O que é educação política?

Foto: Pixabay

escola sem partido

Se, por um lado, as manifestações populares dos últimos anos sinalizaram que o brasileiro tem se interessado e valorizado mais a política, por outro elas também revelaram a falta de conhecimento dos brasileiros sobre a política. Não surpreende que haja carência de educação política em um país com problemas graves na educação básica. A não previsão de disciplinas escolares que abordam o sistema político brasileiro ou a Constituição Federal prejudica ainda mais esse quadro. 

De todo modo, é crescente o interesse em política e por isso cada vez mais pessoas se dedicam a entender o tema, seja no sentido prático – a política das instituições públicas, dos movimentos sociais e de protestos de rua -, seja no sentido teórico – teorias, correntes de pensamento e ideologias, que moldam a ação prática dos indivíduos.

Por isso, faz-se necessário discutir o que precisamos ensinar e aprender em relação à política. O que é educação política e o que se pretende passar com ela? E afinal, qual é a relevância disso?

Se preferir, escute nosso podcast sobre o tema:

Listen to “#037 – O que é educação política?” on Spreaker.

Educação política: conceito

Resumidamente, educação política é um processo de transmissão de informações e conhecimentos cuja finalidade é disponibilizar ao cidadão um repertório que lhe permita compreender as nuances dos debates políticos no Brasil e no mundo. E que também o capacite para participar ativamente da política.

Isso já é feito recorrentemente no Brasil. Muitas entidades oferecem cursos de formação política para a população, em especial a jovens líderes motivados a causar impacto na sociedade. O Politize! orgulhosamente se junta a esse grupo de instituições, ao oferecer conteúdos educativos sobre política pela internet e, por conseguinte, disseminar a educação política no país. Aprender e se informar sobre política nunca esteve tão acessível.

Mas por que educação política é importante?

Foto: Wikimedia Commons

educação política

Acreditamos que oferecer e disseminar educação política para a população é o primeiro passo para a politização e a conscientização. Isso tem grande potencial de render benefícios para a democracia brasileira. Refletir sobre política é um exercício que propicia o pensar na coletividade. Implica exercitar a empatia, já que somos expostos às visões do outro. Sobretudo, nos leva a pensar em nosso papel como cidadãos e no impacto de nossas ações na sociedade. Em suma, a educação política é importante porque fornece ferramentas para a cidadania e, assim, empodera pessoas, grupos e comunidades.

O que a educação política deve ensinar?

No Politize!, acreditamos que educar politicamente envolve expor de forma didática e objetiva tópicos importantes sobre a política nacional. Além disso, a educação política deve respeitar a pluralidade de pensamento existente na sociedade. Abaixo separamos alguns dos temas que cremos serem cruciais para que o brasileiro compreenda o que se passa na política nacional.

As instituições

Foto: Wikimedia Commons

educação política

É muito importante entender o desenho institucional do Estado brasileiro, que é onde se tomam as decisões mais importantes da vida nacional. A divisão dos três poderes, a democracia representativa e a federação brasileira são aspectos básicos da organização política do nosso país – e com as quais muitos não têm familiaridade.

Ainda em relação às instituições, outras questões devem ser levantadas, como o papel da Câmara e do Senado, a relação entre Legislativo e Executivo, o papel de cada autoridade pública e as regras constitucionais. Também cabe entender as funções do Judiciário e como ele também influencia a política nacional. No fim das contas, entender como se organiza o Estado brasileiro é fundamental para compreender por que as coisas são como são no nosso país.

o-livro-urgente-da-politica-banner

Quem faz a política

A educação política trata de aspectos que vão além do desenho institucional de um país. As regras do jogo apenas condicionam a forma como ele acontece. Mas é preciso, além disso, entender como ele se desenrola. A política tem a ver com as relações de poder existentes na sociedade. Existem diferentes grupos interessados nas decisões tomadas em espaços como as eleições, o Congresso e o Palácio do Planalto. Por isso, é preciso entender a sociedade brasileira, como ela se constituiu e como ela se tornou o que é hoje.

Bandeiras políticas

Foto: Wikimedia Commons

A sociedade é formada por diferentes grupos e eles também expressam visões políticas divergentes. A educação política deve mostrar diferentes ideologias, que representem diferentes formas de pensar sobre a vida em sociedade. Mas deve principalmente ressaltar que há muitos tons de cinza entre um e outro extremo e que a maioria de nós não precisa se conformar a visões estereotipadas do que seria uma pessoa “de esquerda” ou “de direita”, por exemplo.

Desconstrução de visões negativas sobre política

De acordo com Rodrigo Estramanho de Almeida, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) não regulamentam a atividade da educação política. Por outro lado, eles preveem que o ensino de política deve superar a visão equivocada que muitos brasileiros têm em relação à política. O senso comum em relação a esse tema é que este se resume a um espaço para práticas corruptas de bandidos e trambiqueiros.

Mas a política é muito mais do que a corrupção de Brasília ou de qualquer outra instância do serviço público. Em seu sentido mais amplo, política é o processo de tomadas de decisão coletivas sobre os mais diversos problemas. Trata-se de uma prática recorrente e necessária, que fazemos o tempo todo em nossas vidas. Família, escola, faculdade, empresa: todos esses são espaços de vivência em comunidade e que por vezes requerem deliberação e resolução conjunta de problemas. Uma vez que vivemos em sociedade e somos afetados diretamente por decisões coletivas, não há como fugir da política.

Valores

A educação política também não pode se furtar da defesa de valores fundamentais à convivência democrática. A política deve envolver tolerância às diferenças, direito ao contraditório, ética, responsabilidade e o reconhecimento do outro. A democracia é incompatível com manifestações de ódio e discriminação.

Política não precisa ser feita em Brasília. Faça você mesmo!

Foto: Roberto Parizotti

educação política

Apesar de nossa atenção, enquanto cidadãos brasileiros, estar muito voltada para Brasília, é um equívoco pensar que a política se resume às decisões tomadas por lá. Em nossos bairros e municípios, temos problemas próprios. Acreditamos que a educação política deve orientar o cidadão a tomar consciência dos problemas locais e participar da transformação do lugar onde vive. Para isso, existem muitos espaços de cidadania, como conselhos, audiências públicas, observatórios, entre outros.

A democracia também está ao nosso alcance na internet. As redes sociais tornaram-se um espaço de debate  – mesmo que muitas vezes envolto de ódio e intolerância. Órgãos públicos disponibilizam meios de a população expressar sua opinião sobre temas fundamentais. A internet também trouxe mais formas de monitorar o trabalho dos nossos representantes e a execução dos serviços públicos.

Fonte: Fundação Konrad Adenauer

Publicado em 22 de novembro de 2016. Atualizado em 27 de novembro de 2016.

Bruno André Blume

Bacharel em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e editor de conteúdo do portal Politize!.