Retrospectiva Politize: Maio 2020

Todos os meses o Politize! lança a retrospectiva do mês anterior. Essa é uma forma de lembrar e registrar alguns dos principais acontecimentos no Brasil e no mundo. Em tempos de paradoxo entre zilhões de informações nas redes e uma desinformação constante (cada vez mais pessoas acreditam em notícias falsas), o registro de fatos é um bom caminho para nos atermos a realidade. Além disso, com elas, esperamos auxiliar vestibulandos e concurseiros a se manterem atualizados para provas futuras.

Além das retrospectivas, também estamos lançando duas outras iniciativas:

O Polinews: um compilado das principais notícias da semana, disponível no youtube e nas nossas redes sociais (não deixe de nos seguir no@_politize)

Segue o Fio: uma série que foca em um tema a cada episódio, passando pelas conexões entre os acontecimentos- seguindo o “fio” – para facilitar o seu entendimento.

O que aconteceu na Política Nacional?

Bandeira do Brasil

1) Depoimento de Sérgio Moro

Por determinação do Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello,  no dia 02 de maio, o ex-juiz da Operação Lava Jato e ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, prestou depoimento à Polícia Federal. O depoimento teve duração de 9 horas (das 14h às 23h), e teve como seu principal foco as acusações de interferência na Polícia Federal por parte do presidente da República, feitas por Moro no dia 24 de abril (dia de sua saída do governo). Vale lembrar que no dia 27 de abril, por autorização do STF, foi aberto um inquérito para investigar a suposta interferência. O inquérito ainda está em andamento.

A íntegra do depoimento de Moro se encontra disponível para leitura. No dia 11 de maio, o ex-diretor da Polícia Federal, Maurício Valeixo, cuja troca foi um dos pontos que motivou a saída de Moro, também prestou depoimento. Também prestaram depoimento entre os dias 11 e 12, Alexandre Ramagem (diretor geral da Agência Brasileira de Inteligência, que havia sido nomeado para a vaga de Valeixo), Ricardo Saadi (ex-superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro) e os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Braga Netto (Casa Civil).

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, fala à imprensa. Foto de 24/04/2020 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, fala à imprensa. Foto de 24/04/2020 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

2) Liberação do vídeo da Reunião Ministerial

No dia 22 de maio, o Ministro Celso de Mello (STF) tornou público o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, que havia sido apontado por Sérgio Moro como uma prova da interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal, e faz parte do inquérito que investiga o caso. A íntegra  da reunião pode ser acompanhada tanto em documento quanto em vídeo.

Para apoiadores do presidente, o vídeo teve efeito de reforçar esse apoio, conforme apontado pela BBC, em conversa com pesquisadores que acompanham manifestações em grupos políticos de whatsapp. De acordo com os pesquisadores, o principal efeito do vídeo nos grupos bolsonaristas foi de orgulho.

Já para os críticos do governo, foram destacados pontos para a acentuação dessa crítica, como: a defesa do armamento da população por parte do governo; a manifestação da vontade de trocas da “gente da segurança nossa no Rio” para proteger família e amigos; as falas do Ministro da Educação, Abraham Weintraub, contra o Congresso e o STF; da Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, sobre “pedir a prisão de governadores e prefeitos”; e do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobre aproveitar o momento da pandemia para “ir passando a boiada, ir mudando todo regramento, do Iphan, da Agricultura, do Meio Ambiente”.

 

Reunião Ministerial de 22 de abril. (Print do vídeo da reunião, disponível no canal do Estadão)

Reunião Ministerial de 22 de abril. (Print do vídeo da reunião, disponível no canal do Estadão)

3) Nova troca no Ministério da Saúde

Mais um Ministro da Saúde deixou o cargo em meio a pandemia da COVID-19. Depois da saída de Luiz Henrique Mandetta, em 16 de abril, foi a vez de seu substituto, Nelson Teich, deixar o cargo em 15 de maio, menos de um mês após assumir em 17 de abril. Os principais pontos de discordância entre Teich e o presidente, que motivaram sua saída, foram em relação ao uso da cloroquina para o tratamento da COVID-19, à ampliação das atividades definidas como essenciais, e à flexibilização do isolamento social.

Saiba mais sobre a gestão pública da saúde no Brasil.

O médico Nelson Teich, fez um pronunciamento de despedida, no qual fez um balanço da sua curta atuação à frente da pasta. Foto de 15/05/2020 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O médico Nelson Teich, fez um pronunciamento de despedida, no qual fez um balanço da sua curta atuação à frente da pasta. Foto de 15/05/2020 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

4) Operações da Polícia Federal

Duas operações realizadas pela Polícia Federal tiveram destaque em maio. A primeira delas aconteceu no dia 26, na chamada Operação Placebo, autorizada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), que investiga desvios de verba na área da Saúde no estado do Rio de Janeiro, durante a pandemia do coronavírus. Nela, foram realizados 12 mandados de busca e apreensão, que, entre outras, envolveram as residências do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Você pode acompanhar os detalhes do caso nesta matéria do G1.

A segunda delas, por sua vez, foi feita em meio a investigação sobre notícias falsas (fake news) conduzida pelo Ministro Alexandre de Moraes (STF), no inquérito 4.781. Foram realizados 29 mandados de busca e apreensão envolvendo o Distrito Federal e os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. A operação atingiu alguns aliados do presidente Bolsonaro, como Luciano Hang (proprietário da Havan) e Allan dos Santos (blogueiro do canal Terça Livre). Você pode acompanhar a operação em detalhes nesta matéria do El País.

Sede da Polícia Federal em Brasília. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Sede da Polícia Federal em Brasília. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

5) Fraudes no Auxílio Emergencial

O Auxílio Emergencial, criado para complementar a renda de famílias de baixa renda durante a pandemia, apresentou novos problemas em maio. O principal deles é relacionado a pessoas que não se enquadram nos requisitos estarem recebendo o benefício. Além de casos como o do jogador Neymar Jr., um dos mais bem pagos do mundo, ter tido seus dados utilizados e o auxílio aprovado (apesar de sua fortuna), um levantamento realizado pelo Instituto Locomotiva aponta que 3,9 milhões de integrantes das classes A e B (a parcela mais rica do Brasil) foram aprovados no recebimento do auxílio de R$ 600.

Aplicativo do Auxílio Emergencial. (Foto: Leonardo Sá/Agência Senado)

Aplicativo do Auxílio Emergencial. (Foto: Leonardo Sá/Agência Senado)

 

6) Jornais anunciam que deixarão de cobrir o presidente

Alguns dos maiores veículos de comunicação do país anunciaram, no dia 25 de maio, que suspenderão temporariamente a cobertura diária do presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada. A principal alegação é a falta de segurança aos repórteres para a realização do acompanhamento, em meio a hostilidades que tem acontecido.

Entre esses veículos estão: o Grupo Globo, a Folha de São Paulo, o portal Uol, o Grupo Bandeirantes e o portal Metrópoles, de acordo com o jornal Estado de Minas.

Saiba mais sobre a importância as diferenças entre liberdade de expressão e liberdade de imprensa.

Microfone. Imagem ilustrativa para imprensa. ( Foto Rudy e Peter Skitterians /Pixabay)

Microfone. Imagem ilustrativa para imprensa. ( Foto Rudy e Peter Skitterians /Pixabay)

 

7) Manifestações pelo Brasil

O fim do mês também ficou marcado por manifestações de rua, tanto por parte de apoiadores do presidente Bolsonaro quanto por parte de seus críticos. Em São Paulo, parte das manifestações contrárias ao presidente veio de grupos de torcidas organizadas de Corinthians e Palmeiras, que se autodenominam antifascistas.  Saiba mais: o que é fascismo?

O portal Uol selecionou uma série de fotos das manifestações de ambos os lados. Que tal dar uma olhadinha?

 

E o que aconteceu na Política Internacional?

 

1) Mundo em combate ao coronavírus

O mundo já conta com mais de 7 milhões de casos de coronavírus (dados de 09 de junho). O Brasil é o segundo país com mais casos, atrás apenas dos Estados Unidos (707 mil) e o terceiro país com mais mortes no mundo (37.134), tendo ultrapassado a França no dia 30 de maio e a Itália no dia 04 de junho. O país se encontra atrás apenas dos Estados Unidos e do Reino Unido, em número de mortes.

A Nova Zelândia, por sua vez, em 8 de junho anunciou não ter mais nenhum caso ativo de coronavírus, iniciando uma retomada das atividades.

Enquanto isso, segue a busca global por uma vacina, coordenada pela Organização Mundial da Saúde com o apoio de 44 países, no chamado ACT (Access to Covid-19 Tools) Accelerator. O Brasil, apesar de inicialmente não fazer parte da iniciativa, se juntou a ela no dia 02 de junho. De acordo com o Chanceler, Ernesto Araújo, conforme trazido pela Agência Brasil, “decidimos que o Brasil vai entrar no chamado acelerador de vacinas, que é um projeto aí de vários países e empresas privadas que estão buscando investir e trabalhar em conjunto para o desenvolvimento de uma vacina para o Covid-19”.

Se por um lado, estamos mais próximos de uma vacina, por outro os efeitos da pandemia ainda estão para ser sentidos. De acordo com o Banco Mundial, a pandemia pode resultar em 60 milhões de pessoas em situação de pobreza extrema.

Mapa de monitoramento da COVID-19 pela Universidade John Hopkins. Print de 09 de junho de 2020.

Mapa de monitoramento da COVID-19 pela Universidade John Hopkins. Print de 09 de junho de 2020.

 

2) Estados Unidos anunciam rompimento com a OMS

No dia 25 de maio, os Estados Unidos anunciaram seu rompimento com a Organização Mundial da Saúde. No mês anterior, o governo Trump já havia anunciado a suspensão de repasses para a Organização.  A justificativa de Trump para isso, conforme trazido pela DW, é a de que “eles fracassaram em fazer as reformas pedidas e imensamente necessárias” e “a China tem controle total sobre a OMS, apesar de pagar apenas 40 milhões de dólares por ano, enquanto os EUA pagam aproximadamente 450 milhões”.

A decisão foi alvo de críticas internacionais. Conforme trazido pelo G1, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o chefe de relações internacionais da União Europeia, Josep Borrell,  pediram que Trump reconsidere a decisão, através de um comentário conjunto, no qual apontavam que: “A OMS deve continuar a ser capaz de coordenar a resposta internacional a pandemias, atuais e futuras. Por isso, a participação e o apoio de todos são necessários e indispensáveis”.

Saiba mais: como funciona o financiamento da OMS?

Brasão da Organização Mundial da Saúde (OMS)

Brasão da Organização Mundial da Saúde (OMS)

 

3) George Floyd e os protestos antirracismo

No dia 25 de maio, George Floyd, um homem negro de 46 anos, foi morto asfixiado por um policial, que já o tinha rendido, e manteve o joelho sobre o pescoço de George por nove minutos, mesmo após protestos de George, afirmando que não conseguia respirar. George havia sido acusado de utilizar uma nota falsa de US$ 20, o que levou a polícia a ser chamada. A morte aconteceu no  condado de Hennepin, Minnesota, nos Estados Unidos, mas foi  gravada e o vídeo viralizou o mundo, sendo o pivô de uma série de protestos, dentro e fora dos Estados Unidos, que pedem pela devida punição dos responsáveis e pelo respeito a vidas negras (#BlackLivesMatter)

Os movimentos tem levantado debates sobre as desigualdades raciais, ainda existentes pelo mundo. A Revista Época mapeou 6 áreas de desigualdade racial no Brasil e nos Estados Unidos. Que tal dar uma olhada?

No Brasil, além de Floyd, foram lembrados nomes de vários negros vítimas de violência policial, como o menino João Pedro (14 anos), morto em uma operação policial no Rio de Janeiro. O Politize! preparou um vídeo que trata dessas manifestações, que tal conferir?

 

Manifestação nos Estados Unidos pelo respeito às vidas negras. (Foto: Pixabay)

Manifestação nos Estados Unidos pelo respeito às vidas negras. (Foto: Pixabay)

4) Ciberataques aumentam durante a pandemia

De acordo com matéria  da Folha de São Paulo, os ciberataques (ataques que acontecem em ambiente cibernético) tem aumentado durante a pandemia, envolvendo espionagem, roubos de dados e desinformação. Você pode acompanhar alguns exemplos desses ataques na matéria da folha. Mas, antes disso, que tal conferir o texto que preparamos para você sobre  o que é e quais as possibilidades de uma ciberguerra?

(Foto: S. Hermann & F. Richte/Pixabay)

(Foto: S. Hermann & F. Richte/Pixabay)

5) Mercenários na Venezuela

A Venezuela passou por um cenário digno de filmes de ficção no começo de maio. No dia 03, o governo de Nicolás Maduro anunciou ter interceptado uma missão de um grupo de mercenários estrangeiros que tentaram entrar no país de barco, através da Colômbia. Cerca de 8 foram mortos e 19 presos. Três dias depois, no dia 06, foi exibido na TV Estatal venezuelana um vídeo no qual um deles, que afirma ter nacionalidade estadunidense, diz que foi contratado pela empresa SilverCorp para treinar grupos na Colômbia, invadir a Venezuela, capturar Maduro e levá-lo aos Estados Unidos.

O chefe do Comitê de Estratégia de Juan Guiadó (autodeclarado presidente da Venezuela) afirmou ter participado das negociações para a operação. Guaidó, por sua vez, nega envolvimento, acusando Maduro de montar uma encenação.

Bandeira da Venezuela pintada em um muro. Imagem ilustrativa (Pixabay)

Bandeira da Venezuela pintada em um muro. Imagem ilustrativa (Pixabay)

6) EUA deixam o tratado Open Skies

No dia 21 de maio, os Estados Unidos anunciaram que deixarão o tratado Open Skies,  negociado desde 1955,  assinado em 1992 e que entrou em vigor em 2002. O tratado conta com 35 países, e tem como principal objetivo ser um gerador de confiança entre seus participantes, permitindo que, de tempos em tempos, sejam realizadas missões de monitoramento entre os países, através de vôos desarmados.

Conforme apontado por Filipe Figueiredo, na Gazeta do Povo, um dos principais motivos para essa saída, assim como foi com a do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), assinado em 1987 e o que os EUA denunciaram em 2019, é a ausência da China nos mesmos. Sendo tratados pensados no âmbito da Guerra Fria, seu principal objetivo era a relação entre Rússia e Estados Unidos. No cenário atual, no entanto, a segunda potência mundial é a China e essa pode ser uma boa oportunidade de renegociar tratados com ela envolvida.

Imagem Ilustrativa (Pixabay)

Imagem Ilustrativa (Pixabay)

 

7) Limbo Político na Bolívia

Você deve se lembrar que no ano passado nós te explicamos a Crise política na Bolívia, em meio a acusações de fraudes nas eleições. E, caso não lembre, você sempre pode conferir nosso texto sobre o assunto.

O fato é que, seis meses depois, a crise continua, devido a impossibilidade de realizar novas eleições, por conta da pandemia do coronavírus.  As eleições estavam marcadas para o dia 03 de maio, mas foram adiadas e não há uma data marcada. Enquanto isso, o governo interino de Jeanine Áñez enfrenta forte oposição do Movimento ao Socialismo (MAS), partido do ex-presidente Evo Morales.  O Parlamento boliviano estabeleceu o prazo de 90 dias, contados a partir de 3 de maio, para uma nova data.

Jeanine Áñez, presidente interina da Venezuela (Foto: Zaconeta Caballero Reinaldo via Fotos Públicas)

Jeanine Áñez, presidente interina da Venezuela (Foto: Zaconeta Caballero Reinaldo via Fotos Públicas)

 

Alguns outros acontecimentos:

1) Facebook e o combate à Fake News

Em meio aos debates mundiais sobre notícias falsas, o CEO do Facebook (maior rede social do mundo), Mark Zuckerberg afirmou no dia 21 de maio que a rede está tomando providências para remover notícias falsas sobre o coronavírus. Mark deu como exemplo uma postagem do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, na qual era afirmado haver uma cura para o coronavírus, que foi removida pelo Facebook.

O mesmo tipo de atitude, no entanto, não foi adotada em relação ao presidente estadunidense, Donald Trump, que também é acusado de disseminar notícias falsas. Tal postura tem sido alvo de críticas e pedidos de demissão no Facebook.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Fotos Públicas)

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Fotos Públicas)

2) Lançamento do Falcon 9

No dia 30 de maio, a SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk, se tornou a primeira empresa privada da história a lançar um foguete tripulado ao espaço. A operação foi realizada em parceria com a NASA e o destino foi a Estação  Espacial Internacional. Você pode acompanhar esse e ourtos detalhes nessa matéria do Nexo.

Lançamento do foguete Falcon 9 ((NASA / Bill Ingalls, via Fotos Públicas)

Lançamento do foguete Falcon 9 (NASA / Bill Ingalls, via Fotos Públicas)

3) Aldir Blanc, Flávio Migliaccio e tantos outros…

No dia 04 de maio, morreu, por COVID-19, o escritor e compositor brasileiro Aldir Blanc, compositor, entre outras grandes obras, de “O Bêbado e o Equilibrista”, música eternizada na voz de Elis Regina. Saiba um pouco mais sobre quem foi Aldir Blanc nesta matéria do El País.

No dia 04 também nos deixou o grande ator, produtor, diretor e roteirista brasileiro Flávio Migliaccio. Flávio participou de mais de 30 novelas e deixou um legado para a cultura brasileira. Saiba um pouco mais sobre quem ele foi.

O Politize! manifesta profunda solidariedade a família, amigos e fãs dos dois artistas. Também manifestamos nossa solidariedade aos familiares das mais de 37 mil vítimas de coronavírus no Brasil.

Vela em fundo preto, simbolizando luto. (Foto: Pixabay)

Vela em fundo preto, simbolizando luto. (Foto: Pixabay)

Gostou da retrospectiva? Lembrou de algum assunto que ficou de fora? Não deixe de trazer pra nós nos comentários!
Publicado em 09 de junho de 2020.

 

Danniel Figueiredo

Um dos coordenadores do Portal e da Rede de Redatores do Politize!. Graduando em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina. Apaixonado por política internacional e pelo ideal de tornar a educação política cada vez mais presente no cotidiano brasileiro.

 

Referências:

El País (Acusações de Moro ao deixar o governo) G1 (Abertura de inquérito sobre interferência na PF) – Correio Braziliense (Íntegra do depoimento de Moro) – G1 (Íntegra do depoimento de Valeixo) – G1 (Depoimento de Ministros)G1 (Apontamento do vídeo da reunião ministerial como prova por Moro)Íntegra da Reunião Ministerial em textoÍntegra da Reunião Ministerial em vídeoBBC (Efeito da reunião ministerial nos apoiadores de Bolsonaro)Nexo (Pontos principais da Reunião Ministerial)G1 (Teich opta por deixar o Ministério da Saúde)Uol Notícias (Discordâncias entre Bolsonaro e Teich sobre a cloroquina)Época (Teich é informado pela imprensa sobre ampliação de atividades essenciais) –  G1 (Discordâncias entre Bolsonaro e Teich sobre isolamento social)G1 (Operação Placebo) – El País (Operação sobre a investigação das fake news)Metrópoles (Sobre aprovação do auxílio para Neymar)Ecomomia. Uol (Levantamento do Instituto Metrópoles) – Estado de Minas (Sobre a suspensão da cobertura diária do presidente por veículos jornalísticos)Correio Braziliense (Manifestação de apoiadores de Bolsonaro) – GaúchaZH (Manifestação de críticos de Bolsonaro) – Notícias.Uol (Fotos das Manifestações)Correio Braziliense (Brasil ultrapassa a França em número de mortos)G1 (Brasil ultrapassa a Itália em número de mortos)Notícias.Uol (Nova Zelândia anuncia não ter mais casos ativos) – OMS (Projeto ACT) – Agência Brasil (Brasil se junta ao projeto ACT)Folha de SP (Banco Mundial aponta para risco de 60 milhões de pessoas na pobreza) – G1 (Sobre a suspensão de repasses dos EUA para a OMS) – DW (Sobre o rompimento dos EUA com a OMS) – G1 (Sobre a repercussão global do rompimento dos EUA com a OMS) – BBC (O caso George Floyd) – G1 (Manifestações antirracismo pelo mundo) – Época (6 áreas de desigualdade racial no Brasil e nos EUA) – Folha (Sobre o aumento de cyberataques) – Folha (Mercenários na Venezuela) – Folha (Vídeo de um dos mercenários na Venezuela) – BBC (O que se sabe sobre a SilverCorp?) – Folha (Aliado de Guiadó afirma ter participado de planejamento dos mercenários) – Folha (Estados Unidos deixarão o Open Skies) – Gazeta do Povo (Análise de Filipe Figueiredo sobre a saída dos EUA) – O Globo (Sobre a continuidade da crise política na Bolívia) – Uol (Zuckerberg cita post de Bolsonaro para exemplificar combate à fake news) – Correio do Povo (Sobre as críticas a postura do Facebook para com Donaldo Trump) – Nexo (Sobre o lançamento da Falcon 9) – ElPaís (Quem foi Aldir Blanc)TveFamosos (Quem foi Flávio Migliaccio)

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar no debate?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *