A história do Partido Renovação Democrática (PRD)

Publicado em:
Compartilhe este conteúdo!

O Partido Renovação Democrática (PRD) foi formado em 2023 a partir de outras duas siglas: o PTB e o PATRIOTA. Nessa história, já passaram políticos como os ex-presidentes Getúlio Vargas e João Goulart, assim como o ex-governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola.

Figuras políticas conhecidas compuseram a sigla do PTB. Entretanto, nas eleições de 2022, o partido precisou se combinar com outra sigla para acesso a recursos financeiros. Venha entender como se deu esse processo ao longo dos anos!

Origem do partido PRD

Desde outubro de 2022, a fusão dos partidos políticos PTB e PATRIOTA já estava acertada para criar um partido, o “Mais Brasil”.

A partir de conversas internas, foi decidido alterar o nome do partido para PRD: Partido Renovação Democrática, com o número 25 na urna. No dia 09 de novembro de 2023, o Tribunal Superior Eleitoral aceitou a solicitação e o registro foi publicado no Diário Oficial da União.

Identificação visual partido PRD. Fonte: Congresso em Foco

A fusão do PTB e do PATRIOTA se estabeleceu pelo fato de que nenhum dos dois partidos atingiu o quociente eleitoral (preenchimento de vagas no poder legislativo mediante cálculo proporcional da quantidade de votos recebido pelos partidos) suficiente nas eleições anteriores.

Em 2022, o PTB elegeu um deputado federal pelo Rio de Janeiro, enquanto o PATRIOTA elegeu um pelo Maranhão e três por Minas Gerais.

Veja também: Entenda tudo sobre a distribuição de votos por partidos

Quando o quociente eleitoral é insuficiente, a cláusula de desempenho (ou barreira) não é atingida, de modo que, além do partido político não ter acesso ao fundo partidário, também não dispõe de tempo gratuito de rádio e TV, comprometendo sua expressão nacional e acesso a recursos para financiar suas estruturas internas.

Desta forma, os partidos têm a opção de se fundirem, de serem incorporados ou de formarem uma federação. A federação é uma associação partidária que permite aos partidos atuarem de forma unificada durante e após as eleições, sem precisar se fundirem. Os partidos devem permanecer com essa união por no mínimo quatro anos.

PTB e PATRIOTA decidiram pela fusão dos partidos e, por consequência, o Partido Renovação Democrática entrou no rateio do fundo e obteve acesso a R$ 22 milhões. Esta união envolveu também a negociação para que Roberto Jefferson (presidente de honra do PTB até então), não compusesse cargo na executiva nacional do PRD. Cristiane Brasil – filha de Roberto Jefferson – também não integrou o partido.

Veja também: Fundo Eleitoral X Fundo Partidário: quais as diferenças

Um lado nessa fusão: Partido Trabalhista Brasileiro

Antes de se unir ao PATRIOTA, o PTB contava com políticos conhecidos na mídia, como: Roberto Jefferson (presidente de honra), Cristiane Brasil (filha de Roberto Jefferson), Eduardo Cunha, Daniel Silveira e o ex-presidente Fernando Collor, nomes alinhados à direita no espectro político brasileiro.

Mas a despeito de sua criação, o PTB foi um partido associado à esquerda, em prol da consolidação das leis trabalhistas.

Veja também: Esquerda e direita: o que dizem história e teoria

Em maio de 1945, o partido político foi fundado vinculado à figura de Getúlio Vargas e à articulação no Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, justamente por carregar esta bandeira trabalhista nacionalmente.

A ligação entre Vargas, o ministério e o partido se apresenta nos esforços do Estado-novo em organizar os trabalhadores sindicais, sendo o PTB a organização destes trabalhadores e sindicalistas. O carisma de Vargas nesse processo foi fundamental para a consolidação do partido e, enquanto vivo, esta sigla foi a que mais representou a pauta trabalhista.

Ilustração Carteira de Trabalho. Fonte Pixabay

Vale destacar que, nesta época, a sigla não era formada apenas por operários, mas também segmentos conservadores ligados à classe média urbana em busca de benefícios aos empresários juntos a essa classe.

Após a morte de Getúlio Vargas em 1954, João Goulart em 1961, prossegue com as linhas trabalhistas originalmente propostas no PTB. Contudo, o Ato Institucional nº 2, durante a ditadura militar, encerrou o partido.

Veja também: Entenda o que foram os Atos Institucionais

Entre as décadas de 1970 e 1980, houve disputa judicial entre Ivete Vargas (sobrinha-neta de Getúlio Vargas) e Leonel Brizola (ex-governador do RS). Ivete transitava nos setores mais conservadores do partido, já a bandeira do trabalhismo, se vinculava ao nome de Brizola. A Justiça Eleitoral (com influência de setores mais conservadores e militares) decidiu que Ivete Vargas ficaria com o PTB. Enquanto isto, Brizola fundou o PDT.

Em 1985, o PTB conquistou a prefeitura de São Paulo com Jânio Quadros que, no entanto, tinha pouco compromisso com o programa partidário. Jânio demonstrou esse desinteresse ao, tão logo tomar posse em 1 de janeiro de 1986, se desfiliar do PTB, meses após.

Em julho de 2018, o PTB anunciou apoio ao candidato a presidente da República Geraldo Alckmin (PSDB) no primeiro turno. No segundo turno, apoiou o candidato vitorioso Jair Bolsonaro (então filiado ao PSL).

Após a extinção do Ministério do Trabalho, absorvido pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, o presidente de honra do partido e ex-deputado federal, Roberto Jefferson, defendeu o fim da Justiça do Trabalho, em contraposição às origens do partido. O espectro político do PTB ao final era definido como de direita.

Veja também: O que é ser de Direita? Entenda conceito e características

O outro lado nessa fusão: PATRIOTA

O PATRIOTA surgiu a partir do Partido Ecológico Nacional (PEN), registrado no Tribunal Superior Eleitoral em junho de 2012.

Adilson Barroso, presidente do partido na época, afirmou que o partido “defendia várias causas, mas sempre com foco na sustentabilidade”, sem alinhamento com oposição ou governo. O PEN chegou a afirmar que convidaria Marina Silva a fazer parte da sigla.

A alteração do nome para PATRIOTA foi realizada no TSE em abril de 2018. Se caracterizou também no espectro político a direita, com bandeiras nacionalistas, conservadoras socialmente e liberais economicamente. Em 2019 incorporou o Partido Republicano Progressista.

Em 2021, Flávio Bolsonaro – filho do ex-presidente Jair Bolsonaro – filiou-se ao partido, levantando a possibilidade de seu pai também se unir à sigla. Contudo, houve diferenças internas no partido em relação à filiação de Bolsonaro e, por fim, nas eleições de 2022, Jair Bolsonaro não aderiu ao PATRIOTA e foi para o PL.

Diferente de 2018, quando o partido tinha o candidato Cabo Daciolo à presidência, nas eleições de 2022, o PATRIOTAS não apresentou candidatura. Contudo, elegeu 4 nomes para no legislativo, com isto, no ano seguinte resolveu se fundir ao PTB para poder ter acesso a recursos do fundo partidário e maior projeção nacional.

Veja também: Descubra o que são Casas Legislativas e como funcionam

E o PRD atualmente?

O Partido Renovação Democrática permaneceu com quatro deputados federais. Não possui a presidência ou vice-presidência de nenhuma Comissão Permanente na Câmara dos Deputados, mas possui integrantes nas Comissão de Desenvolvimento Urbano, Comissão do Trabalho e Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Congresso Nacional. Fonte: Pixabay

Veja também: Comissões parlamentares: o que são e como funcionam?

Seu espectro político, assim como seus partidos de origem, é alocado ao campo da direita. Com bandeiras: conservadorismo social, religião cristã, liberalismo econômico e anticomunismo.

No ano de 2022, o candidato à presidência do PTB foi o Padre Kelmon, e agora, há declaração a pré-candidatura à prefeitura de São Paulo nas eleições de 2024, que está sendo tratado pela Executiva nacional do PRD.

Apesar de recente, o Partido Renovação Democrática (PRD), após a fusão, se qualificou como o terceiro maior partido do Brasil em número de filiados, 1,3 milhão de pessoas, passando à frente do PSDB como o terceiro maior partido do país na contagem de filiados.

Ovasco Roma Altimari Resende é o presidente nacional do PRD é desde a criação do partido, que anteriormente ocupava a cúpula diretória do PATRIOTA.

E aí, ficou alguma dúvida em relação ao Partido Renovação Democrática? Fique à vontade para compartilhar com a gente! Deixe suas dúvidas e opiniões nos comentários!

REFERÊNCIAS

GoCache ajuda a servir este conteúdo com mais velocidade e segurança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo!

ASSINE NOSSO BOLETIM SEMANAL

Seus dados estão protegidos de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

FORTALEÇA A DEMOCRACIA E FIQUE POR DENTRO DE TODOS OS ASSUNTOS SOBRE POLÍTICA!

Conteúdo escrito por:
Olá, prazer! Sou graduado em Relações Internacionais e atualmente curso a pós graduação em Ciência Política pela FESPSP. Lembro que desde o início da minha graduação me senti atraído por todos os aspectos teóricos discutidos em sala de aula, me encontrei fazendo parte do debate político e, particularmente, me interessei pelo desenvolvimento da agenda ambiental internacional. A curiosidade de entender o mundo e os movimentos sociais – até mesmo indagando os clássicos teóricos – me servem de combustível para compreender um pouquinho mais os vínculos entre as relações econômicas, as dinâmicas de Estado, a história, o direito legal, enfim, esse universo de coisas que se apresentam no campo político, fruto de processos que foram construídos socialmente.

A história do Partido Renovação Democrática (PRD)

23 jul. 2024

A Politize! precisa de você. Sua doação será convertida em ações de impacto social positivo para fortalecer a nossa democracia. Seja parte da solução!

Pular para o conteúdo