Exército brasileiro – parte 2

Entenda o que são divisões, brigadas, batalhões, regimentos e grupos

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil.

exercito-divisões

Este é o quarto texto de uma trilha de conteúdos sobre as Forças Armadas. Veja os demais textos desta trilha: 1 – 2 – 3 – 4 – 5 – 67 

Ao terminar de ler este conteúdo, você terá concluído 52% desta trilha 🙂

No texto anterior da trilha, apresentamos a estrutura geral do Exército brasileiro, seus órgãos mais importantes, além dos comandos e regiões militares. Agora, passamos às divisões internas do exército. 

Em muitos filmes clássicos sobre a Segunda Guerra Mundial ou lemos em nosso livro de história algum conteúdo sobre guerras, nos deparamos com termos como divisão de exército, brigada, regimento, batalhão, companhia e muitos outros. Às vezes, esses termos vêm ainda acompanhados de complementos como: Brigada Paraquedista, Batalhão de Operações Especiais, Brigada de Artilharia Antiaérea e outras variações.

Esses termos dizem respeito às unidades militares de um exército, ou seja, em como a força terrestre (soldados, veículos e peças de artilharia) está organizada. No caso do Exército Brasileiro, estamos falando de quais são e como estão divididas as organizações militares do Comando de Operações Terrestres (COTER), que, como vimos, é o órgão de direção setorial do Exército responsável pelo emprego e preparo da Força Terrestre.

Essas divisões seguem um certo padrão em todo o mundo, mas cada país possui algumas variantes. Vamos destacar rapidamente como é organizado um exército tradicionalmente e como isso acontece no caso do Brasil. Vamos lá!

1) Divisões de Exército e Grupos de Exército

A maior unidade militar conhecida é o Grupo de Exércitos, geralmente constituído de centenas de milhares de soldados e comandado por um Marechal ou General. Logo abaixo vem o exército, que pode ter cerca de 100 mil militares e é comandado por um general. Abaixo do exército, estão os corpos de exército, que por sua vez são formados por duas ou mais divisões de exército, totalizando entre 60 a 80 mil militares.

Grupos de Exército são raros. Um exemplo famoso de Grupos de Exército pode ser visto na chamada Operação Barbarossa, nome dado à invasão da União Soviética pela Alemanha de Hitler. Essa operação foi feita com três grandes Grupos de Exército: o grupo norte atacando os países bálticos, o grupo centro indo em direção a Moscou e o grupo sul indo em direção aos campos agrícolas da Ucrânia e às bases petrolíferas do Cáucaso.

No Exército brasileiro, não há o conceito de Grupos de Exército e de corpos de exército. Assim, a maior unidade na qual a força terrestre brasileira está dividida é a Divisão de Exército.

Uma Divisão de Exército, por sua vez, possui tipicamente de 9 a 20 mil soldados pertencentes a diversas brigadas ou regimentos. A Divisão de Exército é considerada a menor subdivisão de um exército capaz de realizar operações de forma independente, utilizando todas as diferentes armas do exército.

Do ponto de vista organizacional, o exército brasileiro possui quatro Divisões de Exército (DE). A 1ª DE é dirigida pelo Comando Militar do Leste (lembra dos comandos? Explicamos no primeiro texto), a 2ª DE pelo Comando Militar do Sudeste e as 3ª e 5ª DE estão a cargo do Comando Militar do Sul. A antiga 4ª DE foi extinta em 2007, ficando a numeração atual dessa forma. Nos demais Comandos Militares, as brigadas e demais unidades militares estão diretamente subordinadas ao próprio Comando Militar que, na prática, acabam sendo outras DE’s.

Leia também: o que faz um diplomata?

2) Brigadas, Regimentos e Batalhões

Abaixo da divisão, está a brigada, formada por até 5 mil militares e subdividida em regimentos e batalhões. As brigadas costumam ser responsáveis por funções especializadas, como por exemplo, Brigadas de Infantaria Paraquedista e Brigadas de Infantaria Motorizada.

Abaixo das brigadas, estão os regimentos, formados por cerca de 2 mil militares. E abaixo do regimento está o batalhão, formado por algumas centenas de soldados, ainda divididos em companhias. O exército brasileiro usa o termo regimento de forma diferente da divisão normal da maioria dos exércitos. Ao invés de ser uma unidade acima do batalhão e abaixo das brigadas, no Brasil o termo Regimento é empregado para designar especificamente os batalhões de cavalaria e carros de combate. Ou seja, as brigadas brasileiras estão organizadas diretamente em batalhões, sendo Regimento um termo que se refere a um tipo específico de batalhão.

Os batalhões brasileiros são formados por três a cinco companhias e são designados de acordo com as armas de infantaria, engenharia, comunicações e as unidades de serviços. No Brasil, as unidades com tamanho correspondente a um batalhão e que são responsáveis pela arma de Artilharia são chamados de grupos, e as responsáveis pela Cavalaria, de regimentos, como dito anteriormente.

As brigadas brasileiras

Figura 1: Articulação das Brigadas Brasileiras. Fonte: Livro Branco da Defesa Nacional (2012).

Destaca-se na figura 4 a presença de cinco brigadas de infantaria de selva na região amazônica, sob direção dos Comandos Militares da Amazônia e do Norte (na época da publicação do Livro branco da Defesa Nacional, o Comando Militar do Norte ainda não havia sido criado); a forte concentração das brigadas blindadas e mecanizadas no Comando Militar do Sul; e a presença da Brigada de Operações Especiais no Comando Militar do Planalto, na cidade de Goiânia, estrategicamente localizada na região central do País para poder fazer qualquer deslocamento necessário no menor tempo possível.

Regimentos, batalhões e grupos de artilharia

Os regimentos do Exército são unidades subordinadas às brigadas relativas à Arma de Cavalaria. São quatro os tipos de Regimento do EB:

  • Regimentos de Cavalaria Mecanizada: esses regimentos são dotados de veículos blindados sobre rodas e são empregados para missões de reconhecimento. Em combate, são os veículos precursores na linha de frente, fazendo reconhecimento e preparando o terreno para chegada das tropas principais.

Figura 2: Exemplo de veículo blindado sobre rodas. Blindado Guarani do EB. Fonte: André Gustavo Stumpf/Flickr (CC BY 2.0).

exercito-blindado-sobre-rodas-andre-stumpf-flickr

Regimentos de Cavalaria Blindada: são dotados de veículos blindados sobre lagartas. Seu objetivo é realizar operações de caráter ofensivo e ataques coordenados.

Figura 3: exemplo de blindado sobre lagartas do EB. Gepard 1A5. Foto: Ministério da Defesa/Flickr (CC BY 2.0).

exercito-veiculo-sobre-lagartas-ministerio-defesa
  • Regimentos de Carro de Combate: são dotados de veículos blindados sobre lagartas e também sobre rodas;
  • Regimento de Cavalaria de Guardas: são dotados de cavalos e são empregados na guarda das instalações presidenciais e no cerimonial militar do Presidente da República. Também podem ser utilizadas em operações de GLO a cavalo e participar de missões internacionais.

Os grupos de artilharia do Exército estão associados às Armas de Artilharia. Sua missão é apoiar as tropas pelo fogo, destruindo ou neutralizando alvos que ameacem o êxito de uma operação.

  • Grupo de Artilharia de Campanha ou Campanha leve: são dotados de peças de artilharia como obuses, obuseiros e morteiros;
  • Grupo de Artilharia Antiaérea: são dotados de equipamentos para defesa antiaérea capazes de abater aviões e helicópteros inimigos. O Exército dispõe apenas de equipamentos de defesa antiaérea de curto alcance;
  • Grupo de Artilharia Autopropulsado: são equipados com peças de artilharia como obuses, obuseiros e morteiros montados sobre veículos e, portanto, com grande capacidade móvel. Também podem ser equipados com veículos lançadores de foguetes e mísseis.

Por fim, os batalhões do exército brasileiro são relacionados principalmente à arma de infantaria. Além da infantaria, há também os batalhões de aviação do Exército, dotados de helicópteros, e também batalhões da arma de engenharia e comunicações. Os batalhões também estão divididos em unidades menores, mas aqui vamos nos deter aos batalhões que são representativos das Armas do Exército e caracterizam bem como o mesmo está organizado.

Outros batalhões auxiliares (mas não menos importantes) como de apoio logístico e manutenção completam essa unidade do Exército Brasileiro.

No diagrama abaixo, você pode conferir como são as unidades militares no Brasil, desde os Comandos Militares até os batalhões.

Que tal baixar esse infográfico em alta resolução?

organograma-exercito-brasileiro

Conclusão

Neste texto, apresentamos a organização do Exército Brasileiro em suas unidades militares e como essas unidades estão espalhadas pelo território brasileiro. O exército é uma corporação grande, complexa e ao mesmo tempo extremamente hierarquizada e funcional.

Uma informação dada pelo mais alto comando deve chegar à menor unidade militar em pouco tempo e vice-versa. Esperamos ter ajudado você a conhecer um pouco melhor como está organizada a força terrestre brasileira. Ainda falta a Marinha e a Força Aérea. Esses serão os próximos textos da nossa trilha de conteúdos sobre as forças armadas no Brasil. Acompanhe!

Referências:

Tesouro Nacional: organograma simplificadoEstrutura Organizacional do COTER – Unidades Militares no EB – SegundaGuerra.net: brigada, regimento, divisão, batalhão – Quartéis por estado

Publicado em 12 de maio de 2017.

Vitor Vidal de Negreiros

Engenheiro eletricista graduado pelo CEFET-MG. Escritor e redator voluntário do portal Politize!.