Pegada Ecológica: entenda a expressão

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!
Proteção ambiental e pegada ecológica. Imagem: Pixabay.
Proteção ambiental e pegada ecológica. Imagem: Pixabay.

Você já parou para pensar na marca que você deixa no meio ambiente? Muito já se falou sobre pegada ecológica, mas pouco se discute sobre o que de fato isso significa e as vantagens que podemos ter com a implementação desse acompanhamento na  nossa rotina.

O conceito pode parecer complexo, mas na verdade é algo bem intuitivo e a Politize! separou aqui os pontos principais para entendermos o que é de fato a pegada ecológica.

Leia mais: Cúpula de Líderes sobre o Clima e a agenda internacional para o meio ambiente

O que é pegada ecológica?

A pegada ecológica é uma metodologia ambiental que avalia o rastro deixado pela população através de seu consumo de recursos naturais. Ela contabiliza o uso dos recursos naturais biológicos renováveis, como grãos e vegetais, carne, peixes, madeira e fibras, e calcula os diferentes padrões de consumo no mundo, seja de uma pessoa, cidade, região, país ou toda a humanidade.

O cálculo é expressado em hectares globais (gha). Um hectare global, que assim como um hectare normal tem 10 mil metros quadrados, significa uma medida de produtividade média mundial para terras e águas produtivas em um ano.

Em resumo, a pegada ecológica analisa os impactos que produzimos em nossa biosfera a partir dos rastros que deixamos através das nossas atividades e vivências.

Por que calcular a pegada ecológica?

Uma vez calculada, ela serve para que possamos verificar se estamos dentro da capacidade ecológica do planeta, também chamada de biocapacidade

A biocapacidade é a medição que representa a potência dos ecossistemas em produzir recursos úteis e absorver os resíduos gerados pelo ser humano. Ou seja, a biocapacidade calcula o quanto o ambiente consegue se manter e prover para a população sem se sobrecarregar.

Caso aconteça uma sobrecarga ecológica do planeta, problemas como a falta de água e outros recursos podem acontecer, além das mudanças climáticas, do desequilíbrio na cadeia ecológica, entre outros eventos.

Como surgiu a ideia de pegada ecológica?

A maior contribuição para a medição organizada da pegada ecológica até os dias de hoje foi dada por William Rees e Mathis Wackernagel, ambos da Global Footprint Network (GFN), em 1993, ao definirem o conceito de pegada ambiental como ferramenta para medir os impactos do consumo humano sobre os recursos naturais.

O que compõe a pegada ecológica?

Para calcular a pegada ecológica, são consideradas diversas formas de uso de recursos naturais. Essas formas são medidas por meio de tabelas específicas, em unidades de área para maior precisão do cálculo, de modo que recursos como resíduos sólidos e água (que não podem ser contabilizados dessa forma) são excluídos do cálculo.

Os componentes da pegada são divididos em subpegadas que, quando somadas, revelam a dimensão da pegada ecológica total. Algumas subpegadas usadas nos cálculos são:

  • Retenção de carbono: quantidade de floresta necessária para absorver o dióxido de carbono que os oceanos não conseguem absorver;
  • Pastagem: área necessária para a criação de gado para suas diversas funções;
  • Florestal: baseada no consumo anual de madeira para diversos produtos;
  • Pesqueiros: estimativa de produção para sustentar peixes e mariscos capturados de água doce e marinhos;
  • Áreas de cultivo: representada pelas áreas necessárias para o cultivo de alimentos humanos e rações para animais;
  • Áreas construídas: todas as áreas com infraestrutura humana, assim como transportes, indústrias, reservatórios para a geração de energia elétrica e habitações.

Veja também nosso vídeo sobre Ecocapitalismo!

A família das pegadas

Atualmente, além da pegada ecológica, temos outros indicadores de sustentabilidade que nos ajudam a entender os impactos que geramos no planeta. Dois dos exemplos mais utilizados e conhecidos são a pegada hídrica e a pegada de carbono.

A abordagem da pegada hídrica é medida em litros para mensurar os impactos realizados em nossa hidrosfera e esse estudo já mostrou que atualmente vivemos uma crise hídrica

Já a pegada de carbono mede a quantidade de dióxido de carbono (CO2) que foi emitido na atmosfera, direta ou indiretamente, por atividades humanas ou que foram acumuladas ao longo da vida útil de um produto. Na prática, são os impactos causados pela atividade de cada um em nossa atmosfera.

Pegada ecológica global

Dados recentes mostram que estamos utilizando cerca de 50% a mais do que o que temos disponível em recursos naturais. Ou seja, para manter e sustentar nosso estilo de vida atual no longo prazo precisamos que exista um planeta e meio disponível.

Atualmente, a média mundial da pegada é de 2,7 hectares globais por pessoa, enquanto a biocapacidade disponível para cada ser humano é de apenas 1,8 hectare global.

Projeções para o ano de 2050 feitas pela Global Footprint Network apontam que, se continuarmos com este padrão, iremos precisar de mais de dois planetas para mantermos nosso consumo como é hoje.

Pegada ecológica global. Projeções tendenciais (Global Footprint Network, 2010).
Projeções tendenciais (Global Footprint Network, 2010).

Pegada ecológica brasileira

A pegada ecológica brasileira é de 2,9 hectares globais por habitante, indicando que o consumo médio de recursos ecológicos pelo brasileiro é bem próximo da média mundial da pegada ecológica por habitante, equivalente a 2,7 hectares globais.

No gráfico abaixo, é possível ver que a pegada ecológica brasileira tem mostrado um aumento pouco acentuado até 2005, o que indica estabilidade nos padrões de consumo neste período. Por outro lado, a biocapacidade brasileira vem sofrendo um forte declínio devido a degradação dos ecossistemas.

Série Histórica Brasileira: 1960/2005 (Global Footprint Network, 2010).

É importante lembrar também que o Brasil é um dos maiores credores ecológicos do planeta graças a nossa enorme biocapacidade.

Comparação da Pegada Ecológica e Biocapacidade Brasileira com os países do BRICs (Extraído de: Results from National Footprint Accounts 2010 edition, GFN).
Results from National Footprint Accounts 2010 edtion, GFN.

Qual é a sua pegada?

Com o conceito mais claro, clique aqui e responda um questionário rápido da Global Footprint Network sobre seus hábitos e veja exemplos de como nossas ações impactam o meio ambiente e trabalhe exemplos que podem te ajudar a diminuir seu impacto, e consequentemente, sua pegada pessoal. 

Esses cálculos de pegada ecológica, hídrica e de carbono servem para que possamos avaliar os custos dos recursos naturais envolvidos na produção de determinado bem. Todos os produtos possuem impactos sobre os recursos naturais em toda sua cadeia produtiva, tendo cada etapa de sua produção uma exigência diferente dos tipos de pegada.

E aí, conseguiu compreender o que é a pegada ecológica e a importância dela? Deixe seu comentário!

Referências:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Jornalista e defensora dos direitos humanos, acredito que uma boa comunicação e acesso a informação podem mudar o mundo. Sou paulista e descendente de árabe. Meu coração dividido por essa duas culturas é inteiramente apaixonado pelas pessoas e pelas artes.

Pegada Ecológica: entenda a expressão

24 jul. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo