse. Vamos aprender mais?

Bruno André Blume

Bacharel em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e editor de conteúdo do portal Politize!.