Combate à dengue – Um dever de todos nós

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

Em março 2024 o Brasil chegou a 1.657.814 casos prováveis de dengue. Desses, cerca de 491 mortes pela doença foram confirmadas. As informações são do Painel de Arboviroses do Ministério da Saúde.

São cerca de 816 casos para cada 100 mil habitantes, o que a OMS (Organização Mundial de Saúde) classifica como epidemia.

Nesse artigo a Politize! traz mais informações sobre a doença, o diagnóstico, o tratamento e como combater.

O que é a Dengue?

A dengue é classificada pelo Ministério da Saúde como uma doença infecciosa febril aguda. Infecciosa significa que é causada através da transmissão direta por um agente infeccioso ou por suas toxinas. A infecção caracteriza-se pelo início súbito da febre (de onde vem o ‘febril’) associada a calafrios.

A dengue pode se apresentar de diversas formas, podendo ser assintomática (sem sintomas) e de forma mais branda ou grave. Essa variação depende de diversos fatores, entre eles: o vírus envolvido, a existência de infecção anterior pelo mesmo vírus e fatores individuais (como diabetes, asma, anemia, entre outros).

Transmissor e meios de transmissão da dengue

Aedes aegypti é um mosquito menor do que os mosquitos comuns. Tem coloração preta com listras brancas no tronco, na cabeça e nos pés. As asas são translúcidas e produzem um ruído praticamente inaudível para o ser humano.

Mosquito Aedes aegypti na natureza. Imagem: Fiocruz Minas

A dengue é transmitida apenas pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. É ela quem precisa do sangue para o amadurecimento dos ovos que serão depositados separadamente nas paredes internas dos objetos.

É importante destacar que não há a possibilidade de transmissão pelo contato direto com uma pessoa infectada ou suas secreções. Também não há transmissão por meio de fontes de água ou alimento.

A fêmea deposita os ovos próximos a superfícies com água limpa, local que lhes proporciona melhores condições de sobrevivência. Quando postos, os ovos são brancos, mas depois se tornam negros e brilhantes.

Cada mosquito vive em torno de 30 dias e é capaz de colocar entre 150 e 200 ovos na fase adulta. Se a fêmea que os depositou estiver contaminada, estudos indicam que ao menos parte desses ovos serão portadores do vírus.

É curioso dizer, mas a fêmea tem preferência pelo sangue humano como fonte de proteína. Atacam de manhã cedo ou ao entardecer. Sua saliva possui substâncias anestésicas, o que torna sua picada quase indolor.

Leia também: Hábitos humanos e o sugimento de pandemias

É certo dizer que o mosquito causa a dengue?

O mosquito é considerado o que os cientistas chamam de vetor. Um vetor é um organismo que serve de meio de transporte para que um agente patogênico seja transmitido. Esses vetores podem ser mosquitos ou moluscos, como no caso da esquistossomose.

Por isso a transmissão da dengue para as pessoas é pela picada do mosquito. O ciclo da doença começa quando a fêmea do mosquito se alimenta do sangue de uma pessoa infectada.

Caso a pessoa esteja na fase aguda da doença o mosquito também é infectado e se torna um vetor. Após se alimentar desse sangue infectado, a fêmea transmite o vírus ao picar várias outras pessoas para se alimentar. Ou seja, o mosquito é o meio de transporte para o vírus, não o causador da doença.

O aedes aegypti também é o vetor de outras duas doenças: a Zyka e a Chikungunya. Ambas tem sintomas parecidos com a dengue, como a febre, a dor de cabeça, dores nas articulações e manchas vermelhas na pele.

Quais são os sintomas da dengue?

Ao infectar uma pessoa o vírus passa por um período de incubação. Esse período leva de 4 a 10 dias para manifestar os primeiros sintomas. Após a fase de incubação, a pessoa entra na fase aguda da doença. É nessa fase que o vírus se faz presente no sangue, podendo ser transmitido se o indivíduo for picado novamente.

Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça e pelo corpo, moleza e cansaço e náuseas. A dengue também pode se manifestar sem sintoma algum.

Sitomas da dengue. Imagem: G1

Sinais de Alarme

Alguns sintomas mais graves podem ser indicativos de dengue hemorrágica, como: aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo, sangramentos na boca, nariz ou gengivas, dor abdominal intensa e vômitos persistentes.

A dengue hemorrágica necessita de atenção médica imediata, pois ela pode ser fatal. Mesmo com sintomas leves, procurar orientação médica é muito importante, já que eles podem ser confundidos com outras doenças. Febre amarela, malária e leptospirose têm sintomas parecidos com a dengue.

Como faço para saber se estou com dengue?

O primeiro sintoma da dengue é a febre alta com início abrupto e que dura de dois a sete dias. Diante das primeiras suspeitas de que se está com dengue o ideal é procurar imediatamente um atendimento médico.

Através do exame clínico e de sangue o profissional irá confirmar ou descartar a suspeita. O atendimento médico também é importante para avaliar um possível caso de dengue hemorrágica.

Qual o tratamento para a dengue?

É importante lembrar que o atendimento médico deve ser procurado em caso de suspeita de dengue. É através desse atendimento que a pessoa terá o tratamento médico adequado.

Algumas rotinas são estabelecidas para o acompanhamento e diagnóstico da dengue, como a avaliação clínica e exames de sangue.

Para o tratamento a hidratação é fundamental e pode ser via oral (água, soro caseiro, água de coco) ou intravenosa.

Alguns medicamentos não devem ser usados em caso de suspeita ou confirmação de dengue: medicamentos à base de ácido acetilsalicílico e anti inflamatório (aspirina e AAS). Esses medicamentos podem aumentar o risco de hemorragias.

Tem vacinação?

Sim, já existe um imunizante contra a dengue. O Brasil é o primeiro país do mundo a incorporar a vacina no Sistema Único de Saúde.

A vacina, conhecida como Qdenga está disponível para grupos prioritários, no caso, crianças entre 10 e 14 anos 11 meses e 29 dias. A expansão da faixa etária será gradativa, à medida que novas doses puderem ser disponibilizadas.

“A segurança e a eficácia da vacina foram comprovadas por meio de dados técnicos e científicos. O ciclo completo de imunização é atingido com as duas doses e a Qdenga, apresentou nos ensaios clínicos, ter eficácia geral de 80,2% contra a dengue causada por qualquer sorotipo após 12 meses da segunda dose.” – Site GOV.

Quais são as estratégias de combate à dengue?

Combater a dengue é mais fácil do que lidar com a doença. A melhor forma é combater os locais de possível acúmulo de água. Como falamos anteriormente, esses são locais propícios para a criação do mosquito.

Cada um pode, e deve, fazer a sua parte, em casa mesmo. A principal forma de contribuir é verificando se em sua residência há um possível local de criação do mosquito. Confira abaixo algumas dicas:

  • Retire água de latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerante e garrafas;
  • Guarde os pneus velhos em abrigo coberto contra a chuva;
  • Coloque areia em vasinhos de plantas e jarros de flores;
  • Certifique-se de que a caixa d’água está bem tampada. Se tiver cisterna a dica também vale para ela;
  • Também cubra ou retire a água de tambores e latões;
  • Mantenha lixeiras bem fechadas e qualquer outro local que possa acumular água da chuva;
  • Confira se no quintal da sua casa não tem nenhum lixo ou objeto que possa acumular água.
Prevenções contra o vetor. Imagem: Prefeitura de Tanabi – SP.

Saneamento básico

O governo tem um papel muito importante no combate a dengue e a diversas outras doenças, que podem ser evitadas com os devidos serviços de saneamento básico chegando a toda a população brasileira.

O saneamento básico não trata apenas do sistema de água e coleta de esgoto das cidades, mas também do manejo adequado dos resíduos sólidos e a drenagem urbana. Com esses serviços chegando a cada vez mais pessoas e sendo bem geridos, a ploriferação de doenças como a dengue pode ser evitada.

Leia também: Saneamento básico no Brasil

Com cada um fazendo a sua parte fica muito mais fácil de vencer essa luta.

Você já tinha conhecimento sobre todas essas informações? Já fez a sua parte essa semana na luta contra a dengue? Deixe seu comentário!

Referências

Biblioteca Virtual em Saúde – Dengue

Biocenter – Como a dengue é transmitida?

CNN Brasil – Brasil se aproxima de 500 mortes por dengue em 2024

Fiocruz – Dengue, chikungunya e zika são temas de aula inaugural na Fiocruz Minas

GOV – Vacina contra dengue já está incorporada ao Programa Nacional de Imunização

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Brasiliense que ama viajar e conhecer novos lugares. Me formei em Tecnologia da Informação e tenho paixão especial por livros, músicas e escrita. Adoro conhecer um pouco sobre tudo e estou sempre pesquisando e querendo aprender cada vez mais. Jogo e mestro RPG, escrevo fanfics e um dia pretendo escrever um livro.

Combate à dengue – Um dever de todos nós

25 jul. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo