Escreva aqui o que você tem interesse em aprender e veremos o que podemos encontrar:

Assine a nossa newsletter

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

Apoie a democracia e receba conteúdos de educação política

Ginásio de Ginástica Bonifácio Cardoso, da Prefeitura de Guarulhos, onde Rebeca Andrade começou ainda criança. Imagem: Toni Pires.

Publicado em:

Atualizado em:

Ginásio de Ginástica Bonifácio Cardoso, da Prefeitura de Guarulhos, onde Rebeca Andrade começou ainda criança. Imagem: Toni Pires.
Ginásio de Ginástica Bonifácio Cardoso, da Prefeitura de Guarulhos, onde Rebeca Andrade começou ainda criança. Imagem: Toni Pires.

Você sabe qual a importância de ter o esporte como pauta presente nas políticas públicas?

Não faz muito tempo, o Brasil acordava cedo para admirar Rebeca Andrade brilhar nas Olimpíadas do Japão. No entanto, o que poucos se atentaram é que a menina oriunda de uma família humilde em Guarulhos, provavelmente não estaria no maior palco do esporte mundial sem o projeto social que a revelou e possibilitou o surgimento de uma campeã olímpica.

No entanto, essas histórias de sucesso seriam ainda mais difíceis de acontecer sem políticas públicas voltadas para o esporte. Neste texto, vamos aprender mais sobre a governança voltada para o mundo do esporte e o impacto na percepção como nação. Vamos juntos?

Leia também: 5 palestras do TED sobre políticas públicas

O que são políticas públicas?

Uma política pública é uma iniciativa estatal com a finalidade de promover o bem-estar social e a melhor experiência possível para a população. Nesse sentido, órgãos como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que realiza o Censo Demográfico, são fundamentais para o mapeamento de informações que possibilitem catalogar as carências do país e indicarem quais leis são mais assertivas.

Para que o estudo seja um retrato fiel da realidade, é necessário que as pesquisas sejam realizadas periodicamente. Caso as necessidades atuais possam ser atenuadas, no futuro  possibilitará o investimento em outras áreas mais debilitadas.

As políticas públicas podem ser projetadas em âmbito legislativo ou executivo, assim como também  a população tem o direito assegurado na Constituição Federal de 1988 de participar e avaliar as leis propostas.

Veja também nosso vídeo sobre políticas públicas!

Qual a importância de políticas públicas voltadas para o esporte?

As políticas públicas do esporte estão relacionadas com a saúde, combate ao sedentarismo, lazer e respaldo aos atletas profissionais. Além de incentivar hábitos mais saudáveis na população, e consequente aliviar o sistema público de saúde, as ações contribuem para a percepção de bom uso dos impostos.

O encaminhamento de recursos públicos para aprimoramento e descobrimento de jovens atletas como Rebeca Andrade é frequentemente associado a outros projetos sociais como iniciativas educacionais e recreativas.

Cidadãos mais humildes, idosos ou pessoas com deficiência também são indicadores decisivos na construção de academias gratuitas, praças e quadras, considerando questões de acessibilidade e a democracia do espaço público.

A Constituição de 1988 foi fundamental na democratização do esporte no país, visto que passou a ser um direito de todo cidadão, mas também possibilitou a intervenção do Estado na resolução de problemas estruturais.

O Ministério do Esporte foi instaurado em 2003 como órgão máximo do esporte no Brasil, responsável principalmente pelo desenvolvimento do esporte ao longo do país.

Projetos sociais em comunidades carentes, como o que revelou Rebeca Andrade, e incentivos financeiros diretos como o Bolsa Atleta estão diretamente ligados ao histórico desempenho de atletas olímpicos e paralímpicos em competições recentes, considerando que cada modalidade possui necessidades específicas.

Rebeca Andrade com suas duas medalhas. Texto: Políticas Públicas para esporte. Imagem: Lindsey Wasson/ Reuters.
Rebeca Andrade com suas duas medalhas. Imagem: Lindsey Wasson/ Reuters.

Por que o esporte é importante nas políticas governamentais?

Historicamente, o esporte é utilizado como propaganda política pelos governos para demonstrar a força do regime e estimular o nacionalismo dentro do território.

No século XX, a tensão causada entre as potências americanas e soviéticas se instalou em outras zonas de influência, incluindo o esporte. As Olimpíadas\ eram o espelho da política internacional da época, capitalistas e socialistas duelavam por cada medalha, na tentativa de validar qual sistema político era melhor sucedido.

A edição dos Jogos de Moscou 1980 ficou marcada pelo boicote dos atletas americanos liderando outras nações aliadas em oposição a política do país sede, quatro anos depois em Los Angeles 1984 foi a vez dos soviéticos se recusarem a participar do evento.

O esporte mais popular do Brasil também já foi usado como instrumento político. Getúlio Vargas, caracterizado pelas decisões populistas durante seu período no governo, fez uso do prestígio do futebol e da seleção brasileira. Os famosos discursos no estádio de São Januário para divulgar principalmente as questões trabalhistas alimentaram a ideia de um líder “comum” e próximo do povo.

Outros líderes utilizaram a mesma estratégia, o período militar vinculou a vitoriosa campanha na Copa do Mundo de 1970 como espelho da nação bem-sucedida que estava sendo construída.

Em 2014 a oportunidade de receber novamente o mundial ambicionou os estadistas, porém o decepcionante resultado em campo (7×1), aliada a insatisfação em outras áreas socioeconômicas resultou em ondas de protestos que pressionaram ainda mais o poder central.

Leia também: Sportswashing e sua relação com a Copa do Catar

O esporte nas políticas públicas brasileiras atualmente

No ciclo olímpico de 2013-2016, o Estado investiu mais de 3,2 bilhões de reais. Para Tóquio, foi reduzido para 2 bilhões, e a tendência é que continue diminuindo à medida que os grandes eventos fiquem mais distantes.

Parte desse movimento é explicado pela transformação do Ministério do Esporte em uma pasta especial vinculada ao Ministério da Cidadania. A maior parte dessa verba vem de três núcleos: Lei das Loterias, Bolsa Atleta e Lei de incentivo ao esporte.

As loterias esportivas contribuem decisivamente para o esporte do Brasil. Parte da arrecadação das apostas é redirecionada para o financiamento das secretarias de esporte estaduais e os comitês olímpicos de cada modalidade. No caso do futebol, a Timemania e a Loteca se destacam como apoiadoras, tendo sido criadas para essa função. Esses jogos são voltados para reduzir as grandes dívidas dos clubes.

O Bolsa Atleta é um exemplo de política pública famosa por ser um dos maiores projetos de repasse de verbas diretas para os esportistas no mundo. De 35 modalidades olímpicas, em 19 delas 100% dos atletas são adeptos do programa, como o vôlei de praia e a ginástica artística.

Por último, a Lei de incentivo ao esporte que foi sancionada em 2006, permite a utilização de recursos oriundos de renúncia fiscal sejam aplicados nas ações esportivas e paradesportivas ao redor do país, além de fornecer o suporte necessário para os atletas de alto rendimento competirem nacional e internacionalmente.

Esporte e a ascensão social

Para finalizar, é importante ressaltar a importância do esporte como fator de ascensão social. O esporte constrói valores essenciais ao indivíduo em sociedade, como o pensamento crítico, trabalho em grupo, resiliência, etc. Dialoga com questões sociais importantes, tendo sido provado que é um poderoso aliado contra a violência.

No entanto, para que o objetivo seja alcançado é imprescindível o alinhamento entre o Ministério do Esporte e o Ministério da Educação em projetos a longo prazo. 

Mesmo que não exista garantia, um jogador de futebol no Brasil tem maior probabilidade de evoluir na carreira e ascender socialmente, contrastando com outras modalidades que enfrentam ainda mais dificuldades e não tem a mesma repercussão midiática, aporte de patrocinadores e reconhecimento das conquistas.

Potências olímpicas possuem modelos de esporte de alto rendimento com base na educação primária e superior em parceria com o governo, garantindo que os jovens atletas tenham um bom rendimento acadêmico e perspectiva de carreira, caso a vida em competições não se concretize.

E aí, você já sabia que o incentivo ao esporte é tão importante nas política públicas? Conte-nos o que você achou do conteúdo.

Referências:

Matheus Silva

Carioca, graduando de Relações Internacionais pela UFRRJ e cocriador do Esportes em Debate, página do Instagram que traz um olhar internacionalista para o esporte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

últimos vídeos:

Nossa sede é em Florianópolis, mas estamos em muitos lugares!
Passe o mouse e descubra:

Nossa sede é em Florianópolis, mas estamos em muitos lugares!
Clique abaixo e descubra:

Orgulhosamente desenvolvido por: