Navegue por categria

Embrapa: qual a sua importância para a agricultura no Brasil?

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

Na década de 1970, houve um aumento significativo na produção agrícola brasileira. O crescimento da população e da renda per capita, e a abertura para o mercado externo mostravam que, sem investimentos em ciências agrárias, o Brasil não conseguiria reduzir o diferencial entre o crescimento da demanda e o da oferta de alimentos. Com isso, em 7 de dezembro de 1972, o então presidente da República, Emílio Garrastazu Médici, sancionou a Lei nº 5.851. Ela autorizava o Poder Executivo a instituir empresa pública, sob a denominação de Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Veja mais: Conheça todos os presidentes do Brasil!

Assim, em 1973, nasceu a Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), para desenvolver a base tecnológica de um modelo de agricultura e pecuária genuinamente tropical, fornecendo conhecimento, tecnologia e suporte necessário para os produtores rurais enfrentarem os desafios específicos em suas regiões. Com isso, esse texto busca explicar, de forma acessível, do que se trata a Embrapa, seus objetivos e suas contribuições para a agricultura brasileira. Vamos lá?

Principais objetivos e missão da Embrapa

Os objetivos da Embrapa incluem promover a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação na agricultura brasileira, visando aumentar a produtividade, a sustentabilidade e a competitividade do setor agropecuário.

Veja também: Impactos do Agronegócio na Economia e no Meio Ambiente. Além disso, a Embrapa busca transferir tecnologias e conhecimentos gerados para os produtores rurais e demais agentes do agronegócio, contribuindo assim para o desenvolvimento socioeconômico do país. A Embrapa tem como missão viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura, em benefício da sociedade brasileira. Sua visão se pauta em ser referência na geração e oferta de informações, conhecimentos e tecnologias, contribuindo para a inovação e a sustentabilidade da agricultura e a segurança alimentar. Os princípios que balizam as práticas e comportamentos da Embrapa e seus integrantes, e que representam as doutrinas essenciais e duradouras da Empresa são: comprometimento, cooperação, equidade, ética, excelência, flexibilidade, responsabilidade socioambiental e transparência.

Importância da Embrapa para a agricultura brasileira

A Embrapa foi criada para suprir necessidades relacionadas ao desenvolvimento de novos conhecimentos e tecnologias, voltadas para o aumento da produção e consequentemente, para o fortalecimento da agropecuária brasileira.

Concebida durante o período de governo militar, a Embrapa pode ser considerada uma iniciativa visionária, que já se tornou um marco no progresso econômico do Brasil e está entre os principais institutos de pesquisa agropecuária do mundo ocidental.

Atualmente, a Embrapa é dividida em: Unidades de Serviço (US), Unidades de Pesquisa de Produtos (UPP), Unidades de Pesquisa de Temas Básicos (UPTB) e Unidades de Pesquisa Agroflorestal ou Agropecuária nas Ecorregiões Brasileiras (UPA).

Essa divisão torna a Embrapa bem estruturada e presente em todas as regiões do país, direcionando suas pesquisas para os mais diferentes segmentos relacionados à agropecuária, possibilitando o desenvolvimento de novas tecnologias, que podem ser aplicadas e utilizadas por tais segmentos, gerando produção e riqueza de capital.

Ao longo de suas quatro décadas de existência, a mencionada empresa já desenvolveu uma série de patentes que tem dado ao Brasil um destaque no cenário internacional. E, significativas também são suas contribuições no campo da sustentabilidade.

Além disso, a Embrapa contribui para o aumento da produção agrícola e da melhoria da pecuária nacional, a promoção da agricultura familiar, o combate ao empobrecimento dos solos, a disseminação do conhecimento tecnológico e a redução dos desequilíbrios regionais.

Leia também: Qual a situação da agricultura familiar no Brasil?

Agricultura. Imagem: Pixabay

Inovações e tecnologias desenvolvidas pela Embrapa

Desde que foi criada, a Embrapa vem mantendo sua tradição e compromisso com a sociedade de desenvolver e apresentar opções tecnológicas diversificadas ao homem do campo, levando algumas de suas principais tecnologias de incremento à agricultura sustentável.

Em 2023, no ano de comemoração de seus 50 anos, a Embrapa participou com seis Unidades e 16 tecnologias, produtos e serviços, incluindo lançamentos, para o produtor rural, seja ele agricultor familiar ou grande empresário, de diferentes cadeias produtivas.

Algumas tecnologias apresentadas no ramo de alimentação foram:

  • Abelha-sem-ferrão: a Embrapa investe no desenvolvimento de tecnologias para criação e uso sustentável das abelhas-sem-ferrão (ASF). O objetivo é gerar renda a partir da biodiversidade brasileira de abelhas e aumentar a produtividade dos cultivos dependentes delas para polinização;
  • Nanoemulsão de cera de carnaúba: emulsão com partículas nanométricas (invisíveis ao olho humano) à base de cera de carnaúba para revestimento de frutos de mesa (mamão, laranja, manga, tangerina, entre outros) sob diferentes concentrações;
  • Cultivares de amendoim: três novas cultivares direcionadas ao consumo de mesa e à indústria de alimentos e se destacam pelo alto teor de ácido oleico (acima de 75%), os grãos conservam suas qualidades por maior tempo depois da colheita, garantindo maior vida útil de prateleira.

Na área de insumos, foram apresentados os seguintes projetos:

  • Arbolina: biofertilizante agrícola desenvolvido pela Embrapa para aumentar a eficiência dos sistemas produtivos. Composto principalmente por carbono (47%), nitrogênio (17%) e hidrogênio (4%). O bioinsumo possui propriedades potencializadoras da atividade fotossintética;
  • Auras: bioinsumo produzido a partir da rizobactéria Bacillus aryabhattai, extraída das raízes do mandacaru (Cereus jamacaru), para ser aplicado em lavouras, principalmente milho para aumentar a resiliência e a capacidade de adaptação das plantas ao estresse hídrico.

E na área de florestas:

  • Aplicativo Restaura Mata Atlântica: pesquisadores da Embrapa e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) desenvolveram um aplicativo com informações de 276 espécies vegetais da Mata Atlântica. A ideia é oferecer uma ferramenta que permita o planejamento ambiental e econômico para os projetos de restauração.

A Embrapa e a sustentabilidade na agricultura

Sabe-se que a incessante busca por crescimento resulta na exploração inconsequente dos recursos naturais, causando impactos negativos na diversidade biológica e no ambiente. Dentro deste contexto, é essencial o desenvolvimento de novas tecnologias que possam reduzir esses efeitos.

Entre as medidas tomadas pela Embrapa para combater isso, podemos citar os sistemas de produção sustentável, que se baseiam em práticas agrícolas ecologicamente corretas, bem como o seu papel na formulação de políticas públicas para uma produção mais sustentável.

A Embrapa, como uma entidade pública, tem se empenhado em buscar soluções tecnológicas não apenas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), mas também para manter a competitividade do país num mercado que cada vez mais valoriza a sustentabilidade na produção.

As soluções propostas pela Embrapa são principalmente práticas, com foco em aspectos como manejo do solo, desenvolvimento de variedades em sistemas orgânicos e ecologicamente corretos, treinamentos, zoneamento agroecológico e adoção de técnicas de plantio direto.

Algumas ações da Embrapa que atuam na promoção do desenvolvimento sustentável na agricultura são:

  • O programa Sistema de Produção Integrada – PI Brasil: tem como foco a gestão dos processos produtivos, promovendo um alto nível de monitoramento de todas as etapas da produção, com rastreabilidade até os supermercados, gerando uma certificação denominada Brasil Certificado;
  • A certificação é realizada por empresas acreditadas pelo Inmetro, que seguem um protocolo específico, com normas técnicas adequadas a cada produto, incluindo Boas Práticas Agropecuárias, respeito à legislação ambiental, sanitária e trabalhista. Além disso, adota o Manejo Integrado de Pragas (MIP) e a redução do uso de fertilizantes e agrotóxicos;
  • Projeto Balde Cheio: promove o desenvolvimento sustentável da pecuária leiteira via transferência de tecnologia. Consiste na capacitação de técnicos contratados por entidades parceiras para assistirem os produtores, incentivando o crescimento e a produtividade do setor, de acordo com a realidade de cada produtor.

Desafios futuros para a Embrapa

Para garantir um amanhã equitativo e ecologicamente viável para todos, a sociedade moderna está diante de decisões cruciais que devem ser tomadas nos próximos vinte anos.

Dentre esses desafios, tem-se a garantia da competitividade e sustentabilidade da agricultura brasileira. Sendo esse uma das megatendências listadas na plataforma Visão de Futuro do Agro Brasileiro, desenvolvida pelo Sistema de Inteligência Estratégica da Embrapa (Agropensa).

Além da sustentabilidade, o estudo traz outras sete megatendências, como adaptação à mudança do clima, agrodigital, intensificação tecnológica e concentração da produção, transformações rápidas no consumo e na agregação de valor, biorrevolução, integração de conhecimentos e de tecnologias e incremento da governança e dos riscos.

As oito megatendências apontam um conjunto de desafios para que o agro se mantenha competitivo e sustentável num longo prazo. Nisso, a Embrapa sente-se incluída no enfrentamento dos desafios históricos do agro para mitigar ameaças e ampliar oportunidades científicas e tecnológicas.

Conseguiu entender o que é a Embrapa e sua importância no cenário da agricultura em nosso país? Deixe suas dúvidas e sugestões nos comentários!

Referências:

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Cearense, 21 anos, graduanda em Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal do Ceará. Participei do English Immersion Program em 2019, me tornando Young Leader pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil e sou ganhadora do 1° lugar do concurso nacional de redação do Museu da Imprensa Nacional em 2018. Sou apaixonada por educação, idiomas, gatinhos e BTS.

Embrapa: qual a sua importância para a agricultura no Brasil?

14 jun. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo