Navegue por categria

,

Entenda o que é o Mapa da Fome e quais são seus objetivos

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!
Imagem: Ednubia Ghisi e Regis Luís Cardoso/Fotos Públicas.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil está no Mapa da Fome mais uma vez. Mas você sabe o que é o Mapa da Fome e como um país entra nele?

Combater a fome e alcançar a segurança alimentar para todos é um objetivo mundial e tema central da Organização para a Alimentação e Agricultura, em inglês Food and Agriculture Organization (FAO), pertencente à Organização das Nações Unidas (ONU)

O principal objetivo da FAO, juntamente a outras organizações internacionais e governos locais, é garantir que as pessoas tenham acesso regular a alimentos de qualidade e a quantidades suficientes para levar uma vida ativa e saudável.

Uma das ferramentas mais importantes para atingir esse objetivo é o Mapa da Fome, por isso, nesse texto, você poderá aprender tudo sobre ele.

Veja também: Soberania alimentar: o que é e como esse debate é também ambiental?

O que é o Mapa da Fome?

O Mapa da Fome é uma ferramenta que apresenta o número de pessoas que enfrentam a fome e a insegurança alimentar no mundo. O Mapa aponta os países em que existem populações que não têm acesso à alimentação, têm acesso inadequado ou insuficiente para uma vida saudável.

O Mapa da Fome é publicado pela FAO anualmente no relatório “O estado da segurança alimentar e da nutrição no mundo”, esse relatório apresenta a fome e a insegurança alimentar no mundo, por região e por país.

Um país entra no Mapa da Fome quando mais de 2,5% de sua população enfrenta falta crônica de alimentos e, para identificar esse percentual e outros número relacionados a fome e a insegurança alimentar, a FAO utiliza indicadores tais como:

  • Profundidade da fome, a qual é medida pela estimativa de pessoas que enfrentam a fome ou têm alimentação insuficiente e inadequada;
  • Desnutrição, a qual considera não somente pessoas que não têm acesso à alimentação, mas também aquelas que têm acesso insuficiente e/ou inadequado;
  • População, consiste na identificação de populações em situação de vulnerabilidade e que, consequentemente, enfrentam a fome, tais como mulheres e crianças.

Veja também: 5 coisas que você precisa saber sobre Insegurança Alimentar

Qual o objetivo do Mapa da Fome?

O Mapa da Fome tem como objetivo medir o acesso da população de determinado país à alimentação adequada e suficiente para uma vida saudável.

No ano 2000 surgiram os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) quando líderes mundiais se reuniram na ONU para discutir o combate à pobreza, criando assim oito ODM, dentre eles, o combate à fome. Assim, a partir do ano 2000, o Mapa da Fome passou a indicar os avanços ou retrocessos mundiais no alcance do ODM.

O ODM esteve em vigor até 2014 e, a partir de 2015, foi substituído pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) um conjunto de 17 metas mundiais estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas, sendo a segunda meta o alcance da fome zero e agricultura sustentável.

Capa índice fome no pais. Imagem: Gabriel Moreira/UOL.

De acordo com a ONU, o objetivo é “Até 2030, acabar com a fome e garantir o acesso de todas as pessoas, em particular os pobres e as pessoas em situação de vulnerabilidade, incluindo crianças, a alimentos seguros, nutritivos e suficientes durante todo o ano”.

Atualmente, então, o Mapa da Fome tem como objetivo medir o acesso da população mundial à alimentação e indicar se a ONU, demais organizações internacionais e líderes políticos têm avançado no alcance da fome zero e da agricultura sustentável.

Assim, o mapa indica também se as medidas adotadas para o combate à fome têm sido adequadas ou se precisam ser reformuladas de acordo com as necessidades, mudanças de contextos políticos, econômicos e sociais.

Qual o ranking do mundo na fome?

De acordo com a ONU, de 2014 a 2019, o Mapa da Fome apresentou poucas variações, no entanto, a partir de 2020 houve uma piora na alimentação de grupos populacionais mais vulneráveis devido os impactos socioeconômicos da pandemia decorrente da COVID-19.

O relatório sobre a fome mundial publicado pela FAO em 2021 estimou que entre 720 e 811 milhões de pessoas passaram fome em 2020. Isso significa que, de 2019 para 2020, houve um aumento de, aproximadamente, 103 milhões de pessoas enfrentando a fome.

De acordo com o relatório publicado em 2022, estima-se que, no ano de 2021, o número de pessoas que enfrentaram a fome foi entre 702 e 828 milhões, um aumento de, aproximadamente, 46 milhões de pessoas de um ano para outro, totalizando cerca de 9,8% da população mundial.

Desde o início da pandemia da Covid-19 então, cerca de 150 milhões de pessoas passaram a enfrentar a fome. De acordo com a FAO, o maior aumento percentual ocorreu na África, conforme o quadro abaixo:

201917,4%4,3%7,4%2,5%
202019,6%5,1%8,6%2,5%
202120,2%5,5%9,1%2,5%
Fonte: Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO) das Nações Unidas.

Qual ano o Brasil saiu do Mapa da Fome?

De acordo com o relatório da FAO, o Brasil saiu do Mapa da Fome em 2014 ao alcançar a meta dos Objetivos do Milênio de reduzir pela metade a população que enfrentava a fome. A FAO aponta que essa conquista consiste, além de uma melhoria na alimentação, em uma melhoria no desenvolvimento humano e redução da desigualdade no país.

O Brasil saiu do Mapa da Fome devido à união de políticas macroeconômicas, sociais e agrícolas, e ao grande envolvimento da sociedade civil no processo político. Houve cooperação e coordenação entre 19 ministérios e os governos federal, estadual e municipal, desde a formulação até o monitoramento através do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA).

A partir de 2003, a agenda política brasileira, na época sob governo do presidente Lula, colocou o combate à fome como um dos temas centrais e lançou, naquele mesmo ano, o programa Fome Zero, a fim de garantir ao menos três refeições diárias à população em situação de vulnerabilidade.

Veja também: O impacto de políticas públicas de combate à fome!

Para complementar o programa Fome Zero, foi implementado o Programa Bolsa Família, uma política de transferência direta de renda, a qual tirou muitas famílias da pobreza e extrema pobreza e, consequentemente, da fome.

Em 2011 o Governo Federal implementou o Plano Brasil sem Miséria, o qual tinha como objetivo superar a extrema pobreza até 2014. O Plano se organizava em três eixos: 1) garantia de renda para alívio da situação de extrema pobreza; 2) acesso a serviços públicos para promover educação, saúde e cidadania e; 3) inclusão produtiva para aumentar as oportunidades de trabalho e de renda entre as famílias mais pobres.

O Brasil recebeu também ajuda da FAO através de suporte de técnicos internacionais, acordos de cooperação e auxílio na preparação e implementação do programa Fome Zero nos primeiros meses de 2003.

As despesas governamentais com programas sociais e de segurança alimentar e nutricional aumentaram mais de 128% de 2000 a 2012, e totalizaram, aproximadamente, US$ 35 bilhões em 2013, representando a maior despesa da receita federal naquele mesmo ano.

Veja também nosso vídeo sobre o que o agronegócio produz!

Qual o ranking do Brasil no Mapa da Fome?

O relatório da FAO mostra que, a partir de 2015, o número de brasileiros enfrentando a fome aumentou gradativamente, mas o país não havia, ainda, retornado ao Mapa da Fome, pois manteve o percentual igual ou inferior a 2,5% da população nessa condição.

Em 2019, o Consea foi desativado pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, seguido pelo encerramento de programas como Segurança Alimentar e Nutricional, o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), todos essenciais para a alimentação da população brasileira em situação de vulnerabilidade.

Como efeito, o relatório da FAO publicado no ano de 2022 mostra que o Brasil está novamente no Mapa da Fome. Através de uma média feita de 2019 a 2021, o relatório mostra que a fome atingiu 4,1% da população brasileira, levando 8,6 milhões de pessoas à desnutrição e 15,4 milhões de pessoas a insegurança alimentar severa.

Dos 166 países analisados pela FAO entre 2019 e 2021, 118 deles entraram no Mapa da Fome, e somente 48 deles não entraram. Nesse ranking, o Brasil ocupa o 94º lugar no Mapa da Fome, ficando atrás de países como Argentina, Chile, Costa Rica, Japão e Ucrânia.

O Brasil sairá do Mapa da Fome?

Após as eleições de 2022, Lula passou de ex para atual preisdente do Brasil. Seu governo teve início em 1 de janeiro de 2023, e uma de suas primerias medidas foi a recriação do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), uma das principais ferramentas para retirar o Brasil do Mapa da fome no ano de 2014.

O Consea é responsável por garantir a existência de uma política de Segurança Alimentar atrvés de atividades como:

  • O controle de estoques de alimentos;
  • Programa de cisternas;
  • Agricultura familiar com a articulação entre campo e cidade;
  • Rotulagem de alimentos;
  • Monitoramento de ações e políticas públicas;

Assim, espera-se que, o Consea, junto a outras políticas econômicas e sociais, consigam retirar o Brasil do Mapa da Fome novamente.

O Mapa da Fome em 2030

Ao redor do mundo, milhares de pessoas enfrentam a fome e a insegurança alimentar, sobretudo aquelas que se encontram em regiões com elevados índices de desigualdade ou afetadas por climas extremos, conflitos e crises econômicas e, soma-se a esses contextos a pandemia decorrente da COVID-19.

OMS solicita que nações mais ricas apoiem regiões mais vulneráveis. Fonte: Shutterstock.

Estima-se que, em 2030, 670 milhões de pessoas ainda poderão enfrentar a fome devido aos fatores climáticos, políticos, econômicos e sociais, e cerca de 30 milhões dessas pessoas, são aquelas impactadas pelos efeitos decorrentes e duradouros da Covid-19 da pandemia da COVID-19.

Assim, o mundo não está a caminho de alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável e a meta de zerar a fome até 2030, mas sim de ultrapassar 840 milhões de pessoas em situação de fome e insegurança alimentar, de acordo com as tendências identificadas pela FAO no levantamento feito em 2020.

Para evitar esse cenário em 2030, o relatório publicado em conjunto pela FAO, pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida), pela UNICEF, pelo Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) e pela OMS, sugere um conjunto de diretrizes para que os líderes políticos combatam os determinantes da fome e da insegurança alimentar:

  • Integração de políticas humanitárias de desenvolvimento e de consolidação da paz em áreas de conflito por meio de medidas de proteção social, para evitar que as famílias vendam bens escassos em troca de alimentos;
  • Aumento da resiliência climática em todos os sistemas alimentares, oferecendo aos pequenos agricultores amplo acesso a seguro contra riscos climáticos e financiamento baseado em previsões climáticas;
  • Apoiar os produtores locais de pequena escala a cultivar e vender alimentos mais nutritivos e garantir seu acesso aos mercados;
  • Redução do desperdício e dos custos na produção, armazenamento, transporte, distribuição e comercialização de alimentos;
  • Incluir a nutrição nos sistemas nacionais de proteção social e nas estratégias de investimento;
  • Fortalecimento das populações vulneráveis à crises econômicas por meio de programas para diminuir o impacto do aumento dos preços dos alimentos;
  • Combate à pobreza e às desigualdades estruturais estimulando a plantação de alimentos em comunidades pobres por meio de transferências de tecnologia e programas de certificação;
  • Priorizar a nutrição infantil como a categoria mais carente.

E aí, você conseguiu entender o que é o Mapa da Fome das Nações Unidas? E os desafios para solucionar a fome no mundo? Deixe suas dúvidas e opiniões nos comentários!

Referências

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

2 comentários em “Entenda o que é o Mapa da Fome e quais são seus objetivos”

  1. “Para complementar o programa Fome Zero, foi implementado o Programa Bolsa Família, uma política de transferência direta de renda, a qual tirou muitas famílias da pobreza e extrema pobreza e, consequentemente, da fome.”

    Simplesmente mentira.

    MAM

  2. Caro MAM,
    Já não estamos no tempo dos dogmas e do «ganha quem grita mais alto».
    Portanto, se você considera que uma afirmação não está correta, deve fornecer argumentos válidos que comprovem a sua opinião.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Graduada em Relações Internacionais e mestranda em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Entenda o que é o Mapa da Fome e quais são seus objetivos

17 jun. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo