5 comentários para pensar a educação política

Comentário - Fonte: Pixabay

Se a missão do Politize! é levar educação política a qualquer pessoa em qualquer lugar, cuidando da experiência, proporcionando pluralidade de visões e uma linguagem acessível, alguns comentários da comunidade Politize! comprovam a importância desse trabalho.

Vamos conferir juntos 5 comentários para pensar a educação política no Brasil e como você pode pode utilizar este portal para formar opiniões, argumentos e ações próprias!

COMENTÁRIO 1: POLÍTICOS COMO RAPOSAS NO GALINHEIRO

O patrão ficou maluco e liberou geral! A sensação é de termos representantes que se corrompem fácil e legitimam o “jeitinho brasileiro”. Mas será que os políticos têm mesmo esse poder de definir valores? E você sabe quem determina seus salários e benefícios?

Essas informações estão ao alcance de um clique graças à Lei de Acesso à Informação e às regras determinadas pela Constituição de 1988. Está esperando o quê para conferir?

Para fiscalizar e acompanhar, confira quanto ganham os políticos brasileiros na nossa trilha de textos sobre as remunerações em cada cargo eletivo – o salário do vereador, do prefeito, do deputado estadual, do governador, do deputado federal, do senador e até do presidente.

Texto do comentário: quanto ganha um deputado federal?

COMENTÁRIO 2: NEM UM, NEM OUTRO – EVITANDO EXTREMOS

comentario-educação-politica-2

O que você já ouviu falar por aí sobre pessoas que são “da direita” e “da esquerda”? Em mitos e preconceitos, evitamos que o assunto seja uma competição entre dois times de futebol rivais jogando um clássico na final do campeonato brasileiro.

Afinal, não vale chutar para o gol acertando na trave: existem diferentes posicionamentos ideológicos entre os extremos dessas duas correntes de pensamento, o que não se resume a torcedores do comunismo ou do capitalismo – como disse o leitor no comentário acima.

Nos nossos conteúdos sobre esquerda e direita, você aprende sobre os aspectos históricos e teóricos, sobre os valores individuais e coletivos e sobre as influências nas políticas econômicas de um Estado. Já imaginou ter esses conhecimentos para sustentar melhor seu argumento em uma conversa? Estamos aqui para isso! 🙂

Texto do comentário: esquerda e direita: conheça os mitos e preconceitos.

COMENTÁRIO 3: EXISTE VIDA FORA DO PRESIDENCIALISMO?

“Defensor do parlamentarismo, Temer agora sugere um semipresidencialismo no Brasil” foi uma manchete nos jornais em agosto de 2017. Mas por que o Presidente da República fez essa declaração sobre um sistema de governo que afetaria seu próprio cargo?

Bem, para entender o murmurinho e acabar com as dúvidas, eis uma informação que pouca gente sabe: existem sistemas de governo (parlamentarismo, presidencialismo e semipresidencialismo) e formas de governo (monarquia e república) que, combinados, geram configurações políticas diferentes. Hoje, o Brasil é uma república presidencialista.

Então, para responder ao comentário, precisamos entender dois pontos:

  1. No semipresidencialismo, há o presidente (chefe de Estado) e o primeiro-ministro (chefe de governo), com funções e posições diferentes;
  2. O mandato do presidente está em jogo: as propostas da reforma política de 2017 sugerem acabar com a reeleição e aumentar a duração do termo para 5 anos.

Você já deve ter percebido que não existe resposta pronta: é preciso acompanhar as propostas e se informar para ter opinião. Ah, já leu nossa trilha sobre a reforma política, né?

Texto do comentário: semipresidencialismo: aprenda tudo sobre este sistema.

COMENTÁRIO 4: VOCÊ É SOCIALISTA OU CAPITALISTA? VALENDO!

comentario-educacao-politica-5

Sabe quando você está em um grupo e alguém começa a criticar o socialismo ou o capitalismo? E, então, outra pessoa responde discordando e você fica no meio disso sem saber o que comentar? Péssimo! Quando o grupo já leu conteúdos ricos como os nossos – modéstia à parte -, o debate vai longe. Mas, se não for o caso, você sentirá a situação ficar meio assim:

Vamos entender?

O socialismo surgiu no final do século XVIII, em um contexto de grandes transformações sociais e econômicas a partir da Revolução Industrial na Europa. A realidade da época inspirou o surgimento dessa corrente de pensamento que busca a igualdade, podendo ter o olhar do socialismo utópico ou do socialismo científico. Inclusive, não exatamente se opõem a um sistema capitalista nem significam o mesmo que um regime comunista.

Já que a missão aqui é a educação política com pluralidade de ideias, que tal formular a sua própria opinião a partir da nossa trilha sobre correntes de pensamento político? 😉

Texto do comentário: você sabe mesmo o que é Socialismo? (sim, ainda não temos texto sobre o que é o capitalismo, mas já já vem!)

COMENTÁRIO 5: PRECISAMOS EDUCAR NOSSAS MENINAS E MULHERES

Violência contra a mulher. O problema está tão enraizado em nossa sociedade que o Plano Nacional de Segurança Pública considera o combate ao feminicídio uma prioridade nacional para os próximos meses, ao lado de tráfico de drogas e de homicídio doloso. Exagero?

Enquanto juízes não chegam a um consenso sobre o que é estupro e por vezes não condenam casos de assédio sexual nos ônibus, por exemplo, dezenas de mulheres tentam se educar sobre a conquista de seus direitos. Nas questões vitais sobre a violência contra a mulher, explicamos em detalhes o que são as violências moral, psicológica, sexual e doméstica.

E o que é considerado crime? A Lei Maria da Penha é vista como a terceira melhor lei contra violência doméstica do mundo, acolhendo quem sofre com as diferentes violências. Por outro lado, ainda temos muitos avanços e retrocessos nas políticas públicas brasileiras, principalmente no que se refere à representatividade das mulheres na democracia.

Texto do comentário: entenda tudo sobre a Lei Maria da Penha.

Gostou de saber como a educação política ajuda todo mundo a se manter bem informado? Então siga e compartilhe o Politize!

banner

Publicado em 15 de setembro de 2017.

 

Clarice Ferro

Graduada na Escola de Comunicação da UFRJ e editora de conteúdo no Politize!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar no debate?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *