Navegue por categria

Como a relação dívida pública/PIB influencia a economia global?

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

Se você acompanha portais de notícias, perfis políticos ou de veículos de comunicação nas redes sociais, ou simplesmente tem interesse em economia ou política, provavelmente já ouviu esses dois termos antes: PIB e Dívida Pública.

Ambos são indicadores bastante comuns e representam medidas que impactam na tomada de decisões de governos em todo mundo. Mas você sabia que existe uma relação entre PIB e Dívida Pública que vai além de seus impactos vistos separadamente?

A seguir, a Politize! explica como estas medidas se relacionam e como elas impactam as economias de diferentes países, não apenas a nível local, mas também a nível global.

Representação de moedas com brotos crescendo. Imagem de Nattanan Kanchanaprat por Pixabay

O que é o PIB?

A sigla significa Produto Interno Bruto de um país. De acordo com definição do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístisca (IBGE), representa a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país, estado ou cidade, geralmente no período de um ano.

O PIB atua como um indicador que resume a economia de determinado país ou região. Ele serve como um “termômetro” para o quão bem uma nação se encontra economicamente falando.

Veja também: “O que é PIB?”.

O que é dívida pública?

Agora que já esclarecemos o conceito de PIB, é hora de falar sobre o segundo componente desta relação.

A dívida pública é qualquer forma de endividamento que alguma divisão administrativa possui, visando cobrir eventuais déficits fiscais. Cidades, estados e a própria Federação podem (e possuem) dívidas, e isso não é algo necessariamente negativo.

Neste artigo, nosso foco será a Dívida Pública Federal, que representa o endividamento que um país possui com outras entidades. Isso vale para pessoas físicas (no formato de título públicos, como o Tesouro Direto no Brasil), pessoas jurídicas ou organizações internacionais (como o Banco Mundial).

Veja também: Dívida Pública Federal: saiba o que é e como ela é formada.

Como dívida pública e PIB se relacionam?

Agora que sabemos os conceitos, vamos entender como esses indicadores se relacionam, e porque essa relação é importante.

Primeiramente, vamos entender como esse indicador é calculado e como ele pode variar. A relação dívida/PIB é compreendida como o total da dívida pública dividido pelo PIB de um país. A imagem abaixo sintetiza esse cálculo, expresso de maneira simplificada:

Fórmula simplificada do cálculo da relação dívida/PIB. Imagem: elaboração própria

Isso nos mostra que há duas maneiras distintas de se alterar essa relação. Pode-se aumentar o Produto Interno Bruto nominal de um país, ou diminuindo sua dívida pública total ao longo do tempo.

Mas, afinal, quais as influências desse indicador na economia dos países? Vamos conferir abaixo:

Sustentabilidade financeira

A principal função da relação dívida/PIB é estabelecer um parâmetro para observar a saúde financeira dos países. Como o PIB representa a soma de bens e serviços produzidos em um país, ao relacionarmos as duas medidas, conseguimos ter uma visão de quanto uma nação deve em relação ao tamanho de sua própria economia.

Uma proporção baixa na relação dívida/PIB sinaliza que o país consegue pagar suas dívidas sem a necessidade de refinanciamentos. Nesse cenário, a relação é interpretada como um indicador chave da sustentabilidade financeira de um governo.

Veja também: Dívida Pública: como ela afeta o seu dia a dia.

Oportunidades de investimento

A relação dívida/PIB pode servir como um parâmetro para atrair investidores estrangeiros ou facilitar a contração de novas dívidas.

Como países que controlam esse indicador são vistos como mais estáveis, eles tenderão a atrair mais investimento externo que suas contrapartes que possuem uma relação dívida/PIB mais alta.

Riscos econômicos

Não apenas de sinalizações positivas vive este indicador. A relação dívida/PIB também pode oferecer insights negativos, que podem gerar temores e preocupações entre os agentes econômicos envolvidos. Exemplos destes agentes são governos, empresas, pessoas, organizações internacionais, dentre outros.

Calote

Uma relação dívida/PIB alta pode significar que um país apresenta maior risco de calote em seus compromissos financeiros, por exemplo. Afinal de contas, se sua dívida está aumentando ou sua produção de bens e serviços diminuindo, menos se espera que este país seja capaz de honrar com seus compromissos no curto prazo.

Recessão

Outro ponto a se considerar é que um país que apresenta constante aumento da sua relação dívida/PIB pode estar caminhando em direção à recessão. Isso pode implicar, dentre inúmeros fatores, na diminuição da atividade produtiva, aumento de desemprego e queda na renda das famílias, por exemplo.

Evasão de divisas

Além da maior dificuldade em conseguir novos investimentos, um país que apresente altas taxas na relação dívida/PIB pode enfrentar, também, um aumento na evasão de divisas em seu território.

Isso significa que empresas e investidores que já aplicavam dinheiro nesta economia podem optar por recuar dessa decisão. Assim, pode-se ocorrer a diminuição ou a retirada de investimentos em países que não conseguem controlar a relação dívida/PIB.

Veja também nosso vídeo sobre inflação!

Isso quer dizer que uma relação dívida/PIB alta é sempre ruim?

Não necessariamente. Embora seja, sim, importante para um país controlar este indicador e não permitir que ele dispare, nem todos os países que possuem um alto índice de dívida/PIB são países instáveis ou com uma economia enfraquecida.

Segundo dados mais recentes da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), alguns dos países com maior porcentagem de relação dívida/PIB incluem Japão (256%), Itália (175%) e Estados Unidos (148%). Todos países de economia reconhecidamente forte e relevante, tanto a nível regional quanto a nível global.

Gráfico da relação dívida pública x PIB. Imagem: OECD.

O que podemos concluir?

Fica clara a importância relação dívida pública/PIB seja uma medida de grande importância na análise econômica de qualquer país. Porém, assim como acontece com a maioria dos assuntos que envolvem Economia, não podemos considerá-la como único fator para tomada de decisões.

Economias fortes, como a americana e a japonesa, terão maior tolerância dos agentes econômicos ao lidar com uma dívida/PIB maior quando comparados com países emergentes, como são os casos de Argentina e Brasil, ou de economias que historicamente enfrentam maiores oscilações, como é o caso da Grécia.

O importante, afinal, é entender quais os possíveis impactos da relação dívida/PIB como indicador. O que ele pode sinalizar? Como pode ser utilizado para, junto de outros dados e dentro de determinada conjuntura econômica, influenciar na tomada de decisões dos agentes econômicos espalhados pelo mundo?

Quer aprender mais sobre economia ou entender mais a fundo a relação entre os diferentes indicadores econômicos que existem por aí? Conta aqui pra gente nos comentários!

Referências:

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Homem pardo, com cabelo curto.
Conteúdo escrito por:
Curioso por natureza, sou aspirante a escritor desde a adolescência. Apaixonado por romances policiais e livros de fantasia medieval, adoro conhecer novas culturas e, principalmente, conhecer (e tentar aprender) novos idiomas. Sou formado em Economia, tenho especialização em Análise de Dados e atuo na área de Tecnologia! Sou entusiasta das áreas de Política e Relações Internacionais, e acredito que compartilhar conhecimento é a melhor maneira de educar e conscientizar as pessoas sobre todo tipo de assunto.

Como a relação dívida pública/PIB influencia a economia global?

14 jun. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo