Navegue por categoria

Ufanismo: Você sabe o que significa e onde pode ser usado?

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!
Indivíduo com a bandeira do Brasil. Imagem: Adobe Stock.

Muitas vezes olhamos para algumas palavras em textos, livros, ou até mesmo em redes sociais, e não conseguimos lembrar do seu significado. Com a palavra Ufanismo não é diferente.

E quando encontramos essas palavras em variados lugares, usadas em vários contextos e assuntos diferentes? Será que algo tão diferente, uma palavra que signifique algo tão específico, pode estar em várias realidades? É possível isso tudo acontecer?

Pois neste texto iremos tratar sobre uma palavra muito interessante da língua portuguesa, que tem um significado parecido com outras, mas nem tanto quanto ela sozinha representa, e entender em quais diferentes cenários esta palavra já foi usada. Você conhece a palavra ufanismo?

Imagem: Freepik.

Origem e significado

Como várias palavras do nosso idioma, ufanismo é derivado de algum lugar também. Ufanismo é um substantivo masculino e é formado pela junção da palavra espanhola ufano, que quer dizer: orgulhoso, vaidoso, satisfeito – e do sufixo -ismo, que é conhecido por formar conceitos de ordem geral.

De acordo com o dicionário Aurélio, ufanismo significa: patriotismo exagerado; orgulho sem medida. Ou seja, ufanismo é a exaltação exagerada da pátria, partindo de um grupo de indivíduos ou até mesmo de uma única pessoa.

Isto é a palavra sozinha, em um sentido geral. Agora, existem alguns outros significados mais comuns de serem usados, porém, direcionados a outros contextos, algumas coisas mais amplas. Mas, mesmo assim, não deixa de ter o seu real significado, apenas é colocado em algum contexto.

Ufanismo em outros contextos

Com isto em mente, é interessante saber que estes contextos em que a palavra ufanismo foi usada aconteceram diversas vezes durante a história no Brasil e ao redor do mundo. E é importante lembrar que esses contextos colocaram novos significados, com a junção de novas palavras que podem ter o mesmo significado, mas são em sentidos um pouco diferentes.

Durante o passar dos anos, a palavra ufanismo foi muito agregada com outras palavras, como: patriotismo e nacionalismo. Essa junção de palavras ampliou o sentido da palavra ufanismo, pois – nesse caso – o seu significado ficou próximo a outros significados.

De acordo com essa perspectiva, patriotismo, segundo o dicionário Michaelis, significa: amor à pátria; devoção ao solo e suas tradições. E quando colocamos o ufanismo nesse contexto, temos uma ampliação do patriotismo, ampliando o seu sentido e significado.

Essa junção de palavras tem o direcionamento para algo que vai além, algo que aumenta o sentido de patriotismo. O patriotismo ufanista, ou patriotismo exacerbado, podem carregar um sentido negativo, já que é uma característica de regimes totalitários, que neste sentido, motivam o aumento da xenofobia.

Sobre a palavra nacionalismo, de acordo com o dicionário Michaelis, significa: referência por tudo o que é nacional e exaltação de seus valores; defesa das tradições e dos demais valores nacionais. Quando juntas, as palavras ufanismo e nacionalismo, também ampliam o sentido.

A partir desta união, o significado de nacionalismo vai além do seu real significado, e como no caso anterior, podem levar um sentido negativo, pois se torna um possível cenário de preconceitos e discriminação contra povos estrangeiros. Exemplos de nacionalismo ufanista, ou nacionalismo exagerado, foram o Nazismo (ufanismo alemão) e o Fascismo (ufanismo italiano).

Veja também nosso vídeo sobre o fascismo!

Ufanismo no Brasil

Já sabemos que o ufanismo é o sentimento de orgulho, ou paixão, exaltando a pátria, é um sentimento que vai além. E justamente por conta deste significado, que aumenta a relação do povo com o seu país, o Brasil, durante alguns momentos, utilizou dessa tática para aproximar o sentimento brasileiro do povo.

Como uma estratégia política de Estado, alguns governos podem adotar de ufanismos para aumentar esse sentimento passional da população como forma de apaziguar os problemas estruturais, sociais e econômicos, independentemente do que esteja acontecendo.

Desde o Império até chegar a República, aqui no Brasil, alguns governos adotaram essa estratégia justamente para minimizar as mazelas que sempre estiveram presentes em algumas estruturas brasileiras. Uma delas, e talvez a mais conhecida por todos, é a letra do hino nacional.

Hino Nacional

Composto em 1831, e constituído de uma letra (poema) oficial somente em 1922, o hino nacional brasileiro pode ser reconhecido – durante as décadas – como um dos ufanismos brasileiros.

Serviu para que o povo, logo após a Independência, pudesse entender como seria dali para frente e se alegrar com o futuro. Após a proclamação da República, ajudou a restabelecer as belezas e riquezas naturais do solo brasileiro, para lembrar o quão grande e belo é o nosso território e, assim, acalmar os ânimos da população com as novas incertezas.

Em ambos períodos, o hino nacional brasileiro, como símbolo nacional, pôde ajudar os governos a se concretizar de fato. A letra nos lembra das coisas belas, mas se esquece – durante a época – de colocar a realidade das precariedades sociais, escravidão, o sofrimento dos povos originários e demais problemas que existiam em ambas realidades.

Leia mais: A escravidão ainda existe no Brasil?

Ditadura Militar

Outro exemplo de ufanismo na história do Brasil, já na República, foi durante o período militar (1964 – 1985). Os presidentes militares da época utilizaram do sentimento ufanista para que a população desenvolvesse cada vez mais um orgulho nacional exacerbado.

Tentando uma aproximação simpática com a população, os líderes do período priorizavam algumas estratégias de marketing com a intenção de atingir a massa populacional e cativar as pessoas positivamente, para que, cada vez mais, conquistassem apoiadores em todo o Brasil.

Veja também nosso vídeo sobre a Ditadura Militar no Brasil!

Dentre essas estratégias, durante o governo de Emílio G. Médici (1969 – 1974), foi criado o slogan: “Brasil: ame-o ou deixe-o”. Com intenção ufanista, para aumentar este sentimento caloroso pelo Brasil, o slogan colocava uma pressão sobre a população para aceitar as normas institucionalizadas no período ou abandonar o país, caso a pessoa não aceitasse as políticas institucionalizadas pelo regime ditatorial.

Ainda durante o período presidencial de Médici, ele adotou algo muito curioso como propaganda. Muito antes daquele período já era uma paixão nacional, porém, com todos os problemas sociais e perseguições políticas instituídas pelo Ato Institucional número 5, foi um pouco deixado de lado. A estratégia promocional usada foi o maior esporte brasileiro: o futebol.

Leia mais: 5 vezes em que futebol e política se cruzaram

A seleção brasileira de futebol disputou, no ano de 1970, a copa do mundo de futebol no México. Nesta copa, esteve em disputa o possível e inédito tricampeonato mundial de futebol por uma seleção, feito disputado pelos bi-campeões de copas naquele ano: Brasil, Itália e Uruguai.

Este fato, e ainda mais com um feito inédito da seleção de futebol, foi utilizado pelo governo brasileiro para, novamente, aproximar o sentimento ufanista do país e da seleção de futebol. Justamente por toda essa comoção nacional, a delegação de futebol contava até com músicos famosos contratados para alegrar o time e a torcida aqui no Brasil.

Na final da copa, o Brasil se tornou o primeiro tricampeão mundial de futebol em cima da Itália. E toda essa celebração foi vista como uma forma de alegria e vitória nacional, uma comemoração momentânea que serviu para afastar os problemas e comemorar o título com o sentimento de amor à pátria, com um sentimento ufanista.

E você, aprendeu algo novo com o texto? Nos conte nos comentários! E para saber mais sobre o ufanismo, continue lendo os textos da Politize!

Referências:

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
É nascido e criado no ABC Paulista, Bacharel em Relações Internacionais e tem grande interesse por assuntos relacionados à América Latina, Política Externa Brasileira e Educação. Tem experiência em coordenar projetos de Simulações das Nações Unidas. Ativista a favor do acesso à educação, acesso à oportunidades de aprendizado e preservação do meio ambiente.

Ufanismo: Você sabe o que significa e onde pode ser usado?

13 jul. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo