Como funcionam as pesquisas eleitorais?

Foto: Freepik

Você, certamente, já ouviu falar sobre as pesquisas eleitorais, certo? Muita gente tem dúvidas sobre a realização destas pesquisas, já que nunca nem sequer fez parte de alguma. Muitos realmente ficam de fora delas, mas existe uma explicação para isso. Entenda como é feita uma pesquisa eleitoral, sua importância e se são, de fato, confiáveis neste conteúdo!

Que tal baixar esse infográfico em alta resolução?

pesquisa-eleitoral-infografico

Quem faz as pesquisas eleitorais?

Em primeiro lugar, é importante saber que as pesquisas eleitorais não acontecem somente no período das eleições. Periodicamente, são realizados levantamentos sobre a popularidade de candidatosgovernantes. Você já deve ter visto, por exemplo, pesquisas com índices de aprovação ou rejeição daquele politico da sua cidade. E antes das eleições, lembra-se de pesquisas que mostravam quem venceria a eleição para presidente, caso ela acontecesse ainda naquele ano? Pois então, essas são tipos de pesquisa eleitoral.

Elas costumam ser encomendadas por grupos de mídia e são um importante instrumento na cobertura jornalística, antes e durante as eleições. As pesquisas também ajudam os partidos políticos a avaliarem o desempenho das suas campanhas e auxiliam o eleitor a analisar as chances de seu candidato vencer nas eleições.

É claro que no período eleitoral o número de pesquisas aumenta, sendo feitas diariamente em alguns lugares. Com tantas pesquisas, surge uma série de dúvidas sobre sua realização, principalmente sobre elas serem ou não confiáveis. 

Por que algumas pessoas são escolhidas para serem entrevistadas?

Diferente de um censo, onde toda uma população é ouvida para que se tenha um resultado 100% representativo, as pesquisas eleitorais são realizadas levando em conta uma amostragem, isto é, um grupo de pessoas que representará toda a população. Estas pessoas são escolhidas de forma aleatória em diversas localidades, em uma espécie de sorteio.

O primeiro passo da pesquisa é definir a quantidade de pessoas que serão ouvidas. Este número é decidido a partir de um cálculo, que leva em conta a margem de erro, que é a variação possível em torno de um resultado, e o nível de confiança, isto é, o número de vezes em que a pesquisa dará um resultado semelhante se for repetida. Fique tranquilo, explicaremos melhor o que são estes conceitos logo abaixo.

Se as pesquisas são realizadas com apenas um grupo de pessoas, como elas representam toda a população?

Funciona da seguinte forma: as pessoas escolhidas para compor este grupo são selecionadas levando em conta características que representam o conjunto de todos os eleitores. Estas características podem ser idadegêneroescolaridadedistribuição de renda, entre muitos outros. A localidade costuma ser um fator muito importante.

Não existe um número exato de pessoas entrevistadas. Geralmente é algo entre 1 mil e 4 mil eleitores. O Datafolha, por exemplo, considera entre 2 mil e 2,5 mil pessoas em suas pesquisas eleitorais. Nas eleições municipais, o número de entrevistados varia de acordo com o tamanho do município.

A amostra, que é o grupo de pessoas entrevistadas, é definida também pelo tipo de eleição que está sendo realizada. Por exemplo, a pesquisa para uma eleição estadual considera vários municípios dentro daquele estado pesquisado, geralmente as cidades escolhidas são as mais populosas. Por sua vez, uma pesquisa para a eleição presidencial seleciona pessoas de vários estados ao longo do território brasileiro. Nas pesquisas para eleições municipais, as pessoas entrevistadas são escolhidas ao longo dos bairros da cidade.

O perfil dos eleitores que responderão à pesquisa é selecionado a partir de um banco de dados. As principais fontes utilizadas para essa coleta são o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Justiça Eleitoral.

Pesquisas eleitorais são confiáveis?

Ainda que as pesquisas sejam feitas com vários critérios, dados confiáveis e a supervisão de um estatístico, as pesquisas eleitorais não se baseiam em valores absolutos, mas sim em estimativas. Além disso, a validade das pesquisas eleitorais depende da opinião pública, que varia constantemente. Por isso os resultados não são exatos, e são acompanhados sempre da chamada margem de erro.

A margem de erro é o índice que determina a estimativa máxima de erro que o resultado de uma pesquisa pode ter. Ela vem sempre acompanhada do nível de confiança, que é o número de vezes que a pesquisa pode ser repetida e o resultado será sempre um valor próximo.

Por exemplo: vamos supor que um candidato apareça com 23% das intenções de voto. Levando em consideração a margem de erro padrão de 2 pontos percentuais, ele terá entre 21% e 25% dos votos. Se repetirmos esta pesquisa, ela deverá apresentar este mesmo resultado em 95% das vezes em que for realizada, já que este é o percentual padrão do nível de confiança.

A margem de erro também determina quantas pessoas deverão ser entrevistadas. Quanto mais se desejar uma pesquisa com um maior nível de confiança e uma menor margem de erro, mais pessoas deverão ser ouvidas.

Portanto, a única forma de uma pesquisa não apresentar margem de erro é através da realização de um censo.