Navegue por categoria

Logotipo do partido Republicanos

História do Republicanos: o verdadeiro Partido Conservador?

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

Com a ascensão do Conservadorismo em 2018, começou a surgir um movimento conservador entre os partidos políticos brasileiros. Partidos antes conhecidos por seus representantes mais notáveis, hoje são associados às  bandeiras que apoiam. Entre esses partidos, temos o Partido Republicanos, que surgiu como PMR (Partido Municipalista Renovador), passou a ser PRB (Partido Republicano Brasileiro), e, atualmente, adota apenas o nome Republicanos.

Mas por que o Republicanos usa em seu slogan “o verdadeiro partido conservador do Brasil”? Vamos entender juntos? Continue a leitura!

Leia também: Conservadorismo: entenda o conceito em 4 pontos

Como ser um Partido Conservador?

Para conhecer a história do partido e seu slogan, precisamos antes  entender um pouco sobre o conservadorismo.

O conservadorismo descrito por Edmund Burke, Michael Oakeshott, Roger Scruton e Russell Kirk traz na sua essência princípios como: os valores judaico-cristão, a manutenção das instituições base da sociedade, o ceticismo, a economia de mercado, e, principalmente, a  virtude da prudência. Para fazermos a comparação do slogan com o conservadorismo, primeiro precisamos conhecer um pouco de cada princípio.

Os mais importantes princípios do conservadorismo

Valores judaico-cristão:

Para os conservadores, os valores da sociedade devem ser aqueles  derivados da cultura judaico-cristã, como: liberdade de pensamento, propriedade privada, fé em um só Deus, e a família idealizada por Ele como unicidade social fundamental.

Por isso, é importante para o conservador manter esses princípios, e perpetuá-los para que as próximas gerações tenham a possibilidade de aprender e utilizar-se de tal sabedoria. Nesse sentido, é muito comum ver conservadores defendendo a liberdade religiosa.

Manutenção das instituições:

As instituições merecem grande atenção. Conservadores não são contra mudanças ou aprimoramentos, mas se opõem   a mudanças radicais, bruscas e sem planejamento prévio.

Para eles, é necessário que as mudanças sejam implementadas gradualmente e com cautela,visando o bem da sociedade e evitando a instabilidade que acreditam acompanhar rupturas bruscas. É por isso que enfatizam tanto a importância de preservar as instituições base da sociedade, especialmente  a família, a comunidade local e a religião.

Ceticismo:

O Conservador é um cético político. Para Burke, por muitos considerado o pai do conservadorismo, um bom Estadista deve observar as experiências acumuladas pelas gerações, ao longo de muito tempo, e nunca se deixar levar por uma ideologia “revelada”. Não deve acreditar em suposições ou ideias não testadas no mundo real.

Virtude da Prudência:

A virtude da prudência se mistura bastante com os valores acima, é por causa dela que os conservadores evitam mudanças bruscas. Eles acreditam que toda mudança reflete na sociedade, por isso deve ser pensada, avaliada com calma e colocada em prática de forma paulatina para que não haja consequências negativas.

Economia de mercado:

Acreditam que a melhor forma de desenvolvimento é o livre comércio e o liberalismo econômico, por isso defendem um Estado mínimo que não interfira tanto na economia, e nunca interfira no direito à propriedade privada. Por isso, também é comum ver os conservadores defendendo as liberdades individuais e a iniciativa privada. Quanto menos o Estado interferir, melhor.

Leia também: Religião e política não se discutem?

Republicanos. Imagem: Site Oficial do Republicanos.
Slogan Republicanos. Imagem: Site Oficial do Republicanos.

Como saber a ala ideológica de um partido?

Depois de observarmos alguns aspectos do conservadorismo, podemos entender o que faz um partido ser considerado parte de uma ala ideológica (direita ou esquerda, conservador ou liberal).

Para isso, é necessário que no manifesto, estatuto ou programa partidário estejam descritos os valores ou bandeiras que sinalizem tal posicionamento.

Então, para obtermos a resposta da nossa pergunta inicial precisaremos analisar o manifesto e o programa partidário do Republicanos e comparar com os valores conservadores, mas primeiro vamos conhecer a história deste partido.

Veja nosso vídeo sobre conservadorismo no Brasil e o que é ser conservador!

A história do Republicanos

O Partido Republicanos se posiciona, em seu site oficial, como: 

um movimento político conservador, fundamentado nos valores cristãos, tendo a família como alicerce da sociedade, preservando a soberania nacional, a livre iniciativa e a liberdade econômica, encorajando o progresso tecnológico como caminho inevitável para o desenvolvimento humano.”

A sigla surgiu em 2005, inicialmente chamada de Partido Municipalista Renovador (PMR), mas, no mesmo ano, por sugestão do então vice-presidente da República e presidente do partido, José Alencar, tornou-se o Partido Republicano Brasileiro (PRB).

Após alguns estudos, o partido achou mais viável se chamar apenas Republicanos, mudança homologada na Convenção Nacional de 7 de maio de 2019. Segundo o presidente do partido, o Deputado Marcos Pereira, não foi apenas uma mudança de nome e de logotipo, mas de manutenção da postura republicana, ética e ímpar no zelo com a coisa pública.

Além da defesa da família e da liberdade religiosa, o Republicanos defende também que: 

“é necessário resgatar e apoiar a indústria brasileira e sua competitividade, ampliar o comércio interno e externo e aprimorar os serviços com foco no pragmatismo, na inovação e no conhecimento. O partido defende a livre iniciativa e a autonomia econômica que apontem para o empreendedorismo e novas formas de trabalho, fortalecidas a partir dos dons e talentos dos cidadãos.”

Junto com o novo nome veio o novo manifesto e programa partidário, que, segundo o presidente da sigla, deixou ainda mais claro o posicionamento conservador do partido, o que justifica o slogan “o verdadeiro partido conservador do Brasil”.

Novo Manifesto do Republicanos

Confira abaixo, na íntegra, o manifesto político de 2019.

“Nós, os Republicanos, somos um movimento político conservador, fundamentado nos valores cristãos, tendo a família como alicerce da sociedade, preservando a soberania nacional, a livre iniciativa e a liberdade econômica, encorajando o progresso tecnológico como caminho inevitável para o desenvolvimento humano.

Acreditamos que a ordem moral duradoura que perpassa os tempos e as gerações é elementar para a sustentação da vida social. O que manteve o ser humano vivo diante das atrocidades e dos desastres ao longo da história foi justamente a capacidade de harmonizar a relação entre as pessoas e a transmissão das tradições e dos bons costumes.

Defendemos uma sociedade construída por um forte senso de certo e errado, por convicções pessoais sobre justiça e honra, cujas convenções bem-sucedidas do passado nos permitiram chegar ao presente, e garantirão, pela prudência, um futuro aos nossos filhos.

Acreditamos no domínio da propriedade privada como forma de estabilidade social, pelo senso de responsabilidade, e incentivo ao crescimento produtivo. O cidadão deve ter assegurado o direito ao acúmulo do que produziu com seu trabalho a fim de que se erga da condição opressiva da pobreza para a segurança realizadora da continuidade.

Nós, os Republicanos, buscamos a manutenção da vida social balanceada, longe de extremos, de modo a impedir o surgimento da anarquia e seu poder individualizado, e da tirania pelo poder oligopolizado. Defendemos a família como a principal referência para a vida em sociedade, e ela deve ser integralmente preservada.

Estamos certos de que o Brasil é um país extraordinário. O Criador nos ofereceu a oportunidade de sermos uma das nações mais ricas da Terra, com plena liberdade e felicidade, e nós devemos aproveitar tudo o que nos foi dado. Possuímos uma capacidade incrível de enfrentar desafios e superar momentos de dificuldade, especialmente no campo econômico.

Não temos divisões nem disputas étnicas e falamos uma única língua. Não temos inimigos estrangeiros – nem pretendemos ter. Temos água doce e salgada em abundância; temos terra boa e variada; temos petróleo, minério e um clima generoso, com sol, chuva e vento. Permanecemos livres de furacões, tsunamis e terremotos de grandes magnitudes, e nossa biodiversidade é riquíssima.

Acreditamos na Constituição como nosso documento fundamental, porém somos favoráveis à sua revisão. Defendemos governos limitados, eleitos democraticamente, a separação clara de poderes, o federalismo e o Estado de Direito.

No campo econômico, devemos resgatar e apoiar nossa indústria e sua competitividade, ampliar o comércio interno e externo e aprimorar os serviços com foco no pragmatismo, na inovação e no conhecimento. Defendemos a livre iniciativa e a autonomia econômica que apontem para o empreendedorismo e novas formas de trabalho, fortalecidas a partir dos dons e talentos dos nossos cidadãos.

É nosso dever a resolução dos problemas internos com o rígido combate ao narcotráfico, ao crime organizado e à violência. O cidadão deve ter o direito de se defender, de defender sua família e seu patrimônio.

Queremos construir nosso Brasil para as futuras gerações, independentemente da classe política do momento, do presidente da vez ou de qualquer outra força externa. Acreditamos na construção política coletiva como ferramenta de combate ao personalismo e ao populismo.

O desejo de ser útil ao País deve brotar, crescer e florescer no seio familiar, dentro de cada cidadão, especialmente nas nossas crianças, porque somente assim conduziremos nossa sociedade da dependência à autoconfiança, firmados no alicerce moral cristão e em uma ordem econômica fundamentada nas transformações tecnológicas.”

No campo econômico, devemos resgatar e apoiar nossa indústria e sua competitividade, ampliar o comércio interno e externo e aprimorar os serviços com foco no pragmatismo, na inovação e no conhecimento. Defendemos a livre iniciativa e a autonomia econômica que apontem para o empreendedorismo e novas formas de trabalho, fortalecidas a partir dos dons e talentos dos nossos cidadãos.

É nosso dever a resolução dos problemas internos com o rígido combate ao narcotráfico, ao crime organizado e à violência. O cidadão deve ter o direito de se defender, de defender sua família e seu patrimônio.

Queremos construir nosso Brasil para as futuras gerações, independentemente da classe política do momento, do presidente da vez ou de qualquer outra força externa. Acreditamos na construção política coletiva como ferramenta de combate ao personalismo e ao populismo.

O desejo de ser útil ao País deve brotar, crescer e florescer no seio familiar, dentro de cada cidadão, especialmente nas nossas crianças, porque somente assim conduziremos nossa sociedade da dependência à autoconfiança, firmados no alicerce moral cristão e em uma ordem econômica fundamentada nas transformações tecnológicas.”

Veja nosso vídeo sobre o que é conservadorismo!

Programa partidário do Republicanos

  1. ESTADO SOBERANO: Nós, os Republicanos, reafirmamos o compromisso com a independência política, a isonomia e a harmonia nas relações entre os poderes e entes da federação, e o protagonismo do Brasil no cenário internacional.
  2. GOVERNO DIGITAL: Nós, os Republicanos, acreditamos na tecnologia como ferramenta definitiva para a superação de um aparato estatal inchado, analógico, anacrônico, ineficiente e dispendioso, promovendo transparência, velocidade e capacidade de resposta às demandas da nova sociedade.
  3. AMBIENTE DE NEGÓCIOS INOVADOR: Nós, os Republicanos, entendemos que a liberdade para empreender e a independência econômica, aliadas ao progresso tecnológico, são os melhores caminhos para a prosperidade da nação.
  4. INDÚSTRIA FORTE E COMPETITIVA: Nós, os Republicanos, trabalhamos para que as reformas estruturantes permitam a construção de um setor produtivo nacional forte e inovador, com apoio a quem produz riqueza, aspirando a ampliação da presença dos produtos nacionais no mundo.
  5. DIPLOMACIA E COMÉRCIO INTERNACIONAL PRAGMÁTICO: Nós, os Republicanos, defendemos o fortalecimento da imagem e da posição internacional do Brasil e o avanço nas negociações comerciais com outros países fundamentado no pragmatismo – não em ideologia.
  6. FAMÍLIA E TRADIÇÃO: Nós, os Republicanos, acreditamos que a família é o alicerce da sociedade e a principal instituição de preservação e continuidade das tradições que performam o conjunto de valores em que acreditamos.
  7. CIDADANIA E JUSTIÇA SOCIAL: Nós, os Republicanos, propomos que o Estado atue para promover justiça social, porém sem substituir o mercado, o qual deve ser o principal garantidor e gerador de emprego e renda.
  8. TECNOLOGIAS EM SAÚDE E EDUCAÇÃO: Nós, os Republicanos, entendemos como fundamental a adoção de novas tecnologias para aprimorar a saúde e a educação dos brasileiros.
  9. DEFESA NACIONAL E SEGURANÇA PÚBLICA: Nós, os Republicanos, acreditamos que o Brasil deve ser capaz de proteger seus cidadãos de forma plena, sem concessões a grupos criminosos ou inimigos externos, com o fortalecimento permanente de todo seu sistema e aparatos de repressão.
  10. LIBERDADE DE EXPRESSÃO: Nós, os Republicanos, acreditamos que “a imprensa é a vista da Nação”, como disse Rui Barbosa, e que a democracia exige liberdade de expressão plena e responsável.

Leia também: Liberdade de expressão e Liberdade de imprensa: diferenças

Missão, Visão e Valores

Missão: O Republicanos existe para vocalizar os valores do conservadorismo de costumes, liberalismo econômico e defesa intransigente do sistema democrático, por meio da representação qualificada de seus quadros partidários.

Visão:

  • Em 2022, aumentar a representatividade no Congresso Nacional e ter uma bancada de visão mais alinhada aos conceitos da direita conservadora;
  • Em 10 anos, eleger o presidente da República e ter uma representação qualificada no Congresso Nacional, sendo um dos 3 maiores partidos políticos do país e referência internacional em Conservadorismo;
  • Ser o primeiro partido digital do país.

Valores:

  • Integridade, honestidade e transparência;
  • Defesa do conservadorismo e da família;
  • Coerência entre fala e prática;
  • Comprometimento com a democracia;
  • Defesa da inovação como um dos pilares do Estado.

Como saber a postura de um partido na prática?

Mesmo observado todo o manifesto e programa partidário, é necessário analisar os parlamentares em prática, como votam e qual a orientação que seguem do partido.

Por isso, separamos algumas matérias e orientações partidárias para nossa análise em relação às pautas conservadoras.

A postura do Partido em plenário na Câmara dos Deputados.

O Partido Republicanos tem orientado sua bancada para votar de forma favorável aos projetos que incentivem a liberdade econômica, desburocratização e geração de emprego e renda, que será visto na planilha referente às votações de 2019, ao mesmo tempo que em período de pandemia apostou em medidas Keynesianas ajudando a aprovar o PL 9236/2017 que disponibilizou o auxílio emergenciais para população mais carente.

No âmbito econômico, um conservador se difere um pouco do liberal, pois o liberal preza a liberdade acima de tudo, enquanto o conservador procura aparelhar a liberdade a todas as outras necessidades. Medidas Keynesianas não são adotadas por liberais, mas podem ser adotadas pelos conservadores em momentos de emergência.

E quando se diz respeito à liberdade religiosa, a orientação partidária é sempre favorável a exemplo do Projeto de Lei 1995/2020, de autoria da deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ), que visou tornar essencial o serviço prestado por igrejas e templos religiosos.Nos anos de 2020 e 2021 tivemos votações atípicas, visto que havia uma emergência sanitária mundial e o congresso nacional precisou focar no combate a pandemia, por isso a análise foi feita em cima das informações extraídas do site Dados Abertos da Câmara do ano de 2019, como pode ser visto na planilha abaixo:

Dados Abertos da Câmara do ano de 2019. Imagem: Câmara dos Deputados.

Em algumas proposições que obtiveram orientação (SIM) do Partido, em 2019, estiveram presentes a defesa da liberdade da fé cristã, a exaltação de símbolos cristãos, a liberdade individual e a liberdade econômica.

O tema mais polêmico protagonizado pelo partido foi o requerimento de urgência para votar o PL 442/91, que visa liberar e regulamentar jogo do bicho, cassinos, corridas de cavalos e demais apostas. O PL só foi aprovado após concessão da Frente Parlamentar Evangélica (a qual o Republicanos faz parte), que era contrária à proposta por razões morais, mas cedeu  após a garantia do acordo que pautava a urgência a votação da PEC 200/2016, que livra templos religiosos da cobrança do IPTU, parada desde 2016.

Observa-se que, em sua maioria, os parlamentares Republicanos tentam não se  envolver em grandes polêmicas, o que reforça a virtude da prudência mencionada pelo autor conservador Russell Kirk, de que ao agir e ao falar é necessário cautela e análise prévia do cenário que pode ser criado a partir de atitudes tomadas ou falas proferidas.

Crescimento do Partido Republicanos em 2022

Em 2022, antes da janela partidária, o Republicanos tinha uma bancada de 27 parlamentares na câmara dos deputados, com as novas filiações a bancada passou a ser a sexta maior, agora com 43 parlamentares. Um crescimento expressivo, visto que o partido foi o segundo que mais cresceu durante o período, ficando atrás apenas do PL.

Abaixo, temos os números atualizados dos parlamentares Republicanos em todo Brasil.

Republicanos em números hoje. Imagem: Site oficial Republicanos.
Republicanos em números hoje. Imagem: Site oficial Republicanos.

Crescimento do Partido entre os conservadores

Após a janela partidária, observamos a preferência de muitos políticos da ala do atual governo ao Republicanos. Vale lembrar que, tanto o presidente da República como seus apoiadores se intitulam conservadores, e por mais que na política possa existir acordos, a maioria de parlamentares de alas ideológicas buscam partidos que se enquadrem aos seus princípios e valores.

Entre os filiados conservadores podemos citar como exemplo a ex-ministra da mulher e da família Damares Alves, o vice-presidente Hamilton Mourão, o deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia, a deputada federal Alê Silva, e o ex-ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas.

Essa procura dos conservadores ao partido Republicanos pode sinalizar a identificação desses parlamentares com as pautas apoiadas pela sigla, além de concordância com o manifesto e programa partidário, que traz diversos aspectos do conservadorismo.

O melhor local para se descobrir as pautas, bandeiras e diretrizes de um partido é no site oficial da sigla, procurando seu manifesto, estatuto ou programa partidário e ler com bastante atenção. Se você é do tipo de pessoa que aderiu à nova onda de votar pelas bandeiras que um político apoia, então observe quais pautas que o partido dele apresenta.

Gostou da História do Partido Republicanos? E sobre o Slogan “o verdadeiro partido conservador do Brasil”, você concorda? Deixe aqui nos comentários!

Referências:

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

1 comentário em “História do Republicanos: o verdadeiro Partido Conservador?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Pernambucana residente na Paraíba, Cientista Política e Estudante de Relações Internacionais. Administradora do Perfil Conservadorismo em foco. Apaixonada pela Política.

História do Republicanos: o verdadeiro Partido Conservador?

12 jul. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo