Navegue por categoria

a imagem apresenta uma colagem. há um terreno seco e rachado com apenas um pouco de água no lado direito. o fundo é amarelo com uma bola azul.

Escassez hídrica: um conceito global

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

O conceito de escassez hídrica provoca a comprensão da relação do uso da água, sua dispinibilidade e consumo mundial. A água é um dos recursos naturais mais importantes para a sobrevivência do ser humano no planeta. Seja como substância que compõe nosso corpo ou elemento abundante geograficamente, seu uso está presente em diversos momentos do cotidiano.

Ainda que esteja em grande quantidade no território, aproximadamente 97% do recurso é salgado, impróprio à maioria das necessidades humanas. Da grandeza restante, a maior parte se encontra congelada ou em camadas profundas do subsolo. E, assim, com seu uso mais difícil, também. O que acontece então, com as parcelas da população mundial que não conseguem ter acesso a tal material tão fundamental? Vem entender mais!

Saiba mais: Água é um Direito Humano?

O que é escassez hídrica?

O termo escassez é utilizado em várias áreas de estudo fazendo referência a uma situação de ausência, insuficiência ou raridade. Por escassez hídrica, entende-se a falta da água como recurso natural em relação à determinada demanda social. Aqui, a água doce e potável é o ponto principal de discussão. A sua distribuição e usos variados são elementos fundamentais para debater o tema.

Segundo Carlo Pereira, CEO do Pacto Global da ONU no Brasil, até 2025, 2/3 da população mundial sofrerá escassez hídrica. Não havendo, para tal grupo, acesso à água doce e potável de qualidade e em quantidade adequada. Quando se fala em acesso, a questão é tratada em sentidos diversos. Seja em consumo direto do recurso, mas também indireto. Por meio da produção de alimentos e dos sistemas de higiene e saneamento básico.

A questão da escassez também pode ser discutida dentro do debate existente dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. De acordo com o ODS 6, deve-se assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos.

Veja também: exemplos de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Tendo como referência a data de 2030, o texto oficial afirma a importância de pensar a questão hídrica no mundo. A partir de ideais de universalização e equivalência do acesso à água. Discutindo também como minimizar fatores que contribuem para a intensificação do fenômeno.

Você já pode ter percebido que pensar a escassez hídrica atravessa uma série de diferentes realidades e motivos. Atingindo, também, assuntos tanto ambientais, como geopolíticos e sociais. Para entender mais sobre o tema é importante conhecer as principais causas da escassez e suas consequências para o mundo.

Veja também nosso vídeo sobre capitalismo e sustentabilidade!

Quais são as principais causas da escassez hídrica?

A escassez hídrica pode ser ocasionada por diferentes razões, e também pela interligação entre elas. O que aumenta potencialmente seus efeitos sobre a população mundial e o território. De natureza humana ou natural, o problema tem características que nos permitem compreender sua origem e elementos atuantes mais relevantes.

Quer entender mais sobre água potável e saneamento básico? Confira o conteúdo do Projeto Direito ao Desenvolvimento: Água potável e saneamento básico: como isso é abordado no ODS 6?

As mudanças climáticas

De acordo com a UNICEF, as mudanças climáticas podem causar diferentes eventos climáticos extremos. Com isso, desestabilizar o ciclo da água no mundo, tornando sua disponibilidade imprevisível e instável. O aumento da temperatura da água e a intensificação de desastres naturais relacionados ao recurso contribuem para a ocorrência de crises hídricas. E, assim, com a escassez.

Leia mais: por que desastres naturais acontecem todo ano?

O manejo dos recursos

A questão da gestão dos recursos naturais é de extrema importância nessa discussão. Ela atinge um extenso debate sobre o consumo humano da água e a finalidade do mesmo. Quando se trata do consumo, é importante pontuar o crescimento da população mundial. Junto a isso, o aumento da demanda do recurso e seu uso nos processos de urbanização e industrialização, também.

Leia também: Entenda as políticas de industrialização do Brasil de 1920 a 1964.

Tais dinâmicas acarretam em uma utilização não racional da água. Sua estrutura é muitas vezes baseada no uso desproporcional do recurso. Principalmente, entre diferentes setores e ações que poluem e contaminam a água e suas fontes. Hoje, as atividades que empregam mais água se concentram na irrigação, seguidas pela indústria e, em último, o uso doméstico.

Inserida nesse tema, há uma discussão sobre o uso sustentável dos recursos. Aliada ao conceito de sustentabilidade e desenvolvimento sustentável, defendem a ideia de equilíbrio entre as frentes social, ambiental e econômica.

A Desigualdade social

O uso da água em quantidades muito distintas em determinadas regiões do mundo evidencia outros elementos da discussão. A distribuição e o controle sobre o recurso também implicam na causa da escassez hídrica. Sendo que países em desenvolvimento utilizam menos água por dia em comparação aos desenvolvidos. Por isso, é possível pensar a questão do acesso à água em escala mundial.

Seja através das características naturais, da poluição ou de fatores financeiros, a desigualdade social contemporânea intensifica a escassez. Pois, regiões em desenvolvimento tem menor disponibilidade de água e acabam sofrendo mais situações de estresse hídrico.

Em razão de tal disparidade, o tema da escassez se transformou em uma pauta global. Muitas das iniciativas para seu combate passam pela união e formação de parcerias internacionais, também.

Quais as principais consequências da escassez hídrica?

Assim como as causas da escassez hídrica, suas consequências atingem muitas esferas do mundo, sejam elas econômicas, políticas, sociais e ambientais.

O debate da segurança alimentar

A água é um dos principais recursos utilizados na produção de alimentos. Por mais que não seja perceptível, seu uso na escala industrial é em grande quantidade e essencial para o funcionamento de tal estrutura – o que chamamos de água virtual.

Com a sua ausência, a escala de produção pode diminuir e gerar um grande impacto na quantidade de alimentos produzidos, fazendo com que algumas regiões do mundo tenham a sua falta.

A partir de tal cenário, a noção de segurança alimentar estaria ameaçada, não conseguindo garantir, assim, a manutenção de seus ideais de qualidade do alimento produzido, da sua quantidade e consequente distribuição.

Saiba mais: 5 coisas que você precisa saber sobre Insegurança Alimentar

A questão do saneamento básico

O saneamento básico, de acordo com a Lei 11.445/07, é definido como a totalidade de estruturas responsáveis por fornecer água potável à população, higiene urbana, tratamento de água e resíduos, como esgoto, e demais atividades relacionadas.

A falta de água para realização de tais atividades e de procedimentos não adequados do recurso, provoca a proliferação de diferentes doenças graves, que podem ocasionar a morte de grande parcela da sociedade exposta a essa situação.

Leia mais: Saneamento básico no Brasil: por que não se investe mais?

Os conflitos por água no mundo

Existem, ainda hoje, diversos conflitos sociais motivados pelo controle do recurso hídrico. Locais onde ele pode ser naturalmente escasso possuem diversas situações de embate e guerras territoriais pela sua disputa. Mas, essa não é uma questão que se limita à natureza e também pode ser impulsionada pelo poder político e rivalidades de outras vertentes.

Os diversos conflitos por água geram, também, a fuga de muitos nativos de suas regiões de origem, fazendo uso de migrações forçadas em busca de formas de vida com mais qualidade.

Entenda as diferenças entre imigrante, refugiado e asilado.

Regiões do Oriente Médio, como Israel, Palestina e Jordânia, e do continente africano, como Egito e Sudão, são exemplos dessa questão.

Estrutura Terra Seca. Imagem: Pixabay

A escassez hídrica e o caso brasileiro

Apesar de 12% de toda a água doce do mundo estar presente em nosso país, o Brasil também pode sofrer com a escassez hídrica e suas consequências.

As mudanças climáticas, ao afetar o regime de precipitação, transformam a frequência de chuvas em nosso território. Assim, em determinadas épocas do ano, podemos sofrer com longos períodos de secas e baixa quantidade de água para preencher os reservatórios brasileiros.

A má gestão dos recursos disponíveis também causa escassez hídrica por aqui, fazendo com que muitos dos locais que detém água em abundância sofram com contaminação, poluição, desvio de cursos e variadas formas de desperdício.

A questão da escassez hídrica é bastante extensa e envolve muitos outros temas diferentes. Isso faz dela um assunto complexo e, também, muito importante de ser debatido. Para além de suas consequências locais, pensar a água e seus usos é uma tarefa global que afeta a todos nós de formas muito variadas.

Qual será o nosso papel dentro de todo esse contexto? Conta pra gente o que você acha nos comentários e continue com a Politize! acompanhando os conteúdos relacionados.

Referências:

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Mestre em Ciências Sociais pela UNESP/FCLAr, apaixonada por política, cinema e literatura distópica. Sempre disposta a debater filosofia, feminismos e cultura pop.

Escassez hídrica: um conceito global

13 jul. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo