Navegue por categria

Capa de blogpost violência política
,

Decifrando a violência política: de revoluções ao autoritarismo

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

O termo Violência Política é usado para se referir a qualquer uso da força de forma direta ou indiretamente para fins políticos.

Assim, podemos descrever uma ampla gama de ações, como atos de insurgências violentas, guerras de guerrilhas, uso de ações terroristas e os tão conhecidos assassinatos políticos.

Para tanto, esse tipo de violência é frequentemente usada por governos ou organizações políticas e militares para atingir seus objetivos.

Mas também, acaba por ser usada por dissidentes partidários que protestam contra aquilo que consideram ações injustas perpetradas pelos seus ou outros governos e líderes.

Na atualidade, este tipo de atitude adotada por líderes partidários e militares tem causado grande tumulto dentro e fora das nações. Mas, vamos entender o que é Violência Política?

Fotografia em preto e branco: Raúl Castro, à esquerda, com Ernesto Guevara em 1958 durante a Revolução Cubana. Muito se discute sobre a violência política na Revolução Cubana.
Raúl Castro, à esquerda, com Ernesto Guevara em 1958 durante a Revolução Cubana. Imagem: Domínio Público.

A definição de violência política

Podemos reconhecer o uso intencional da força ou sua ameaça, quando se tem a intenção de influenciar nações ou grupos, como Violência Política, já que ela assume muitas formas correlacionadas.

Partindo de ações de intimidação, conflitos descentralizados a assassinatos extremamente elaborados contra figuras civis ou militares considerados alvos estratégicos para um determinado plano.

Mas hoje em dia, as ações dessa violência que mais se destacam são os ataques terroristas, guerras civis, repressões governamentais e complôs militares, onde unidos ou separadamente, buscam derrubar líderes, governos e até mesmo exércitos.

Veja também nosso vídeo sobre polarização política

O uso da violência política na história

É um fato que a violência na política é um mecanismo estratégico valioso, que se mostrou muito útil ao longo da história para realizar mudanças severas nas mais diversas e diferentes sociedades.

Os maiores exemplos que temos são durante as ditas revoluções, com grupos motivados unicamente pelo uso da violência como única forma de alcançar seus objetivos, onde lutam contra regimes autoritários ou não, como ocorreu na Revolução Francesa no século XVIII e na Revolução Cubana no século XX.

O outro modo na qual vemos a Violência Política agir se dá na forma de guerras e insurgências, que buscam perturbar os meios políticos, militares e de infraestrutura de um determinado grupo, segmento da sociedade ou até a nação em sua totalidade.

Assim ela pode ser aplicada ou causada, em grande maioria, por pessoas que se opõem umas as outras pelos mais diversos motivos políticos.

Por exemplo, Adolf Hitler era um usuário adepto da violência política contra judeus e minorias até mesmo antes de subir ao poder na Alemanha no século XX.

Mesmo com esses exemplos, existem diversas práticas de violências usadas na política, com cada uma tendo suas próprias peculiaridades.

Portanto, vale ressaltar as principais, sendo elas as Insurreições Violentas, as Guerras de Guerrilhas, os Atos de Terrorismo e os Assassinatos Políticos.

Fotografia em preto e branco: Nikita Khrushchev com os cosmonautas Gherman Titov, à esquerda, e Iuri Gagarin durante a Guerra Fria.
Nikita Khrushchev com os cosmonautas Gherman Titov, à esquerda, e Iuri Gagarin durante a Guerra Fria. Imagem: Domínio Público.

Insurreições violentas e as guerras de guerrilhas

As Insurreições Violentas são conflitos influenciados de forma externa ou interna por governos ou grupos insurgentes, sendo geralmente resultado de diferentes visões de como um país deve ser governado.

Um dos pontos que se conectam e não muito se diferenciam das ações insurgentes, ocorre na formação das ditas Guerras de Guerrilhas, compostas por diversos membros de um ou vários grupos de oposição, onde atacam as forças militares de um governo sem a participação civil em massa.

Um exemplo notável de guerra de guerrilha foram os conflitos originários durante a Guerra Fria entre os Estados Unidos da América e a União das Repúblicas Socialistas Sov­­­­­­­­­­­­­­­iéticas, sendo a Revolução Cubana (1953-1959) um ótimo exemplo deste tipo de mecanismo.

Veja também nosso vídeo sobre a história do Che Guevara!

Atos de terrorismo e os assassinatos políticos

Os conhecidos Atos de Terrorismo são outra forma de violência política que ganhou força significativa na sociedade moderna, com notoriedade após os ataques realizados contras as torres do World Trade Center (2001) nos Estados Unidos da América pela organização terrorista Al-Qaeda (1988) de Osama Bin Laden (1957-2011).

O terrorismo tem o papel de envolver ataques indiscriminados a populações civis para criar medo na sociedade, perturbando a ordem pública de um região ou nação e assim gerando problemas nas estruturas que governam o país.

Mas o assassinato poltico também busca por esses fins, sendo considerado o mais conhecido meio de violência politica durante a história humana, com infinitos exemplos ao passar das gerações.

Um dos mais conhecidos atos desta característica ocorreu nos Estados Unidos da América, ainda em sua primeira organização de governo, sendo Abraham Lincoln (1809-1865) o primeiro de muitos outros presidentes estadunidenses a ser um alvo de assassinato político, principalmente devido as suas afiliações políticas e opiniões sobre a escravidão na américa.

Saiba mais em outros textos sobre: Violência, Terrorismo, Nazifascismo e Violência Política de Gênero!

Veja também nosso vídeo sobre necropolítica

A violência política e os efeitos na história

De fato, a Violência Política é um dos males mais influentes que moldam a história, a cultura e as políticas humanas, pois engloba uma composição ampla de atitudes nos mais variados contextos da humanidade.

Mas na era da comunicação tem causado um grande tumulto dentro e fora de nações ao redor do mundo.

Entende-se esse tipo de mecanismo como uma questão fundamental para moldar os sistemas de países mais autoritários ou intervencionistas, afetando até mesmo aqueles que utilizam meios não violentos para suas mudanças políticas.

Por muitos séculos, grupos políticos se envolveram em ações violentas para impor suas próprias ideologias e interesses pessoais ou coletivos sobre os outros e na atualidade não é diferente.

Os usos e abusos deste tipo de violência ainda não foram determinados ou até mesmo limitados, já que ainda são desenvolvidos e aplicados novos meios e em novos contextos, portanto não há como negar que este mal ainda tem um papel crucial ao longo da história contemporânea.

Você conhecia essas características da Violência Política e seu impacto na atualidade? O que achou? Deixe seu comentário!

Referências:

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Possuo graduação em História pelo Centro Universitário São José de Itaperuna – UNIFSJ (2020) e pós-graduação em História Militar pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL (2021). Atualmente realizo a pós-graduação em Metodologia de Ensino de História pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI. Atuo como historiador com cadastro profissional no Ministério da Economia, sob o número de registro 0000460/RJ. Membro colaborador do Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos – USHMM. Tenho conhecimento na área de História, com ênfase em História Contemporânea, contribuindo nas seguintes linhas de pesquisa: Regimes Totalitários (1919-1953), Regimes Autoritários (1937-1945), abrangendo principalmente os aspectos que remetem a Guerras e Conflitos Armados (1932-1945).

Decifrando a violência política: de revoluções ao autoritarismo

15 jun. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo